quarta-feira, 30 de maio de 2012

Como cuidar bem de vc mesmo...


 






 
 
 
Como cuidar bem de você mesmo   
 

 
 
1. Caminhe de 10 a 30 minutos todos os dias e sorria enquanto caminha.
2. Ore na intimidade com Deus pelo menos 10 minutos por dia, em segredo, se for necessário.
3. Escute boa música todos os dias. A música é um autêntico alimento para o espírito.
4. Ao se levantar de manhã, fale "Deus, meu Pai, Te agradeço por este novo dia".
5. Viva com os 3 "E": Energia, Entusiasmo e Empatia.
6. Participe de mais brincadeiras do que no ano passado.
7. Sorria mais vezes do que o ano passado.
8. Olhe para o céu pelo menos uma vez por dia e sinta a majestade do mundo que rodeia você.
9. Sonhe mais, estando acordado.
10. Coma mais alimentos que crescem nas árvores e nas plantas, e menos alimentos industrializados.
11. Coma nozes e frutas silvestres. Tome chá verde, muita água e um cálice de vinho ao dia. Cuide de brindar sempre por alguma das muitas coisas belas que existem em sua vida e, se possível, faça em companhia de quem você ama.
12. Faça rir pelo menos 3 pessoas por dia.
13. Elimine a desordem de sua casa, seu carro e seu escritório. Deixe que uma nova energia flua em sua vida.
14. Não gaste seu precioso tempo em fofocas, coisas do passado, pensamentos negativos ou coisas fora de seu controle. Melhor investir sua energia no positivo do presente.
15. Tome nota: a vida é uma escola e você está aqui para aprender. Os problemas são lições passageiras, o que você aprende com eles é o que fica.
16. Tome o café da manhã como um rei, almoce como um príncipe e jante como um mendigo.
17. Sorria mais.
18. Não deixe passar a oportunidade de abraçar quem você ama. Um abraço!
19. A vida é muito curta para você desperdiçar o tempo odiando alguém.
20. Não se leve tão a sério. Ninguém faz isto.
21. Não precisa ganhar cada discussão. Aceite a perda e aprenda com o outro.

22. Fique em paz com o seu passado para não estragar o seu presente.
23. Não compare sua vida com a dos outros. Você não sabe como foi o caminho que eles tiveram que trilhar na vida.
24. Ninguém está tomando conta da sua felicidade a não ser você mesmo.
25. Lembre que você não tem o controle dos acontecimentos, mas sim do que você faz deles.
26. Aprenda algo novo cada dia.
27. O que os outros pensam de você não é de sua conta.
28. Ajude sempre os outros. O que você semeia hoje, colherá amanhã.
29. Não importa se a situação é boa ou ruim, ela mudará.
30. O seu trabalho não cuidará de você quando você estiver doente. Seus amigos sim. Mantenha contato com seus amigos.
31. Descarte qualquer coisa que não for útil, bonita ou divertida.
32. A inveja é uma perda de tempo. Você já tem o que você precisa.
33. O melhor está ainda por vir.
34. Não importa como você se sente: levante, vista e participe.
35. Ame sempre com todo o seu ser.
36. Telefone para seus parentes frequentemente e mande emails dizendo: Oi, estou com saudades de vocês!
37. Cada noite, antes de deitar, agradeça a Deus por mais um dia vivido.
38. Lembre que você está muito abençoado para estar estressado.
 
39. Desfrute da viagem da vida. Você só tem uma oportunidade, tire dela o maior proveito.
 
40. Envie esta mensagem a todos do seu contato
 
 
 
 
 
 


__,_._,___




Livro-A Vida do Anencéfalo: Aspectos Científicos,Religiosos e Jurídicos-AME Brasil Editora.


Fonte: www.amebrasil.org.br

A Vida do Anencéfalo: Aspectos Científicos, Religiosos e Jurídicos

A Vida do Anencéfalo: Aspectos Científicos, Religiosos e Jurídicos
  • Anenfalo_250

Preço
R$ 37,00

Lançado durante o MEDNESP 2009, o livro vem mostrar estudo importante sobre a criança em desenvolvimento uterino com anencefalia. Discute todos os aspectos dessa questão mostrando os mitos e as verdades sobre o que de fato é um feto com anencefalia, o que é um pré-natal, em seus aspectos orgânicos e psicológicos e, judicialmente, o que pode ou não ser feito nessa gestação, especialmente desmistificando quase tudo o que é dito leigamente por especialistas nessas áreas, mostrando que esse tipo de gestação tem grande importância para ambos no binÃ?mio mãe-feto. 

Foi organizado e publicado por membros da AME-Brasil. Dentro de uma visão bioética personalista, os autores enfatizam os argumentos científicos que tornam a vida do chamado anencéfalo um bem disponível. O acaso não explica a vida. E a Neurociência já avançou o suficiente para demonstrar que o tronco encefálico alto – estrutura cerebral presente no chamado anencéfalo – sustenta funções importantes como matriz geradora da vida primitiva. Juntam-se aos científicos, os argumentos jurídicos e espirituais, que conduzem à conclusão insofismável: abortamento intencional é crime. Avanços científicos não devem permitir abusos indiscriminados dos direitos humanos, como querem alguns setores privilegiados da sociedade, sobretudo, em relação ao feto. Este livro pretende dar voz ao anencéfalo. Antes que ele seja inapelavelmente condenado, os autores esperam ter-lhe dado um campo robusto de defesa.

Peso (kg)
0,270


domingo, 27 de maio de 2012

Brasileiro reclama de quê?

APÓIO ESTA REFLEXÃO. Vivemos isso dia após dia nas ruas.

Trajano

 
 

Reclamando do Lula? do Serra? da Dilma? do Arrruda? do Sarney? do Collor? do Renan? do Palocci?  do Delubio? Da Roseanne Sarney? Dos politicos distritais de Brasilia? do Jucá? do Kassab? dos mais 300 picaretas do Congresso? 



Brasileiro reclama de quê?

O Brasileiro é assim:

A- Coloca nome em trabalho que não fez.


B- Coloca nome de colega que faltou em lista de presença.

C- Paga para alguém fazer seus trabalhos.

1. - Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas.

2. - Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.

3. - Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo infração.

4. - Troca voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, e até dentadura.

5. - Fala no celular enquanto dirige.

6. - Usa o telefone da empresa onde trabalha para ligar para o celular dos amigos (me dá um toque que eu retorno...) - assim o amigo não gasta nada.

7. - Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.

8. - Para em filas duplas, triplas, em frente às escolas.

9. - Viola a lei do silêncio.

10. - Dirige após consumir bebida alcoólica.

11. - Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.


12. - Espalha churrasqueira, mesas, nas calçadas.

13. - Pega atestado médico sem estar doente, só para faltar ao trabalho.

14. - Faz
"gato " de luz, de água e de tv a cabo.

15. - Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.

16. - Compra recibo para abater na declaração de renda para pagar menos imposto.

17. - Muda a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.

18. - Quando viaja a serviço pela empresa, se o almoço custou 10, pede nota fiscal de 20.

19. - Comercializa objetos doados nessas campanhas de catástrofes.

20. - Estaciona em vagas exclusivas para deficientes.

21.. - Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se
fosse pouco rodado.

22. - Compra produtos pirata com a plena consciência de que são pirata.

23. - Substitui o catalisador do carro por um que só tem a casca.

24. - Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.

25. - Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.

26. - Frequenta os caça-níqueis e faz uma fezinha no jogo de bicho.

27. - Leva das empresas onde trabalha, pequenos objetos, como clipes, envelopes, canetas, lápis... como se isso não fosse roubo.

28. - Comercializa os vales-transporte e vales-refeição que recebe das empresas onde trabalha.

29. - Falsifica tudo, tudo mesmo... só não falsifica aquilo que ainda não foi inventado.

30. - Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta o que traz na bagagem.

31. - Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.

E quer que os políticos sejam honestos....

Escandaliza-se com o mensalão, o dinheiro na cueca, a farra  das passagens aéreas...


Esses políticos que aí estão saíram do meio desse mesmo povo, ou não?

Brasileiro reclama de quê, afinal?

E é a mais pura verdade, isso que é o pior! Então sugiro adotarmos uma mudança de comportamento, começando por nós mesmos, onde for necessário!

Vamos dar o bom exemplo!
Espalhe essa idéia!

"Fala-se tanto da necessidade deixar um planeta melhor para os nossos filhos e esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores (educados, honestos, dignos, éticos, responsáveis) para o nosso planeta, através dos nossos exemplos...."


Amigos! 
Esse é um dos e-mails mais verdadeiros que recebi. 
Colhemos o que plantamos! A mudança deve começar dentro de nós, nossas casas, nossos valores, nossas atitudes.
 

 



 
 
 



sábado, 26 de maio de 2012

Divaldo Franco novamento em solo europeu






Fonte: www.oconsolador.com.br
Internacional
Ano 6 - N° 262 - 27 de Maio de 2012
PAULO SALERNO
pgfsalerno@gmail.com
Porto Alegre, RS (Brasil)

 
 

Divaldo Franco novamente
em solo europeu


O orador inicia em Dublin um novo ciclo de conferências por diversos países da Europa, o qual se encerrará na cidade de Viena

Tendo viajado no dia 7 de maio, partindo de Salvador-BA, Divaldo Franco chegou a Lisboa, Portugal, para embarcar em outro voo que o levaria finalmente a Londres, Inglaterra. Diversas situações enfrenta o Semeador de Estrelas, algumas de caráter adverso, cancelamento de voos, cansaço físico, que aumenta com a questão do fuso horário, desgaste emocional, inúmeros procedimentos nas aduanas, preocupação com horários de conexões aéreas, a solidão nos hotéis, as barreiras linguísticas, o fardo das bagagens, sempre pesadas devido às necessidades para atender a um longo período fora de casa.

Por outro lado, a felicidade de reencontrar os amigos, rever as pessoas queridas que se encontram envolvidas em bem divulgar a Doutrina Espírita, gratifica-o, dando-lhe a certeza de que seu esforço está sendo plenamente correspondido. Exulta de alegria, o que lhe constitui motivo de felicidade, saber que esse ou aquele grupo espírita se encontra melhor estruturado, que as pessoas envolvidas estão motivadas, que outros se agregaram ao trabalho espírita, que as famílias estão bem, que o público que frequenta os estudos ou atividades doutrinárias responde positivamente à proposta do amor fraternal.

Divulgador incansável da Doutrina Espírita, em seu mais puro sentido e fidelidade aos princípios codificados por Allan Kardec, Divaldo desdobra-se para bem atender a todos, orientando quanto ao estudo e à prática doutrinária, a estruturação do movimento espírita, levando sempre em consideração a particularidade de cada cidade, cada país. Nestes cinquenta anos de divulgação doutrinária espírita no exterior, o incansável conferencista de Feira de Santana-BA tornou-se fundador ou cofundador de inúmeros centros espíritas nos 65 países que já visitou.

Aqueles que estão lendo esta ligeira panorâmica sobre as viagens de Divaldo Franco e não estão familiarizados com viagens internacionais, com um trabalho minuciosamente planejado, incluindo-se as reservas de hotéis, a aquisição de passagens, tudo antecipadamente, a atenção aos diversos horários a serem respeitados em diferentes lugares a cada dia, não conseguem aquilatar, com precisão, o nível de desgaste físico, emocional e mental em uma atividade de tamanha envergadura.

Imagine-se o leitor possuindo 85 anos de idade e desenvolvendo um trabalho durante 38 dias em 26 diferentes cidades de 14 países, com hábitos, culturas e climas diferentes, viajando de carro, de trem ou avião, atendendo a interesses doutrinários diversos, temas específicos, seminários com duração de um dia, preocupações consigo e com os outros, sem desligar-se de suas obrigações para com a instituição a que esteja vinculado.

Outro ponto de relevante destaque é seu trabalho de psicografia de mensagens e livros, que ele realiza à noite, às vezes de madrugada, o qual não sofre solução de continuidade durante suas viagens. Incansável, Divaldo Franco é essa verdadeira legenda do movimento espírita, levando a mensagem de Jesus a tantos quantos desejam empreender sua ascensão espiritual. Neste particular, inúmeras vezes recebe a gratidão de pessoas que testemunham o auxílio que lhes foi dispensado pelos Benfeitores Espirituais durante as conferências e seminários realizados.

Pois bem, Divaldo é o protagonista dessa façanha. Com 85 anos, possuidor de vigor físico e emocional em alto grau, consegue resistir ao esforço e assimilar as diversas situações que se apresentam em uma viagem de tal porte. Nos aeroportos e estações de trens, de proporções gigantescas, se comparadas aos maiores do Brasil, Divaldo, carregando sua própria bagagem, caminha célere, não raro mais do que 20 minutos até as salas de embarque, que às vezes se estendem por um quilÃ?metro, senão mais. 

Dublin, na Irlanda, foi a etapa inicial
da presente viagem
 

Desde 1999, e agora pela 4ª vez, Divaldo pÃ?de avaliar positivamente o esforço em se estabelecer um núcleo espírita na Irlanda. A instituição espírita promotora do evento, fundada em 2009, foi a Spiritist Society of Ireland, de Dublin, que é a única instituição espírita em atividade na Irlanda.

Mais de 200 pessoas estiveram presentes – no dia 9 de maio – para ouvir Divaldo Franco falar sobre as imorredouras mensagens do Mestre de Nazaré. Na palestra, Divaldo teve o auxílio da eficiente intérprete Anne Sinclair, que verteu para o idioma inglês a extraordinária conferência que a todos cativou, falando aos corações cheios de esperança em um porvir de plenitude, auxiliando a criatura a conquistar a felicidade.

Depois de recuperar-se de diversas dificuldades, inclusive de saúde, o maestro George Frideric Handel, um dos maiores compositores de todos os tempos, compÃ?s febrilmente durante 24 dias ininterruptos o oratório Messias, uma obra sobre o Mestre Nazareno, cujo ponto culminante encontra-se em O Aleluia. Essa ópera foi apresentada pela primeira vez em Dublin, no dia 13 de abril de 1742, quando Handel, após ensaiar um coro de 200 vozes, reconquistou sua fama.

George Frideric Handel apresentou esse mesmo oratório no Royal Albert Hall, em Londres, Inglaterra, em uma sexta-feira da paixão, quando a realeza e o público novamente o aplaudiram de pé e demoradamente. Após esse feito, anualmente na sexta-feira da paixão, essa colossal obra é apresentada no Royal Albert Hall

Mais de 500 pessoas assistem à
conferência em Londres

Já vai distante o ano de 1967, quando Divaldo esteve pela primeira vez em Londres, repetindo e atualizando anualmente o encontro com os espíritas britânicos e brasileiros ali radicados, estimulando-os a prosseguirem no caminho traçado pelo Mestre Galileu.

Desta vez, a conferência foi proferida no dia 10 de maio, ocasião em que o Embaixador da Paz proferiu uma brilhante exposição durante o evento Você e a Paz, em sua segunda edição. Promovido pela British Union of Spiritist Societies – BUSS, o evento contou com um público superior a 500 pessoas, um número até então não alcançado. Entre os presentes, se contavam pessoas de diferentes nacionalidades: espanhóis, italianos, franceses, portugueses, lituanos, brasileiros e, naturalmente, britânicos.

Com a participação da cantora Lorena Ribeiro, acompanhada por Neto Pio ao violão, foi desenvolvido um belíssimo momento musical, preparando os momentos seguintes. Anne Sinclair, a eficiente e dedicada intérprete de Divaldo Franco há 25

anos, falou sobre a paz em nós, como conquistá-la, propagando-a a partir de atitudes dignas e respeitosas para com o ser humano.

Em seguida, Janet Duncan prestou comovente homenagem a Divaldo Franco, enaltecendo suas realizações em prol da criatura humana, da paz, da fraternidade, da construção de um mundo com maior elevação moral.

Com a participação de Anne Sinclair, que verteu suas palavras para o idioma inglês, Divaldo falou sobre o estado psicológico da criatura humana, o amor ensinado e exemplificado por Jesus de Nazaré, a felicidade e a plenitude. Cada um deve definir-se, conhecer-se sempre em maior profundidade, sem preocupar-se em agradar a todos. Estimulou a utilização da prece, da meditação, do encontro consigo mesmo, para a construção da paz. Foi um magnífico evento esse II Movimento Você e a Paz realizado em Londres. 

Transição planetária foi o tema do dia 11,
também em Londres 

Em um encontro com os Grupos Espíritas da Inglaterra, na sede do British Union of Spiritist Societies – BUSS -, Divaldo foi homenageado pelo trabalho que tem desempenhado ao longo de muitos anos, recebendo a gratidão dos espíritas ali presentes.

Em sua conferência, tendo por intérprete Anne Sinclair, o Semeador de Estrelas abordou a questão da transição planetária, afirmando que Espíritos de outras dimensões estão reencarnando na Terra e contribuindo para que a humanidade que a habita alcance a categoria de mundo de regeneração. Nessa transição há um processo de transformação biológica, onde o corpo humano alcançará um aperfeiçoamento, visando debelar as doenças degenerativas, disse o Arauto do Evangelho.

O compromisso do trabalho com Jesus em favor do próximo foi enfatizado, pois que há uma necessidade de reajuste com a Lei Divina para todos os que abraçaram a causa crística. O amor vivenciado por Jesus deve ser o sinalizador das metas a serem alcançadas. Nesse particular, Divaldo salientou que os sentimentos devem predominar sobre os instintos e as paixões.

A respeito do vazio existencial, frisou que, quando se tem a certeza nos valores espirituais, a criatura humana realiza sua mudança de dentro para fora, e nada mais a perturba. Manter a alegria de viver, adquirir a sabedoria, a certeza na imortalidade, não perder tempo com o que não possui valor espiritual, foram outros aspectos desenvolvidos pelo nobre conferencista.

Seguiu-se depois, como ocorreu em Dublin, uma série de perguntas, quando Divaldo teve a oportunidade de discorrer com maior profundidade sobre diversos aspectos de sua conferência. A quantidade de perguntas e sua justeza e profundidade deram a certeza de que a mensagem apresentada foi muito bem assimilada. 

Vida: Desafios e Soluções  foi o tema
apresentado em Paris 

No dia 12 de maio, em uma tarde/noite agradabilíssima em Paris, Divaldo Franco proferiu mais uma conferência atendendo aos seus compromissos doutrinários que se estenderão até o dia 13 de junho.

A conferência foi realizada no FIAP Jean Monnet – Foyer International d'Accueil de Paris e contou com a eficiente intérprete Sophie Giusti.

O público presente, em número de 100 pessoas, escutou Divaldo falar sobre o tema Vida: Desafios e Soluções. O Paulo de Tarso dos dias atuais falou brevemente sobre a vida segundo a ótica da filosofia, da psicologia e da biologia, adentrando, em seguida, pelas emoções denominadas medo, ira e amor.

Divaldo descreveu a criatura humana segundo a análise de Pedro Ouspenski, que classificou os indivíduos em duas categorias: os fisiológicos e os psicológicos.

O medo, disse o nobre conferencista, é a emoção mais antiga e base de várias outras. A ira é uma emoção de efeitos fisiológicos, servindo como alicerce para o ódio e suas variantes. A terceira emoção a despertar no indivíduo foi o amor, que encaminha a pessoa para as realizações superiores.

Segundo Carl Gustav Jung e Viktor Frankl, o objetivo da vida é encontrar o seu sentido psicológico, o sentido da vida. O objetivo da vida para o ser humano é superar os instintos e encontrar a plenitude. Como soluções para o indivíduo superar os desafios da vida, Divaldo apresentou Jesus como modelo ideal a ser seguido.  

Em Rennes o tema foi Transtornos psicológicos, depressivos e obsessivos  

Partindo de Paris em um trem de grande velocidade – TGV – Divaldo empreendeu uma viagem de aproximadamente 2h30min, estando pronto no local do evento em Rennes, França, no Centre Commercial des Longs Champs, às 14h30, ocasião em que abordou o tema Transtornos psicológicos, depressivos e obsessivos.

Esta foi a primeira vez que Divaldo esteve em Rennes e a instituição promotora do evento o Centro de Estudos Espíritas Victor Hugo. A intérprete foi mais uma vez Sophie Giusti, destacando-se com brilhantismo em seu trabalho.

Falando para espíritas e espiritualistas, após breve análise do indivíduo sob a ótica da psicologia, da filosofia e da fisiologia, Divaldo apresentou as questões de saúde, de doença e de medicina, esta dedicada a prolongar e dar boa qualidade de vida à criatura humana. Graças à ciência o homem vai-se libertando da ignorância de si mesmo e a Doutrina Espírita demonstra que tudo é natural.

Apresentou o pensamento das filosofias orientais, da grega e da Doutrina Espírita, acentuando que, apesar de todo o conhecimento já adquirido pelo homem, este ainda se mantém vinculado à ignorância de si mesmo, relacionando-se consigo mesmo e com os demais quase que exclusivamente através das sensações de ordem material.

Jesus, o filósofo incomparável, estabeleceu o exercício do amor como sendo a maior psicoterapia de que o homem necessita. Divaldo apresentou as características dos transtornos emocionais, fisiológicos e psicológicos. A depressão e seu significado, suas causas com base na solidão, na ansiedade e na culpa, foram aspectos frisados e que fazem parte do cotidiano de uma grande massa de indivíduos.

O Espiritismo, destacou Divaldo, afirma que os acontecimentos na vida do ser humano, positivos ou negativos, ocorrem com vistas à evolução, que a criatura humana é indestrutível e que os transtornos psiquiátricos e psicológicos são resultados de débitos morais adquiridos.

As ocorrências obsessivas foram amplamente abordadas pelo dedicado servidor do Cristo, que enfatizou a necessidade que todos nós temos de amar, não só aqueles que estão mais próximos, mas a todos, indistintamente. 

Evangelho no lar na residência de um
casal de amigos franceses 

No dia 14 de maio, de volta a Paris, Divaldo Franco, além de suas atividades normais de psicografia, digitação de mensagens e atendimento à correspondência, realizou no período noturno a atividade denominada O Evangelho no Lar. Um grupo de doze amigos se reuniu na residência do casal Dominique e Armandine para a realização dessa tarefa nobilitante e altamente salutar para a harmonia do lar e dos indivíduos.

Foi um encontro proveitoso, alentando corações e atendendo às necessidades espirituais daqueles que ainda se mantêm revestidos do corpo físico e de todos os demais que, desprovidos dele, lá se encontravam.

Renovando as energias e sob as bênçãos de Jesus, todos deram o melhor de si para falar sobre os sentimentos que se lhe despertaram com a leitura de um trecho do cap. XXIII do livro O Evangelho segundo o Espiritismo. Aqueles momentos constituíram um verdadeiro encontro da família espiritual, da família universal. 

A Psicologia da Gratidão foi o tema
apresentado em Orly 

No dia 15 de maio, para falar sobre o tema A Psicologia da Gratidão, Divaldo deslocou-se até Orly, cidade próxima de Paris. A conferência realizou-se na instituição denominada Casa da Redenção, local que Divaldo visita há mais de vinte anos.
 

Sessenta e cinco pessoas se aglomeraram nas instalações da instituição que carinhosamente recebeu a todos. O público em sua grande maioria era formado por portugueses e por pouquíssimos franceses. Estes, em uma sala ao lado, puderam acompanhar a conferência através da tradução realizada por Sandrine Alexandre.

A gratidão é o sentimento de amor elevado ao mais alto grau, disse o Arauto do Evangelho. Ser grato à vida, às oportunidades boas ou más, estar atento para aceitar com sentimento de gratidão o mal que acontece, transformando-o em oportunidade de crescimento. Agradecer o mal que, podendo ter acontecido, não se realizou, agradecer aos pais, estender o perdão às criaturas, indistintamente, não esperar recompensa, ser grato é ser humilde, desenvolver a harmonia interior. A gratidão é a assinatura de Deus colocada na Sua obra, segundo a benfeitora Joanna de Ângelis escreveu em seu livro A Psicologia da Gratidão, psicografada por Divaldo Franco.

Aqueles que conhecem a Doutrina Espírita sabem que agradecer indistintamente é razão, é motivo para sentir-se desfrutando de harmonia. Todo aquele que ora sabe da importância da oração como mecanismo de comunhão com Deus, sintonizando mais com a divindade do que com as questões de ordem material.


 

 


 

Voltar à página anterior

 


O Consolador
 Revista Semanal de Divulgação Espírita
 

 


quinta-feira, 24 de maio de 2012

Seminário Com Djalma Argollo (Em Salvador/ Bahia)



A AMAR Sociedade de Estudos Espíritas convida.

Seminário com Djalma Argollo: JESUS a conjugação integral do verbo AMAR.

Local: Amar 
Dia: 26/05
Hora: 09 às 13
Investimento: R$ 30,00
Incrições: AMAR Tel. (71) 3264-3585

Afetuoso Abraço,

Monica Argollo

(71) 8113-3911 / 3017-9235

"Nunca se justifique, os amigos não precisam, os inimigos não acreditam e os estúpidos não entendem."

"Amicitia quae desinere potest vera numquam fuit (A amizade que pode acabar, na verdade nunca existiu)."

__._,_.___

Divaldo Franco em Berna/Suíça - 23 de maio 2012







        Berna/Suíça – 23 de maio

O dia 23 de maio foi de grande movimentação. Divaldo saiu às 08h00min de Munique e percorreu uma distância de 600 km entre Munique, Berna e Zurique. Após a conferência em Berna, Divaldo retornou para Zurique no início da noite, onde já havia estado para lanchar ao meio-dia. Os sinais de cansaço eram visíveis nos rostos dos que participaram da viagem. A conferência foi promovida pelo Centro de Desenvolvimento Espiritual Estesia, dirigido por Nelly Berchtold, que recepcionou todos os 61 participantes deste evento que foi realizado em agradável sala, na Rua Museumsstrasse 10.

O tema Transição Planetária e o Mundo Novo foi desenvolvido com uma análise psicológica e sociológica do ser humano. Divaldo apresentou e discorreu sobre cada uma das as três emoções básicas, o medo, a ira e o amor. O medo dá início ao desenvolvimento psicológico da criatura humana e é a emoção predominante. O medo, por sua vez, dá origem ao surgimento da segunda emoção, a ira que produzirá consequências fisiológicas. A terceira emoção a surgir foi o amor.

Esta grande transição já começou. Espíritos nobres estão reencarnando. Alguns estão encarnando, pois que são provenientes de outros planetas. Grandes filósofos do passado, os que são considerados santos, artistas, cientistas. Todos vêm para colaborar e operar a transformação moral do Planeta Terra.

 

TEXTO E FOTOS: PAULO SALERNO
 
 
             Abraços; Jorge Moehlecle




Site: http://stv-engenharia.blogspot.com
Currículo Lattes:http://lattes.cnpq.br/8895443035893319 

quarta-feira, 23 de maio de 2012

EM 1999 O ESPÍRITO JOANNA ÂNGELIS INCLUI PELA PRIMEIRA VEZ O TERMO HUMANIZAR NO MOVIMENTO ESPÍRITA




EM 1999 O ESPÍRITO JOANNA ÂNGELIS INCLUI PELA PRIMEIRA VEZ O TERMO HUMANIZAR NO MOVIMENTO ESPÍRITA BRASILEIRO


Fonte: Novos Rumos para o Centro Espirita/Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis- LEAL Editora(1999)




"Joanna de Ângelis, fazendo uma análise da nossa Casa, o Centro Espírita Caminho da Redenção, faz três anos, propÃ?s-nos novas diretrizes para o Centro Espírita onde mourejamos. Essas diretrizes ela apresentou em três verbos: Espiritizar, Qualificar, Humanizar.

Pode parecer um absurdo espiritizar o Centro Espírita e um tanto paradoxal. No entanto, há Centro Espírita que só tem o rótulo mas não tem espiritismo. Vamos por partes, porque é muito delicado.

Fui convidado a proferir uma conferência em um Centro Espírita no sul do país. Normalmente, quando recebo convite, não atendo, porque pode ser entusiasmo da pessoa.

No segundo convite eu digo: "para o ano, volte a escrever." Isso é para ver se a pessoa está mesmo interessada. Para o ano a pessoa volta a escrever e eu digo: "para o ano, na programação, nós vamos agendar."

E, naquela Casa, fui postergando por um período de seis a oito anos, por falta de tempo, até que o presidente insistiu tanto que fiquei constrangido e dei um jeito.

Disse-lhe, na carta: "mande-me as datas que lhe são ideais e eu escolherei aquela compatível com minha programação." Estabelecemos a data e por seis meses correspondemos-nos e tudo foi muito bem.

No dia marcado cheguei à cidade e fui a uma bela instituição. Edifício monumental. Uma grande sala. Quando cheguei à porta, fui recebido por uma comissão muito gentil e estabeleceu-se o seguinte diálogo:

- Senhor Divaldo, o Presidente pede desculpas por não ter podido vir receber o Senhor.

Eu disse: "é muito natural, não há problema."

- Aqui está o Vice-Presidente, o Secretário, o Tesoureiro, e nós desejamos recebê-lo, porque o nosso Presidente está, no prédio vizinho, fazendo cromoterapia.

- "Eu não sabia que ele era cromoterapeuta," falei. "Ele é profissional, naturalmente?"

- "Não! Ele é espírita", responderam-me.

- Deixe-me ver: ele é o Presidente do Centro e é o presidente da cromoterapia? Ele me convidou para vir aqui durante oito anos. Marcou a data e foi fazer a cromoterapia!

- É porque a cromoterapia é muito importante. Está salvando milhares de vida.

- Que graça! Eu sempre pensei que o Espiritismo está salvando milhões de vidas.

Será esta a imagem de um Centro Espírita? Em absoluto. O Centro Espírita não tem que se envolver com nenhuma terapia alternativa. É até um desrespeito, porque o cromoterapeuta é alguém que estudou. Ele tem sua clínica e o Centro Espírita não se pode transformar numa clínica alternativa.

É lugar de transformação moral do indivíduo, onde se viaja ao cerne do problema para arrancá-lo. Se transformarmos um Centro Espírita em uma clínica, para lá vão pessoas aturdidas. Qualquer coisa esdrúxula que anunciemos no jornal haverá uma massa incontável que adere por necessidade de pedir socorro.

Mas o Espiritismo não ilude, não mente e nem posterga a ação, porque ele é herança de Jesus. E Jesus, com todo o amor, dizia a verdade. Seja o nosso falar: sim, sim, não, não, conforme Ele o fazia. Não iremos dizer de forma grotesca ou agressiva, mas iremos dizer de uma forma verdadeira. É melhor, às vezes, perder o amigo agora porque não conivimos e o termos depois, do que o apoiarmos e o perdermos em definitivo, quando ele notar a nossa fraude.

 

Espiritizar

Então, Joanna de Ângelis manda Espiritizar.

Tenho ouvido oradores em casas Espíritas apresentarem temas maravilhosos, mas que não são nada espíritas. Temas que podem narrar no Rotary, na Maçonaria, no Lions, numa reunião social. Na Casa Espírita pode-se abordar qualquer tema, à luz do Espiritismo. Fazer as conotações espíritas.

Se aconteceu uma tragédia na cidade vamos examiná-la, à luz do Espiritismo. Está no momento da clonagem. Vamos falar sobre clonagem, à luz da Doutrina Espírita. Está nos noticiários a corrupção. Vamos falar sobre a corrupção e a terapia Espírita.

Infelizmente não está ocorrendo isso. Convida-se, às vezes, oradores admiráveis, fascinantes, porém, totalmente deslocados. Palestras que se pode ouvir em qualquer lugar.

Na Casa Espírita vão as pessoas atormentadas, buscando consolação, com a alma despedaçada pela morte de seres queridos e, se ouvem uma coisa que nada tem a ver com a proposta da Doutrina Espírita, saem desoladas. Agindo assim, estaremos fraudando a proposta do Espiritismo.

Temos visto congressos espíritas - não é crítica, é análise – em que se aborda Terapia pela dança. É uma maravilha. Mas não num congresso espírita. Vamos fazer isso num congresso de Yoga, que respeitamos muito, ou num congresso de psicoterapia e então coloquemos música, metais, cristais, mas não num congresso espírita.

Ah! É porque nossos irmãos estão doentes, justificam. Nesse caso, falemos das causas das doenças. Das causas anteriores das aflições. Das causas atuais das aflições.

A terapia da dança podemos encontrar em qualquer setor do mundo social, respeitável e nobre. Mas quando vamos à Casa Espírita, esperamos encontrar a proposta espírita.

O Centro Espírita tem que ser o lugar de Doutrina Espírita.

Daí o Centro Espírita tem que ser espiritizado. É a proposta de Joanna de Ângelis.


Qualificar

A segunda vertente de sua proposta é Qualificar.

Vivemos hoje a época da qualidade total. Qualificação é indispensável. Nós, às vezes vamos à Casa Espírita com nossos hábitos ancestrais, o que é natural. Mas o fato de entrarmos na Casa Espírita não muda nossa existência. Levamos a nossa qualificação muitas vezes empírica, singela, e vamos exercer certas funções para as quais não estamos qualificados.

Vemos, por exemplo, um literato, que não entende absolutamente de contabilidade, sendo o tesoureiro do Centro. Vamos ver o indivíduo aplicando a terapia dos passes, mas que, de maneira nenhuma se preparou para isso. Vamos ver no atendimento fraterno uma pessoa que tem muito bom coração mas não tem o menor tato psicológico.

Temos que qualificar-nos.

O que é qualificar? É adquirir características essenciais, típicas das finalidades que vamos exercer na vida prática.

Se eu, por exemplo, quero dedicar-me ao atendimento fraterno, devo fazer um curso. Por isso, os Centros Espíritas devem estar vinculados ao chamado movimento organizado, porque as nossas Casas Federativas dispõem de equipes para nos esclarecer, para nos informar, para ministrar cursos.

Quando vemos, por exemplo, a Federação Espírita do Paraná (FEP), oferecer-nos o jornal Mundo Espírita por um preço irrisório, que muitos ainda não pagam, chegar às nossas mãos todo o mês, com pontualidade, trazendo-nos mensagens libertadoras de consciência, comovo-me com esse trabalho.

Se ligarmos o rádio, aí está um programa de orientação espírita, o Momento Espírita, já transmitido por uma cadeia de rádios em várias cidades do País. Seria interessante se cada um dos senhores, nas suas cidades, entrassem em contato com a FEP e, ao invés de fazer programa de rádio sem nenhuma habilidade, sem qualificação, colocassem o programa que é transmitido em Curitiba, que é de excelente qualidade, narrado por pessoa qualificada, desde a voz, uma voz agradável, muito bem empostada. É uma mensagem muito bem trabalhada, apresentando várias conotações para o enriquecimento das pessoas espíritas e não espíritas.

Muitas pessoas confundem qualificação com elitismo. E as pessoas dizem: "está elitizando!".

Minha mãe era analfabeta e eu dialogava com ela. Qualificamo-la. Ela tornou-se uma excelente bordadeira, uma excelente cozinheira. Conheço tanta gente instruída que não sabe enfiar a linha na agulha e que não sabe pregar um botão.

Daí, meus amigos, qualificar não é elitizar, não é intelectualizar. É equipar de recursos para fazer bem aquilo que gostaria de fazer. Evitar o aventureirismo.

Humanizar

Humanizar é fazer com que nós, de vez em quando, tornemos à nossa simplicidade, ao nosso bom humor, ao nosso lado humano. A vida nos impõe rotinas e, quando menos esperamos, estamos fazendo aquilo rotineiramente, sem emoção. Nós nos transformamos em máquinas.

Visitei uma instituição e uma senhora me disse assim:

"Ah! Irmão Divaldo, não agÃ?ento mais. Estou cansada de fazer caridade. Eu não agÃ?ento mais, é tanto pobre.

Eu disse: "minha filha, então deixe".

Ela: "O Senhor está me mandando deixar de fazer a caridade?"

Eu disse: "Não, eu estou mandando você descansar, porque a caridade está lhe fazendo mal. Já imaginou a caridade fazer mal a quem a faz? Algo não está funcionando! Ou você está exibindo-se sem o sentido de caridade, me perdoe a franqueza, pois quero lhe ajudar, ou você está saturada. Faça uma pausa".

Ela: "O que será dos pobres?"

Eu: "Minha filha, eles são filhos de Deus. Antes de você chegar Deus já tomava conta. Você está só dando uma mãozinha para você, não para eles, porque, afinal, isso aqui nem é caridade, é paternalismo. Você está mantendo muita gente na miséria, que já podia estar libertada, porque você me disse que já atendeu a avó, a filha e agora está atendendo a neta.

Como é que você conseguiu manter na miséria três gerações? Que a avó e a filha fossem pobres necessitadas, é aceitável, mas a neta já teríamos que libertar da miséria de qualquer jeito. Colocando-a na escola, equipando-a, arranjando-lhe trabalho. Isso não é caridade. Está lá no Evangelho: "Transformai as vossas esmolas em salário".

Então, repouse um pouco. É uma rotina. Você quer abarcar um número de pessoas que você não pode abraçar. Diminua. Faça com qualidade e procure fazer em profundidade. Faça o bem.

Nós não podemos salvar o mundo e perder a nossa alma. A tese é de Jesus Cristo: "Que vos adianta salvar o mundo e perder-se a si mesmo!" Nós não estamos aqui para salvar o mundo. Estamos aqui para salvar-nos e ajudar o mundo para que cada um nele se salve.

Então, humanizar é neste sentido. É esta proposta de voltarmos a ser gente. Não ficarmos nos considerando muito importantes. O Presidente do Centro, o dono do Centro, o super-médium, a pessoa mais formidável do século. Voltarmos às nossas origens. A simplicidade de coração, a afabilidade, a doçura (textos do Evangelho Segundo o Espiritismo), a cordialidade, o bom trato.

Se o doente é insistente, se o pobre é impertinente, nós estamos ali porque queremos. Não foi o pobre que pediu para nós irmos lá. Nós é que nos oferecemos. Então temos a escusa de estarmos cansados, de estarmos irritados. "Eu também tenho problemas".

Então vá resolver seus problemas. Não os traga para a Casa Espírita. E notem que esta tríade está perfeitamente de acordo com o pensamento kardequiano: trabalho, solidariedade e tolerância.

Qual é o trabalho? ESPIRITIZAR-SE. O trabalho de adquirir o conhecimento espírita, de perseverar no estudo. Minha mãe era analfabeta. Eu lia para ela, estudava, comentava. Ela acompanhava. Aprendeu a Doutrina Espírita dentro dos seus limites.

Solidariedade. QUALIFICAR-SE, para servir melhor, para ser mais solidário.

Tolerância: ser mais HUMANO. Quando somos mais humanos, somos tolerantes. E esta tríade não é propriamente de Allan Kardec. Ele a tirou de Pestalozzi, seu professor, que tinha como base educacional três palavras: trabalho, solidariedade e perseverança. Allan Kardec, que foi seu discípulo, tomou a tríade e adaptou-a, substituindo perseverança por tolerância.

Assim, o Centro Espírita é a nossa oficina. Quando nós entramos na Casa Espírita devemos sentir os eflúvios do amor, da fraternidade. Não é o lugar dos conflitos, das picuinhas, das nossa dificuldades, das nossas diferenças, que nós as temos, mas das nossas identidades, das nossas compreensões, do nosso esforço para sermos melhor.

Daí a nova proposta do Centro Espírita: voltar às bases do pensamento de Allan Kardec. Reviver o trabalho, a solidariedade e a tolerância. Sermos realmente irmãos.

Esta é a nossa família ampliada. Se entre aqueles com os quais compartimos idéias, que são perfeitamente consentâneas com as nossas, nós temos dificuldades de relacionamento, como é que iremos nos relacionar com o mundo agressivo, com a sociedade que não nos aceita, com aqueles que nos hostilizam, com aqueles que nos perseguem?

O Centro Espírita é o lugar onde nós treinamos as virtudes básicas: a fé, a esperança e a caridade.

 

Palestra de ARIVAL NETO no SEMEADOR adiada.


 

Pessoal,
 
Em função da greve de ônibus, a Coordenação do Semeador achou por bem adiar minha palestra para uma outra data a ser confirmada.
 
Abraços,
 
Arival
 
Sent: Monday, May 21, 2012 5:59 PM
To: undisclosed-recipients:
Subject: [via irmaosdeluz] CERTEZA DE BOA PALESTRA!
 
 


__._,_.___
Atividade nos últimos dias:
Obrigado pela participação no Grupo Irmãos de Luz!
Conheça nosso site:
http://irmaosdeluz.blogspot.com
.

__,_._,___



--

Manoel Trajano
Eng.Especialista em Segurança do Trabalho e Gás Natural
+55-71-9155-0556/8800-7713
e-mail/Gtalk :trajanomanoel@gmail.com
Msn: engmtrajano@hotmail.com
Twitter: http://twitter.com/manoeltrajano
Site: http://stv-engenharia.blogspot.com
Currículo Lattes:http://lattes.cnpq.br/8895443035893319 

PARA PARTICIPAR DO GRUPO NO YAHOO GRUPOS:
Assinar irmaosdeluz

Desenvolvido por br.groups.yahoo.com