terça-feira, 29 de setembro de 2009

TEXTO ANTIDEPRESSIVO

Quando você se observar, à beira do desânimo, acelere o passo para frente, proibindo-se parar.
Ore, pedindo a Deus mais luz para vencer as sombras.
Faça algo de bom, além do cansaço em que se veja.
Leia uma página edificante, que lhe auxilie o raciocínio na mudança construtiva de idéias.
Tente contato de pessoas, cuja conversação lhe melhore o clima espiritual.
Procure um ambiente, no qual lhe seja possível ouvir palavras e instruções que lhe enobreçam os pensamentos.
Preste um favor, especialmente aquele favor que você esteja adiando.
Visite um enfermo, buscando reconforto naqueles que atravessam dificuldades maiores que as suas.
Atenda às tarefas imediatas que esperam por você e que lhe impeçam qualquer demora nas nuvens do desalento.
Guarde a convicção de que todos estamos caminhando para adiante, através de problemas e lutas, na aquisição de experiência, e de que a vida concorda com as pausas de refazimento das nossas forças, mas não se acomoda com a inércia em momento algum.

ANDRÉ LUIZ
(Do livro: " Buscas e Acharás", FCXavier, EDIÇÃO IDEAL)
Enviado por Marluce Faustino/RJ

Oriente Médio e a Lei do Talião

Publicado por Marcio-geec em 28/7/2006 (456 leituras)
José Reis Chaves


O mundo vive estarrecido com o que vem ocorrendo no Oriente Médio nos últimos meses, com judeus e palestinos matando-se uns aos outros, em ações de vinganças sem fim, como se fossem crianças trocando tapinhas à moda do toma -lá -dá –cá.

Estamos todos nós de civilização cristã perplexos diante desse quadro dantesco envolvendo esses dois povos, com os quais temos muita afinidade, e para os quais alimentamos mesmo também uma grande simpatia, pois há importantes laços histórico-cultural-religiosos e até raciais, que nos unem, já que se trata de gente de descendência bíblica, ou mais precisamente, de Abraão, o que faz que eles e a maioria de todos nós tenhamos, culturalmente falando, uma mesma árvore genealógica.

Os árabes e os palestinos descendem de Ismael, filho de Abraão, mas não com a sua esposa Sara, estéril quando mais nova, e sim, com Hagar, sua escrava, o que teve, porém, o consentimento de Sara.

Já os judeus são descendentes de Isaque, filho extemporâneo de Abraão com Sara, que só se engravidou desse seu filho mais tarde.

Como se vê, só pelo fato de possuírem mães diferentes, Isaque e Ismael deixaram para a posteridade dois povos conflitantes, que vêm guerreando um com o outro, desde as primeiras gerações provindas deles, isto é, há 3.700 anos, aproximadamente.

Quando Isaque foi desmamado, Abraão deu um banquete para comemorar o fato, ocasião em que Ismael cismou de fazer uma gozação em cima do seu irmão. E Sara não gostou da brincadeira, pedindo Abraão que rejeitasse Hagar e Ismael. E, assim, mãe e filho foram para o deserto.

Nesse episódio, lemos: “Porque por Isaque será chamada a tua descendência”. Porém há uma referência de bênçãos divinas, igualmente, para Ismael: “Mas também do filho da serva farei uma grande nação, por ser ele teu descendente”.

Será que os cristãos, que, inclusive, manipulam a ONU, não podem ajudar esses dois povos a resolverem esse seu grave problema? O nosso Mestre disse: “O que fizerdes ao menor de todos, é a mim que fazeis”, o que nos leva a concluir, pois, que quem fizer cessar o corrimento do sangue de judeus e palestinos, estará, de algum modo, fazendo com que não continue a ser derramado também o sangue do próprio Mártir do Gólgota!

Que os líderes cristãos, portanto, com lealdade e justiça para com esses dois povos, leve-lhes a Mensagem de Cristo, que é de amor, fraternidade e perdão, e não a da lei mosaica de talião, do olho por olho, dente por dente, pé por pé, que só gera, cada vez mais, ódio sobre ódio, e que é exatamente ao que estamos assistindo no palco dessa triste guerra sem fim do Oriente Médio!

Autor do livro, entre outros, “A Face Oculta das Religiões”, Ed.Martin Claret, SP. E-mail escritorchaves@ig.com.br

HUMILDADE É QUE AMANSA,PACIFICA...

Sábado, 26 de Setembro de 2009
HUMILDADE DE CORAÇÃO

A humildade é uma qualidade dos que são modestos, consistindo em silenciar os méritos possuídos. Em razão deste entendimento, assim conceituado, certa vez, procurado por um amigo, disse-nos ele: - Quando Jesus afirmou ser humilde de coração, não teria faltado Ele a este princípio, mostrando-se, assim, sem humildade? Naquela oportunidade, tecemos algumas considerações contrárias ao pensamento do consulente. Depois, resolvemos escrever as razões ora apresentadas.
Há instantes em nossas vidas em que a virtude maior consiste em dizermos de alguma boa qualidade que tivermos, constituindo o silêncio a seu respeito grande mal. Isto acontece, por vezes, na experiência de cada dia, geralmente entre os grandes homens, responsáveis pela direção de setores importantes para o público. Em tais casos, silenciar seria levar prejuízos à existência de muitos, principalmente quando estes ainda se alimentam na confiança, na segurança, fortaleza e fé que possuem nas palavras daqueles que lhes incutem tais sentimentos.
Os próprios pais, quando, isentos de orgulho e vaidade, no desejo de corrigirem seus filhos, desviando-os de erros ou invirtudes, falam de alguma boa qualidade possuída, não pecam eles contra a humildade. Esta deve ser compreendida como ausência de arrogância e vaidade. É irmã gêmea da simplicidade. Os soberbos não sabem ser simples. Sempre ostentam orgulhosamente o quanto sejam ou possuem.
Se vencermos, em nós, a arrogância, obteremos vitória sobre nosso egoísmo, causa maior dos grandes males da Humanidade. Estaríamos a vitoriar sobre nós mesmos e sobre o próprio mundo. Passaríamos a ser criaturas sinceras, fraternas, caridosas, vendo no outro o nosso próximo.
Se fôssemos realmente fraternos, encontraríamos a todos como irmãos, e não mais nos sentiríamos inimigos de quem quer que seja. Se nos conduzíssemos numa linha de inteira fraternidade, com certeza, fugiriam de nossos corações empáfia e vaidades. Então, a própria humildade seria o veículo por onde trafegariam todas as nossas boas qualidades.
Quando Jesus assentou ter vencido o mundo (João, 16:33), quis-nos dar exemplo de desprendimento e advertir-nos sobre o quanto ainda nos arrasta a sentimentos inferiores, negativos. Sendo Ele Embaixador do Pai, entre todos nós proclamou grande verdade, ao dizer: "(...)aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração (...)." (Mateus, 11:29.)
Por existirmos em nossos desníveis, vivenciando quedas morais, temos, em geral, dificuldades no entendimento de certas passagens da vida de Jesus. Em tudo, porém, foi Ele humilde de coração, visto jamais podermos imaginá-lo orgulhoso, carregando vaidade, como se ainda possuído das mesquinharias humanas. De igual modo, se alijarmos de nós a montanha de nossas deficiências, também seremos naturalmente humildes, porque a simplicidade passará a cimentar nosso modo espontâneo de ser. Sem essa compreensão, jamais iríamos alcançar muitas outras palavras, tais como. "Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim" (João, 14:6); dado que, em verdade, Ele é a luz do mundo e quem o seguir "não andará em trevas, pelo contrário, terá a luz da vida" (João, 8:12), conforme nos assegurou.
"Quem vem das alturas certamente está acima de todos; quem vem da terra é terreno e fala da terra; quem veio do céu está acima de todos." (João, 3:31.) Mister se faz buscarmos nos afastar de sentimentos rigorosamente terrenos, a fim de penetrarmos no espírito da linguagem daqueles que têm autoridade para falar. E Jesus, "(...) o Filho do homem tem sobre a terra autoridade (...)" (Mateus, 9:6), continuando a afirmar: "Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra." (Mateus, 28:18.)
Se já nos sentíssemos sinceros, verdadeiros nos pronunciamentos emitidos, não mais iríamos duvidar das palavras de nosso Mestre e Senhor. Teria Paulo de Tarso, por exemplo, faltado à verdade, ao se expressar, dizendo: "(...) já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim (...)" (Gálatas, 2:20)? O grande apóstolo, sem faltar à verdade, nem falsear a humildade, sentia-se humilde de coração, para assim se exprimir, repetindo desta forma: "Nós, porém, temos a mente de Cristo." (I Coríntios, 2:16.)
Na medida em que formos nos desprendendo das negatividades de todos os séculos, iremos aceitando que muitos vieram como extraordinários mensageiros do Alto. Uns, preparando caminhos, roçando estradas, abrindo clareiras. Outros, executando, comandando, ditando planos. Vejam-se as personalidades de João Batista e de Jesus. Ambos, portageiros de verdades, todavia, bem diferentes um do outro. Aquele, veículo da verdade. Este, a Verdade. Não fosse assim, deixaríamos de assimilar do salmista: "As tuas palavras são em tudo verdade desde o princípio, e cada um dos teus justos juízos dura para sempre." (Salmos, 119 e 160.) Nestas razões, acolhemos Jesus como médium de Deus, pois Ele assim também falou: "(...) a palavra que estais ouvindo não é minha, mas do Pai que me enviou." (João, 14:24.) Fez-se a maior expressão da verdade que descera à Terra. Suas mensagens organizaram para a Humanidade o maior código de ética para o verdadeiro procedimento dos homens. Afirmou Ele: "Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão." (Lucas, 21:33.) E, na passagem de tantos séculos, suas palavras sempre são atuais.
Necessitamos, então, de expulsar a humildade envernizada, que ainda em nós reside, para, na simplicidade de nossos corações, recebermos a verdadeira luz e penetrarmos no entendimento de tudo quanto o Mestre nos quer ensinar. "Sabemos que Jesus foi o grande reformador do mundo, entretanto, corrigindo e amando, asseverava que viera ao caminho dos homens para cumprir a lei."¹
Sejamos leais em nossos pedidos a Deus, para melhor adentrarmos na compreensão de sua Lei e dos seus mensageiros, aceitando, humildemente, em nossos corações, que a verdade não foi posta sempre ao alcance de todos, visto ser necessário "que cada coisa venha a seu tempo. A verdade é como a luz: o homem precisa habituar-se a ela, pouco a pouco; do contrário, fica deslumbrado", segundo nos advertem os Espíritos reveladores, sob a égide do Espírito de Verdade². Esses mesmos Espíritos Superiores alimentam-nos a esperança de dias melhores, quando, alentando o Codificador Allan Kardec, dizem: "Vem próximo o tempo em que a Verdade brilhará de todos os lados"³. Decerto, na ocorrência de tais fatos, talvez já adultos e menos crianças, capacitados à alimentação mais sólida, segundo Paulo, teríamos melhor compreensão espiritual do que significa ser manso e humilde de coração.
Aurélio Muniz Freire

1. XAVIER, Francisco Cândido. Pão Nosso, pelo Espírito Emmanuel. 17ª edição. Rio de Janeiro, FEB, 1986, cap. 43.
2. KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. 77ª ed., Rio de Janeiro, FEB: Questão 628. 3. Idem, ibidem - Prolegômenos.

BARRA

Foto do livro do fotógrafo Nilton Souza, lançado recentemente no Museu de Arte Sacra.

Fonte: http://viniciusfactum.blogspot.com/2009/09/salvador-aerea.html (do meu amigo Vinícius)

Por Manoel Trajano

Quando vi essa foto hoje me deu uma saudade de casa e o quanto importante é nosso lar. Vendo esse marzão lindo e esse cartão postal de nossa Bahia. No meio do trabalho vejo essa cena,dá vontade de voltar para casa rápido,botar uma sunga e cair nessa benção de Deus. Moro há 30 anos aqui em Salvador e sempre no entorno desse cenário.

Variei de prédios mas sempre deu para ir andando. Eu moro no canto superior esquerdo da foto,mais acima um pouquinho e como dizem que para descer a ladeira "todo Santo ajuda" mas cuidado para não tropeçar ou evitem a "banguela" que é uma condição de risco podendo se acidentar. Se nosso quarto,nossa sala,nosso modesto apartamento é nosso canto sagrado,o que dizer disso que vemos nessa imagem? Deus nos dá um lar,um emprego,uma família,amigos,colegas,praia,transporte e outras tantas bençãos e quando não dá uma parte disso ou tudo o que fazemos? Reclamamos! Nunca olhamos pelo ângulo de que não somos merecedores naquele momento ou não seja necessário para nossa caminhada.

São poucas cidades no Brasil que tem um litoral como o nosso e ao mesmo tempo tão maltratado pela administração pública. Mas a Natureza é forte e se impõe. Várias vezes ouvi frases do tipo"que inveja de onde você mora","com um lugar desses como não vai caminhar para desestressar". Bem,em primeiro lugar inveja mata,mas quando não atrai para seu campo vibratório energias deletérias diantes da pequenez que você se coloca,não o outro que está acima,mesmo porque as aparências enganam e se o outro está naquela condição,fez por merecer. Com relação ao segundo ponto,tanto ando que aquele mar já foi testemunha das vezes que sentei na areia,liberei minha energia presa através da terra e chorei agradecendo a Deus por tudo e ouvindo Sua voz diante de situações difíceis de relacionamento,trabalho,dificuldades em geral.Saí muito mais leve,ufa.

Precisamos desses momentos de solidão momentânea,de nos escutar cuja consciência fala. Tomar um banho de mar e saudar Yemanjá,sim porque não.Respeitemos as entidades de luz que nos abençoam com sua presença. Estamos num Estado democrático,sincretista,ecumênico e toda ajuda é bem vinda! Salve,Salve Rainha do Mar!

Só peço a todos que não joguem lixo no chão e muito menos no mar. Vamos aprender inglês e tratar bem o turista para que ele volte. Não vamos fazer como um funcionario da recepção de um Hotel em Ondina que ao se deparar com um estrangeiro que perguntou sobre a água "How much it costs?" ao que o brasileiro respondeu"Três riaisssss".

Para mim,baiana de acarajé,ambulante,pessoal de hotel e pousada,motoristas de táxi e ônibus que circulam em área turística deveriam ter curso promovido por alguma ONG,Prefeitura,Estado,Sindicato,qualquer coisa.

Mas voltando ao foco do texto,que possamos valorizar nossa cidade em qualquer lugar do Brasil ou do mundo. É onde renovamos nossas energias e ganhamos forças para enfrentar as adversidades do mundo,que não são poucas. Que possamos sentir a brisa,o calor do Sol,a luz penetrante dele,o brilho das estrelas e quando o tempo inverter,valorizemos a chuva que traz a limpeza,o frio que força juntarmos com o parceiro,abraçar filhos e pais,abraçar o amigo.

Nada é por acaso.

EVENTO EM CAMPO GRANDE NO RIO DE JANEIRO-O SEMEADOR DE ESTRELAS


O SEMEADOR DE ESTRELAS COM RENATO PRIETO estará em cartaz no dia
Data: 26/09/09 20:00


NA LONA CULTURAL ELZA OSBORNE – CAMPO GRANDE
MAIORES INFORMAÇÕES : (21)2208-5282
PRODUÇÃO E DIVULGAÇAO: PÁDUA e FLAVIO JR. PRODUÇÕES


CONTATOS : TELS. 2405-4548 / 7855-8923 / 7855-8925 /
ID. 83*31064 /83*31065

http://renatoprieto.wordpress.com/

Enviado por Marluce Faustino/RJ

O Passado é Passado, mas o Amanhã durará para Sempre

Em nossas vidas, tantas vezes olhamos para trás...
pensando em como tudo aconteceu e como tudo poderia ter sido.
Não há nada errado em olhar para trás,
mas certamente é um erro ficar ruminando o passado
e perguntando: "E se...?".

Ao contrário, devemos nos concentrar no dia de hoje,
no amanhã e nos amanhãs que estão por vir.

Ainda há muitos dias maravilhosos no porvir.
O passado é passado...
mas o amanhã durará para sempre.

Deixe que cada amanhã preencha seu coração com amor e risadas;
os seus dias, com sonhos tornados realidade e sua vida,
com uma esperança infinita de felicidade.


Autor: A. Rogers

Enviado por Débora Linheiro/BA

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

NÃO PERCA - WANDERLEY OLIVEIRA NO SEMEADOR!





DIRETAMENTE DE UBERABA-MG O MEDIUM MINEIRO QUE ESCREVE COM O ESPIRITO ERMANCE DUFAUX.

NÃO PERCA!!

ESTOU A DISPOSIÇÃO PARA FACILITAR A AQUISIÇÃO DOS INGRESSOS!!

IMPERDÍVEL!!

APOIO: CEIA / GRUPO IRMÃOS DE LUZ

VIDA PASSAGEIRA

Se pudéssemos ter consciência do quanto nossa vida é passageira,
talvez pensássemos duas vezes antes de jogar fora as oportunidades
que temos de ser e de fazer os outros felizes.
Muitas flores são colhidas cedo demais.
Algumas, mesmo ainda em botão.
Há sementes que nunca brotam e há aquelas flores que vivem a vida
inteira até que, pétala por pétala, tranqüilas, vividas, se entregam ao vento.
Mas a gente não sabe adivinhar.
A gente não sabe por quanto tempo estará enfeitando esse Éden e tampouco
aquelas flores que foram plantadas ao nosso redor.
E descuidamos. Cuidamos pouco. De nós, dos outros.
Nos entristecemos por coisas pequenas e perdemos minutos e horas preciosos.
Perdemos dias, às vezes anos.
Nos calamos quando deveríamos falar;
falamos demais quando deveríamos ficar em silêncio.
Não damos o abraço que tanto nossa alma pede porque algo em nós impede
essa aproximação.
Não damos um beijo carinhoso "porque não estamos acostumados com isso"
e não dizemos que gostamos porque achamos que o outro
sabe automaticamente o que sentimos.
E passa a noite e chega o dia, o sol nasce e adormece e continuamos os mesmos,
fechados em nós.
Reclamamos do que não temos, ou achamos que não temos suficiente.
Cobramos. Dos outros. Da vida.
De nós mesmos. consumimos.
Costumamos comparar nossas vidas com as daqueles que possuem mais que a gente.
E se experimentássemos comparar com aqueles que possuem menos?
Isso faria uma grande diferença.
E o tempo passa...
Passamos pela vida, não vivemos.
Sobrevivemos, porque não sabemos fazer outra coisa.
Até que, inesperadamente, acordamos e olhamos pra trás.
E então nos perguntamos: E agora?
Agora, hoje, ainda é tempo de reconstruir alguma coisa,
de dar o abraço amigo, de dizer uma palavra carinhosa,
de agradecer pelo que temos. Nunca se é velho demais
ou jovem demais para amar, dizer uma palavra gentil ou fazer
um gesto carinhoso. Não olhe para trás.
O que passou, passou.
O que perdemos, perdemos. Olhe para frente!
Ainda é tempo de apreciar as flores que estão inteiras ao nosso redor.
Ainda é tempo de voltar-se para Deus e agradecer pela vida,
que mesmo passageira, ainda está em nós. Pense!...
Não o perca mais!...


SEMPRE QUE POSSÍVEL


Onde estejas e por onde passes, sempre que possível,
deixa algum sinal de paz e luz para aqueles irmãos que estão vindo
na retaguarda, a fim de que não se percam do rumo certo.



Espírito: Emmanuel – Médium: Francisco Cândido Xavier da Obra “Agora É O Tempo”


Enviado por Débora Linheiro/BA

SERVIÇO DOS ANJOS

Dediquem dois minutinhos a esta mensagem.
Vale a pena e serve como estímulo para agüentarmos tantas coisas.

Sonhei que fui ao Céu e um anjo me mostrava as diversas áreas lá existentes.

Andamos até que entramos numa sala de trabalho cheia de anjos.
Meu anjo-guia parou frente do primeiro departamento e disse:
Esta é a Seção de Recepção.
Aqui, são recebidas as orações com petições a Deus.

Olhei em volta da área e vi que ela estava tremendamente ocupada com um montão de anjos, pondo em ordem pedidos escritos em volumosas folhas de papel e em bilhetes escritos por pessoas de todo o mundo.
Seguimos então adiante, por um longo corredor, até que chegamos à segunda seção.

O anjo disse:
Esta é a área de Embalagem e Entrega.
Aqui, as graças e bênçãos solicitadas são processadas e entregues às
pessoas vivas que as pediram.

Notei outra vez como estavam todos ocupados ali.
Havia muitos anjos trabalhando intensamente nessa área,
já que tantas bênçãos têm sido solicitadas.

Elas estavam sendo empacotadas para entrega na Terra.

Finalmente, lá no fim do longo corredor, paramos na porta de uma área muito pequena. Para minha grande surpresa, só um anjo estava sentado ali, desocupado, não fazendo nada.

Esta é a Seção de Reconhecimento - disse-me calmamente meu amigo,
que pareceu embaraçado.

Como é isso?
Não há nenhum trabalho acontecendo por aqui, perguntei.

É tão triste. - O anjo suspirou.
Depois que as pessoas recebem as bênçãos que pediram,
poucos enviam confirmação de reconhecimento.

E como se confirma que recebemos as bênçãos de Deus? , perguntei
- Simples , o anjo respondeu. - Basta dizer, Grato, Senhor.

- E quais bênçãos devem ser reconhecidas?

- Se tem alimento em sua geladeira, roupas nas suas costas,
um teto sobre sua cabeça e um lugar para dormir...
Você é mais rico que 75% dos moradores deste mundo.

- Se você tem dinheiro no banco, em sua carteira e algumas moedas sobrando em casa,
você está entre os 8% mais bem sucedidos do mundo!

- E se tem seu próprio computador, você é parte do 1% do mundo que tem essa oportunidade.

- Mas também...
Se você acordou hoje de manhã com mais saúde que doença...
Você é mais abençoado que os muitos que nem sequer sobreviverão a este dia.

- Se você nunca experimentou o temor da batalha, a solidão da prisão,
a agonia da tortura, nem as dores de sofrimento de fome...
Você está à frente de 700 milhões de pessoas no mundo.

- Se podes ir a uma igreja, Mesquita ou Sinagoga, sem o temor de apanhar,
de ser preso, torturado ou sem medo da morte...
Você é abençoado e invejado por mais de três bilhões de pessoas,
que não podem reunir-se com outros de sua fé.

- Se seus pais ainda estão vivos e casados, você é uma raridade.
Se você pode manter sua cabeça erguida e pode sorrir, você não é anormal,
você é um raro exemplo a tantos que estão em dúvida e em desespero. - Bem, e agora?
Como posso começar?

Se você ler esta mensagem, você acaba de receber uma bênção dobrada:

Alguém pensou em você, como um ser muito especial,
e você é mais abençoado que
dois bilhões de pessoas no mundo que absolutamente não sabem ler.

Tenha um bom dia, conte suas bênçãos e, se quiser,
passe esta mensagem a outros, para lembrá-los de como são abençoados.



Ao Departamento de Reconhecimento:
Agradeço-lhe, Senhor, por me dar a capacidade de compartilhar
esta mensagem com tantas pessoas maravilhosas.

(Autor desconhecido)

Enviado por Débora Linheiro/BA

Parábola do Festim de Bodas


Falando ainda por parábolas, disse-lhes Jesus: O reino dos céus se assemelha a um rei que, querendo festejar as bodas de seu filho, - despachou seus servos a chamar para as bodas os que tinham sido convidados; estes, porém, recusaram ir. - O rei despachou outros servos com ordem de dizer da sua parte aos convidados: Preparei o meu jantar; mandei matar os meus bois e todos os meus cevados; tudo está pronto; vinde às bodas. - Eles, porém, sem se incomodarem com isso, lá se foram, um para a sua casa de campo, outro para o seu negócio. - Os outros pegaram dos servos e os mataram, depois de lhes haverem feito muitos ultrajes. - Sabendo disso, o rei se tomou de cólera e, mandando contra eles seus exércitos, exterminou os assassinos e lhes queimou a cidade.
Então, disse a seus servos: O festim das bodas está inteiramente preparado; mas, os que para ele foram chamados não eram dignos dele. Ide, pois, às encruzilhadas e chamai para as bodas todos quantos encontrardes. - Os servos então saíram pelas ruas e trouxeram todos os que iam encontrando, bons e maus; a sala das bodas se encheu de pessoas que se puseram à mesa.
Entrou, em seguida, o rei para ver os que estavam à mesa, e, dando com um homem que não vestia a túnica nupcial, - disse-lhe: Meu amigo, como entraste aqui sem a túnica nupcial? O homem guardou silêncio. - Então, disse o rei à sua gente: Atai-lhe as mãos e os pés e lançai-o nas trevas exteriores: aí é que haverá prantos e ranger de dentes; - porquanto, muitos há chamados, mas poucos escolhidos. (S. MATEUS, cap. XXII, vv. 1 a 14.)
O incrédulo sorri a esta parábola, que lhe parece de pueril ingenuidade, por não compreender que se possa opor tanta dificuldade para assistir a um festim e, ainda menos, que convidados levem a resistência a ponto de massacrarem os enviados do dono da casa. "As parábolas", diz ele, o incrédulo, "são, sem dúvida, imagens; mas, ainda assim, mister se torna que não ultrapassem os limites do verossímil".
Outro tanto pode ser dito de todas as alegorias, das mais engenhosas fábulas, se não lhes forem tirados os respectivos envoltórios, para ser achado o sentido oculto. Jesus compunha as suas com os hábitos mais vulgares da vida e as adaptava aos costumes e ao caráter do povo a quem falava. A maioria delas tinha por objeto fazer penetrar nas massas populares a idéia da vida espiritual, parecendo muitas ininteligíveis, quanto ao sentido, apenas por não se colocarem neste ponto de vista os que as interpretam.
Na de que tratamos, Jesus compara o reino dos Céus, onde tudo e alegria e ventura, a um festim. Falando dos primeiros convidados, alude aos hebreus, que foram os primeiros chamados por Deus ao conhecimento da sua Lei. Os enviados do rei são os profetas que os vinham exortar a seguir a trilha da verdadeira felicidade; suas palavras, porém, quase não eram escutadas; suas advertências eram desprezadas; muitos foram mesmo massacrados, como os servos da parábola. Os convidados que se escusam, pretextando terem de ir cuidar de seus campos e de seus negócios, simbolizam as pessoas mundanas que, absorvidas pelas coisas terrenas, se conservam indiferentes às coisas celestes.
Era crença comum aos judeus de então que a nação deles tinha de alcançar supremacia sobre todas as outras. Deus, com efeito, não prometera a Abraão que a sua posteridade cobriria toda a Terra? Mas, como sempre, atendo-se à forma, sem atentarem ao fundo, eles acreditavam tratar-se de uma dominação efetiva e material.
Antes da vinda do Cristo, com exceção dos hebreus, todos os povos eram idólatras e politeístas. Se alguns homens superiores ao vulgo conceberam a idéia da unidade de Deus, essa idéia permaneceu no estado de sistema pessoal, em parte nenhuma foi aceita como verdade fundamental, a não ser por alguns iniciados que ocultavam seus conhecimentos sob um véu de mistério, impenetrável para as massas populares. Os hebreus foram os primeiros a praticar publicamente o monoteísmo; é a eles que Deus transmite a sua lei, primeiramente por via de Moisés, depois por intermédio de Jesus. Foi daquele pequenino foco que partiu a luz destinada a espargir-se pelo mundo inteiro, a triunfar do paganismo e a dar a Abraão uma posteridade espiritual "tão numerosa quanto as estrelas do firmamento. Entretanto, abandonando de todo a idolatria, os judeus desprezaram a lei moral, para se aferrarem ao mais fácil: a prática do culto exterior. O mal chegara ao cúmulo; a nação, além de escraviza da, era esfacelada pelas facções e dividida pelas seitas; a incredulidade atingira mesmo o santuário. Foi então que apareceu Jesus, enviado para os chamar à observância da Lei e para lhes rasgar os horizontes novos da vida futura. Dos primeiros a ser convidados para o grande banquete da fé universal, eles repeliram a palavra do Messias celeste e o imolaram. Perderam assim o fruto que teriam colhido da iniciativa que lhes coubera.
Fora, contudo, injusto acusar-se o povo inteiro de tal estado de coisas. A responsabilidade tocava principalmente aos fariseus e saduceus, que sacrificaram a nação por efeito do orgulho e do fanatismo de uns e pela incredulidade dos outros. São, pois, eles, sobretudo, que Jesus identifica nos convidados que recusam comparecer ao festim das bodas. Depois, acrescenta: "Vendo isso. o Senhor mandou convidar a todos os que fossem encontrados nas encruzilhadas, bons e maus." Queria dizer desse modo que a palavra ia ser pregada a todos os outros povos, pagãos e idólatras, e estes, acolhendo-a, seriam admitidos ao festim, em lugar dos primeiros convidados.
Mas não basta a ninguém ser convidado; não basta dizer-se cristão, nem sentar-se à mesa para tomar parte no banquete celestial. É preciso, antes de tudo e sob condição expressa, estar revestido da túnica nupcial, isto é, ter puro o coração e cumprir a lei segundo o espírito. Ora, a lei toda se contém nestas palavras: Fora da caridade não há salvação. Entre todos, porém, que ouvem a palavra divina, quão poucos são os que a guardam e a aplicam proveitosarnente! Quão poucos se tornam dignos de entrar no reino dos céus! Eis por que disse Jesus: Chamados haverá muitos; poucos, no entanto, serão os escolhidos.


Allan Kardec. Da obra: O Evangelho Segundo o Espiritismo. Livro eletrônico gratuito em http://www.febnet. org.br. Federação Espírita Brasileira.

Enviado por Francisco Cortizo/BA

VOAR SEMPRE

Por Rejane R.C.Lopes

Passamos uma vida presos, qual pássaros em suas gaiolas!
Medo de amar, de olhar a vida de frente...

E, naquele pequeno espaço, cantamos nossas dores e sonhos!
Muitas vezes, as portas de nossas gaiolas se abrem...
Mas permanecemos ali, acostumados,
encolhidos as nossas vontades e sonhos!

Não tenha dúvida amigo, à primeira oportunidade,
deve alçar o vôo dos falcões, calma, confiante, determinado!
Ame sem medo, brinque um pouco com a vida !

Não tenha medo dos rochedos e sobre eles,
estenda a suas asas corajosas de falcões!

Solte-se ao vento, e deixe-a, levá-la ao sonho!

Como o Condor, tente enxergar as pequeninas coisas a sua
volta e saber apreciá-las, dando um sentido novo a sua vida !

Não seja passarinho de gaiola, mas, Falcões e Condores do céu !

A cada dia existe uma renovação constante,
e nunca um será como o outro...

Não há dores eternas, lágrimas eternas, perdas eternas!

Há sorrisos, esperando-lhe, dias de sol, o abraço dos amigos,
dos filhos e tantos sonhos lindos !

Um amor lhe espera, para com você, voar...voar ..
Porque a vida é um recomeçar diário de um vôo!

E, gaiolas não foram feitas para pássaros...
Tão pouco para Falcões !

Enviado por Débora Linheiro/BA

SILÊNCIO

Aprende com o silêncio a ouvir os sons interiores da sua alma, a calar-se nas discussões e assim evitar tragédias e desafetos...

Aprende com o silêncio a aceitar alguns fatos que você
provocou, a ser humilde deixando o orgulho gritar lá fora,
evitar reclamações vazias e sem sentido...

Aprende com o silêncio a reparar nas coisas mais simples,
valorizar o que é belo, ouvir o que faz algum sentido...

Aprende com o silêncio que a solidão não é o pior castigo, existem companhias bem piores...

Aprende com o silêncio que a vida é boa, que nós só
precisamos olhar para o lado certo, ouvir a música certa,
ler o livro certo.

Aprende com o silêncio que tudo tem um ciclo, como as
marés que insistem em ir e voltar, os pássaros que migram
e voltam ao mesmo lugar, como a Terra que faz a volta
completa sobre o seu próprio eixo, complete a sua tarefa.

Aprende com o silêncio a respeitar a sua vida, valorizar o seu dia, enxergar em você as qualidades que você possui,
equilibrar os defeitos que você tem e sabe que precisa corrigir e enxergar aqueles que você ainda não descobriu.

Aprende com o silêncio a relaxar, mesmo no pior trânsito,
na maior das cobranças, na briga mais acalorada,
na discussão entre familiares...

Aprende com o silêncio a respeitar o seu "eu", a valorizar
o ser humano que você é, a respeitar o Templo que é o seu corpo, e o Santuário que é a sua vida.

Aprende hoje com o silêncio, que gritar não traz respeito,
que ouvir ainda é melhor que muito falar...
E em respeito a você, eu me calo, me silencio,
Para que você possa ouvir o seu interior
Que quer lhe falar,
Desejar-lhe um dia vitorioso e confirmar
Que você é especial.

Enviado por Débora Linheiro/BA

SE..(2)

Se você precisar de descanso, não descanse muito mais que o necessário, porque ferro parado enferruja, água estagnada apodrece...E além disso, talvez, mais tarde, falte tempo para terminar a tarefa da existência... E é trágico demais morrer inacabado.
Se você for alegre e feliz, não ria alto demais, para que a sua gargalhadanão vá tornar mais doloroso o gemido de alguém na casa ao lado.
Se, nas dores, você soluçar, faça-o baixinho, bem no fundo, bem lá dentro,para não apagar algum sorriso no semblante de alguém, no andar de cima.
Se você escorregar na estrada da existência e até mesmo cair mais de uma vez, não fique deitado no solo, clamando o destino, porque lhe falta muito caminho por andar e, além disso, você só vai atrapalhar a passagem dos outros que podem tropeçar no seu corpo caído...E se é triste cair, muito mais triste ainda é levarmos alguém na nossa queda.
Se, algum dia, talvez, você perder a linha e der vazão ao grito, a cólera, a revolta, com ganas de quebrar o mundo ao seu redor, não arrebente tudo,porque atrás de você, vem muita gente ainda que deseja encontraro mundo inteiro e belo.
Se você encontrar a semente ou a muda do raro arbusto da FELICIDADE,não vá plantá-lo em seu quintal todo cercado, mas sim ao lado de um caminho freqüentado para que muitos possam descansar à sua sombra e comer seusfrutos sem pagar.
Mas se encontrar apenas o caminho que leva a esta árvore bendita,não vá por ele sozinho: fique alerta e de pé, a entrada dele,com um braço estendido assim... como uma flecha, dizendo:FELICIDADE, AMIGO?... É POR AQUI!Não se incomode de ficar por último porque todo o que passar a suafrente vai dizer: "Obrigado" e dar-lhe um bom sorriso.
E quando, enfim, você chegar, depois de todos condecorado,iluminado de sorrisos recebidos, verá que os outros estarãoà sua espera para que você entre primeiro.
Autor: Pe. Hélder Salvador de Lima

Enviado por Débora Linheiro

VOCÊ ESCOLHE...

A vida, em si, não ensina!
É você quem decide, a cada momento, se há uma lição a ser aprendida…
Em cada alegria, em cada tristeza, em cada aborrecimento…
Ou desperdiça todos os momentos e vai vivendo aos trancos e barrancos.

Coisas boas e ruins acontecem a todos, indistintamente…
Se não existe o paraíso, podemos construir um oásis de paz,
em nós mesmos, no meio das guerras que as pessoas vivem…
Tudo depende da escolha.

Podemos fugir à tristeza? Não.
Podemos impedir as perdas? Não.
Podemos obrigar que nos amem? Não.
Mas podemos usar os momentos de dor,
frustração e ressentimento para aprender a amar melhor…

Podemos tornar nosso trabalho mais realizador…
Podemos transformar o ódio em perdão…
O ressentimento em compreensão…
Basta tomar essa decisão!
Escolhendo a melhor forma de resolver os conflitos e aprender com eles…

Desafie a você mesmo, criando um artifício para lidar, com o negativo.
Invente um jogo em que ganhe pontos,
diante de situações que você resolva com harmonia,
ou perca pontos se não resistir a se fazer de vítima…
Feche as portas ao automatismo burro…
Ele faz sofrer e nos torna refém.
Podemos ser, hoje, melhores do que ontem.

Cabe a você, somente a você, escolher se os acontecimentos de ontem,
hoje e amanhã, serão usados para torná-lo uma pessoa melhor…

Qual será sua escolha hoje?

(Autor desconhecido)
Enviado por Débora Linheiro/BA

domingo, 27 de setembro de 2009

PRÓXIMA PALESTRA

Caros amigos,

Venho através desta convidar para uma oportunidade de nos revermos no dia 03/10/09 às 17 h no CENTRO ESPÍRITA SEMEADORES DO AMOR localizado na Av.Praia de Tramandai, lote 01 quadra E01 - Vilas do Atlantico - Lauro de Freitas - Bahia.


O tema será OS MANSOS DE CORAÇÃO E OS POBRES DE ESPÍRITO.


O ponto de referência é entrando no Portal de Villas do Atlântico,passa do Gelaguela na Rua Praia de Itapuã(um lugar que depois podemos comer um gostoso crepe ou tomar um delicioso sorvete,ou degustar um sanduba com suco) e entra proximo do Posto de Combustível,depois do Clube do Cavalo. Quaquer dúvida me escreva ou ligue para meu telefone celular.É legal que conheçamos outros Centros Espíritas e para você que mora aí perto,venha bater um papo! Nossa anfitriã e amiga Ana Maria é uma pessoa adorável.
Conhecer os Centros e divulgá-los faz parte da UNIFICAÇÃO e da UNIÃO da Doutrina Espírita.
(Clic na figura para ampliá-la)

EU NÃO MERECIA....








"...Por que uns nascem na miséria e outros na opulência, sem nada terem feito para justificar essa posição? Por que para uns nada dá certo, enquanto que para outros tudo parece sorrir?..."
"...As vicissitudes da vida têm, pois, uma causa, e, uma vez que Deus é justo, essa causa deve ser justa. Eis do que cada um deve compenetrar-se bem..."
(Cap.V, item 3 do ESE)


Assumir total responsabilidade por todas as coisas que acontecem em nossa vida, incluindo sentimentos e emoções, é um passo decisivo em direção a nossa maturidade e crescimento interior.

A tendência em acusar a vida, as pessoas, a sociedade, o mundo enfim, é tão antiga quanto o gênero humano; e muitos de nós crescemos aprendendo a raciocinar assim, censurando todos e tudo, nunca examinando o nosso próprio comportamento, que na verdade decide a vida em nós e fora de nós.

Assimilamos o "mito de vitimismo" nas mais remotas religiões politeístas, vivenciadas por todos nós durante as várias encarnações, quando os deuses temperamentais nos premiavam ou castigavam de conformidade com suas decisões arbitrárias. Por termos sido vítimas nas mãos dessas divindades, é que passamos a usar as técnicas para apaziguar as iras divinas, comercializando favores com oferendas a Júpiter no Olimpo, a Netuno nas atividades do oceano, a Vênus nas áreas afetivas e a Plutão, deus dos mortos e dos infernos.

Aprendemos a justificar com desculpas perfeitas os nossos desastres de comportamento, dizendo que fomos desamparados pelos deuses, que a conjunção dos astros não estava propícia, a lua era minguante e que nascemos com uma má estrela.

Ainda muitos de nós acreditamos ser vítimas do pecado de Adão e Eva e da crença de um deus judaico que privilegia um povo e despreza os outros, surgindo assim a idéia da hegemonia divina das nações.

As pessoas que acreditam ser "vítimas da fatalidade" continuam a apontar o mundo exterior como culpado dos seus infortúnios. Recusam absolutamente reconhecer a conexão entre seus modos de pensar e os acontecimentos exteriores. São influenciadas pelas velhas crenças e se dizem prejudicadas pela força dos hábitos, pelas cargas genéticas e pela forma como foram criadas, afirmando que não conseguem ser e fazer o que querem. Não sabem que são arquitetos de seu destino, nem se conscientizam de que o passado determina o presente, o qual, por sua vez, determina o futuro.

A vítima sente-se impotente e indefesa em face de um destino cruel. Sem força nem capacidade de mudar, repetidas vezes afirma: "Eu não merecia isso", "A vida é injusta comigo", nunca lhe ocorrendo, porém, que o seu jeito de ser é que materializa pessoas e situações em sua volta.

Defendem seus gestos e atitudes infelizes dizendo: "Meus problemas são causados por meu lar", "Os outros sempre se comportam desta forma comigo". Desconhecem que as causas dos problemas somos nós e que, ao renascermos, atraímos esse lar para aprendermos a resolver nossos conflitos. São os nossos comportamentos interiores que modificam o comportamento dos outros para conosco. Se somos, pois, constantemente maltratados é porque estamos constantemente nos maltratando e/ou maltratando alguém.

Ninguém pode fazer-nos agir ou sentir de determinada maneira sem a nossa permissão. Outras pessoas ou situações poderão estimular-nos a ter certas reações, mas somente nós mesmos determinaremos quais serão e como serão essas reações. As formas pelas quais reagimos foram moldadas pelas experiências em várias vidas e sedimentadas pela força de nossas crenças interiores – mensagens gravadas em nossa alma.

Portanto, precisamos assumir o comando de nossa vida e sair do posicionamento infantil de criaturas mimadas e frágeis, que reclamam e se colocam como "vítimas do destino”.

Admitir a real responsabilidade por nossos atos e atitudes é aceitar a nossa realidade de vida - as metas que alteram a sina de nossa existência. Em vez de atribuirmos aos outros e ao mundo nossas derrotas e fracassos, lembremo-nos de que "as vicissitudes da vida têm, pois, uma causa, e, uma vez que Deus é justo, essa causa deve se justa".


Hammed - Renovando Atitudes

Médium Francisco do Espírito Santo Neto



Enviado por Marluce Faustino/RJ

DIA 28

Por Manoel Trajano,
27/09/09
Dia 28/09 está chegando e o que será que ele tem de tão especial? Faltam 2 meses para meu aniversário e tem sido uma das datas mais importantes de minha vida. Nela celebrei,vivi,testemunhei vários passos de algo que vinha crescendo,surgindo,brilhando e se superando.28/09 foi uma data de prematuridade,que por dois meses não compartilhou comigo de uma data especial:28/11.
A prematuridade foi uma benção divina na vida de uma família gerado por um sopro de amor.Sopro esse que deveria estar limpo de fumaça e componentes do cigarro que mata.Essa prematuridade veio acompanhada de uma sensibilidade que foi além da pleura fina e delicada dos pulmões cujo sopro veio acopanhado de uma capacidade incondicional de amar,no abandono de um vício. A sensibilidade cresceu,na forma de mulher,cujo senso de justiça se fez em forma de luta,determinação e inteligência.
A primogênita de um trio de flores defendia e amava quem ameaçasse a integridade da união familiar sustentada por pais exemplares de valores que a sociedade hoje desconhece.2 meses parecia precipitação,mas foi sabedoria pois Deus não erra e antecipou a reencarnação de uma luz divina em forma de rosa cujas pétalas não possuem espinhos,mas ela precisava conviver com roseiras mais agrestes para se defender dos obstáculos da vida em forma de tempestades,de chuvas,de simulaçôes daqueles que pareciam do bem. Seu choro de dor e emoção mexia com os mais endurecidos a rever suas atitudes.
Não por acaso essa rosa veio com o dom espiritual do auxílio,da doutrinação e com mãos de luz cujo passe acalma,revitaliza,sereniza,alimenta e a faz crescer,claro,com a presença do seu anjo da guarda amoroso e de sua "mãezinha invisível". A rosa encontrou um cravo,não bem embaixo de uma sacada,mas na rede do abstrato e do imaginário,cujo mundo real se apresentou meses depois.
O Cravo brigou com a rosa
Debaixo de uma sacada
O Cravo ficou ferido
E a Rosa despedaçada
O Cravo ficou doente
A Rosa foi visitar
O Cravo teve um desmaio
A Rosa pos-se a chorar
Vários dias 28/09 passaram e com eles momentos inesquecíveis. Não estou mais presente fisicamente nestes momentos mas o importante "é que emoções eu vivi". Faço votos de que sempre seja um dia iluminado de muita paz,saúde,crescimento,harmonia,luz e prosperidade no meio em que está inserido,nas pessoas que estão envolvidas e principalmente quem está a frente do significado desta data que há mais de três décadas ilumina espíritos de luz encarnados e desencarnados pelo exemplo de dignidade,presença e companheirismo.

SE...

Se a provação te aflige, Deus te conceda paz.
Se o cansaço te pesa, Deus te sustente em paz.
Se te falta a esperança, Deus te acrescente a paz.
Se alguém te ofende ou fere, Deus te renove em paz.
Sobre as trevas da noite,
O Céu fulgura em paz
Ama, serve e confia.
Deus te mantém em paz.


Autoria: Emmanuel

Enviado por Débora Linheiro

Porque não lembramos de vidas passadas?


Não lembramos das vidas passadas e nisso está a sabedoria de Deus.
Se lembrássemos do mal que fizemos ou dos sofrimentos que passamos,
dos inimigos que nos prejudicaram ou daqueles a quem prejudicamos,
não teríamos condições de viver entre eles atualmente.
Pois, muitas vezes, os inimigos do passado hoje são
os nosso filhos, nossos irmãos, nossos pais, nossos amigos,
que presentemente se encontram junto de nós para a reconciliação.

Por isso, existe a reencarnação.
Certamente, hoje estamos corrigindo erros praticados contra alguém,
sofrendo as conseqüências de crimes perpretados,
ou mesmo sendo amparados,auxiliados por aqueles que,
no pretérito, nos prejudicaram.
Daí a importância da família, onde se costumam reatar
os laços cortados em existências anteriores.
A reencarnação, desta forma, é a oportunidade de reparação,
como também, oportunidade de devotarmos nossos esforços
pelo bem dos outros, apressando nossa evolução espiritual.
Quando reencarnamos, trazemos um "plano de vida",
compromissos assumidos perante a espiritualidade
e perante nós mesmos, e que dizem respeito à reparação
do mal e à prática de todo o bem possível

Texto: Autoria Desconhecido


Enviado por Débora Linheiro

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

DOMINGO ESPECIAL 27 de Setembro de 2009

A Emissora do Bem na Internet - http://www.radiofraternidade.com.br/

24 horas levando a mensagem do BEM, colaborando na construção de um MUNDO MELHOR.
E você pode ajudar! DIVULGUE - A EMISSORA DO BEM!
--------------------------------------------------------------


Você pode acessar a Web Rádio Fraternidade no seu aparelho de rádio veja como http://www.radiofraternidade.com.br/fraternidade/index/detalheNoticia/15


00h30 – Seminário – Workshop Sexo e Obsessão (Duração:04h15)Expositor: Divaldo Franco

05h – REPRISE DO PROGRAMA
O CULTO DO EVANGELHO NO LAR
Horário: Sábados 14 horas
Gravação: domingo 20h30 (veja como participar clicando http://www.radiofraternidade.com.br/fraternidade/index/download )


6h – Encontro Fraterno (FEEGO)– (Duração: 1h)
Programa vai ao ar também nos seguintes dias e horários:
Terça-feira: 02h (madrugada) / sexta-feira: 19h

7h - Programa Aos Pés do Monte (duração 1h)
Estudo das Parábolas de Jesus
Programa vai ao também quarta-feira 20h

8h – Reprise do Estudo Sistematizado do Livro dos Espíritos
Aula 24 – Lei de Adoração. Produção Sociedade Espírita Joana De Ângeles (http://blogdaseja.blogspot.com)- (duração: 1h). Programa vai ao ar: QUARTA -22H5 – QUINTA-FEIRA – 9H5 e DOMINGO: 8H
Estudo de O Livro dos Espíritos Produzido pelo S.E.J.A – Ribeirão Preto (SP)
Expositora: Maria José Mundim Moreira

9h - Programa Pão da Vida –
Programa 25 – Tema: AVE CRISTO
Sexta-feira (edição inédita): 20h5
Reprises
Sábado: 22h05 / Domingo: 09h05 e 21h05 / Segunda-feira: 10h05
Terça-feira: 19h05 / Quarta-feira: 05h05 / Quinta-feira: 21h15
http://www.aveluz.com.br/cristianizar/?p=39

10h – Seminário –Sexualidade e Evangelização - FEDF (Duração:2h40)
Expositor: Alberto Almeida
MÚSICAS

15h - Seminário - DIÁLOGO COM OS ESPÍRITOS – (Duração: 1h40
Expositora: Suely Caldas


18h - Reprise do Programa Fonte Viva de Luz
Veiculado aos sábados o programa estuda o Livro dos Espíritos e O Evangelho Segundo o Espiritismo.Horários deste programa na semana: sábado: 19h5 / domingo: 18h5 / Segunda-feira:17h5 / Terça-Feira: 10h5 / Quarta-feira:2h5 / quinta-feira: 14h5 / Sexta-feira: 20h5

19h30 – Nossos Registros Mediúnicos (Duração: 1h18)
Expositor: Raul Teixeira

21h - Programa Pão da Vida –
Programa 25 – Tema: AVE CRISTO
Sexta-feira (edição inédita): 20h5
Reprises Sábado: 22h05 / Domingo: 09h05 e 21h05 / Segunda-feira: 10h05
Terça-feira: 19h05 / Quarta-feira: 05h05 / Quinta-feira: 21h15
http://www.aveluz.com.br/cristianizar/?p=39

21h30 - Programa Elucidações Espíritas (1h30)
Expositor: Valmir Messias
Tema: A Fé que Transporta Montanhas

PALESTRAS DA SEMANA – 28/09 a 03/10/09
De segunda a sábado em quatro horários:

PALESTRA 4 - 03h5 – madrugada
Tema: Jesus o Maior Psicólogo do Mundo
Expositor: Nazareno Feitosa

PALESTRA 1 - 8h5
Tema: Ciência e Espiritismo
Expositor: Divaldo Franco

PALESTRA 2 - 13h5
Evangelho e Vida - O Poder da Oração
Expositor – Divaldo Franco


PALESTRA 3 - 23h5
TEMA: A Busca da Felicidade
Expositor: Raul Teixeira


Seguem nossas vibrações de paz e amor....
Que Jesus possa iluminar você hoje e sempre!

Fraternalmente,

Rubens de Castro - Jornalista
Rádio Fraternidade
Uberlândia-MG
faleconosco@radiofraternidade.com.br

O CHEIRO

Inicando as SÉRIE DOS SENTIDOS aqui na Rede CEIA/Grupo Irmãos de Luz, vamos discorrer hoje sobre o CHEIRO. Sentido esse que funciona através das narinas,partes internas do nosso nariz,uns maiores outros menores,outros tortos,outros cumpridos e que foi objeto de histórias da literatura infantil clássica como Pinóccio,abordada inclusive na modesta Palestra "MENTIRA" de autoria de quem vos escreve.
Os animais em geram cheiram,uns de um jeito outros de outro.Cheiros para identificar e reconhecer,cheiros para acariciar,cheiros exalados para espantar preadores,cheiros para atrair o parceiro para o acasalamento. Cheiro com objetivo de procriar,cheiro com objetivo de seduzir.Assim como os demais sentidos,este é nobre e pode envolver e ser envolvido. Nós,seres humanos,podemos nos apaixonar pelo cheiro,não do perfume comprado que se usa mas do cheiro natural. Nem todo Cheiro é descritível mas perceptível pelo cérebro,como feromônios.O cheiro prende ou afasta,assusta ou desperta e cada um tem seu gosto.
Na mediunidade fala-se muito da psicofonia(falar),da clariaudiência(ouvir),psicografia(escrever),sensitividade(perceber presença,e é diferente de sensibilidade),efeito físico,entre outras mas pouco se fala de sentir o cheiro como de rosas por exemplo,como bem faz Irmã Scheilla em algumas situações especiais. Sentir o cheiro de éter quando da ação de médicos espirituais que curam feridas.
Que dizer do vinho,da enologia, que sem o cheiro as papilas gustativas ficam sem sentido.O mesmo vale para um beijo,um abraço,seja de amigo,familiar ou afeto,ou seja,empobrece a química,a física,a metafísica....
Sou daqueles que adorava Cheiro de Amor no Carnaval de Salvador,principalmente quando jogava água de cheiro de jatos do Trio Elétrico(hoje tá proibido mas desconheço qualquer caso de alergia ou mal estar) nas décadas de 80 e 90 do século passado(é isso mesmo,ja estamos em outro século e eu sou novo....risos). Fiz até uma homenagem no meu site de letras(http://letrasquemarcam.blogspot.com) . Cheiro de Amor. Amor é vida! No sexo de quem se ama,o cheiro transpira,o cheiro exala,o cheiro prende,o cheiro marca e cada relacionamento é diferente do outro. Jamais alguém pode dizer que a química com um é igual a do relacionamento anterior,afinal naturalmente e sem querer"comparamos" desde a adolescência quando nossos hormônios estão no pico desde a autodescoberta e a descoberta da sexualidade. Tô mentindo? Sim,falo em feromônios,em hormônios,em instinto porque somos animais sim,embora algumas pessoas recusem essa idéia ou não admitam porque raciocinamos,temos inteligência. Isso é relativo e digno de estudo pois os animais,inclusive,na espiritualidade tem contrariado nossos conceitos ultrapassados e ficaremos surprendidos se lermos um pouquinhos sobre o assunto e videos tem rolado na internet de animais que salvam filhotes de outros e tratam como os seus.Impressionante e emocionante.
A pele,o maior órgão do corpo humano e que tanto tratamos mal com excesso de sol,perfumes,piercings e tatuagens que ficam impregnados no perispírito,tem seu prórprio cheiro quando bem cuidada e higienizada e principalmente quando provocada no carinho,no afago,no abraço,no consolo.
Pelo cheiro se reconhece,se emancipa,se completa,se identifica e se fideliza. Pelo cheiro se transcende,se liga e se expande.
Um cheiro para você!
Manoel Trajano,25/09/09

PRIMEIRO GRUPO DE ESTUDO ESPÍRITA IRMÃOS DE LUZ

Iniciou-se nesta quinta-feira,dia 24/09/09 o Grupo 1 de Estudo Espírita Irmãos de Luz. O Grupo formado por Trajano,Cláudia,Andréa,Vanessa,Kátia,Francisco e Glória. Muita alegria e descontração voltaram a ser a marca registrada depois do II Encontro do Grupo realizado no dia 19/09/09. Mas na hora da seriedade todos demonstraram comprometimento,concentração e respeito ao momento de crescimento frente as obras de Alan Kardec e Chico Xavier.Foi o primeiro de muitos encontros e o amparo da Espiritualidade Maior foi identificado e visto com muita emoção(literalmente).
Foi o primeiro de muitos encontros e lições ficaram para a casa com o início de muitas dúvidas que virão. O Estudo da Doutrina,assim como o Evangelho do Lar,os Cursos Básicos,os Cursos de Formação,a Evangelização Infanto-Juvenil são recursos previstos na Literatura Kardequiana e nas demais respeitadas da literatura espírita visando o crescimento do ser,principalmente com sua aplicação na prática.
Mãos à obra!
"Espíritas! Em primeiro lugar vos digo,amai-vos
Em segundo lugar,instrui-vos"
Espírito da Verdade

Em Boa Lógica


Quem alimenta o ódio, atira fogo ao próprio coração.
*
Quem sustenta o vício, encarcera-se nele.
*
Quem cultiva a ociosidade, faz neve em torno de si.
*
Quem se encoleriza, é inquisidor da própria alma.
*
Quem estima a censura, lança pedras sobre si mesmo.
*
Quem provoca situações difíceis, aumenta os obstáculos em que se encontra.
*
Quem se precipita no julgar, é sempre analisado à pressa.
*
Quem se especializa na identificação do mal, dificilmente verá o bem.
*
Quem não deseja suportar, é incapaz de servir.
*
Quem vive colecionando lamentações, caminhará sob a chuva de lágrimas.


Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Agenda Cristã. Ditado pelo Espírito André Luiz. Rio de Janeiro, RJ: FEB.
Enviado por Francisco Cortizo/BA

Tristeza Perturbadora


Conquanto brilhe o sol da oportunidade feliz, abrindo campo para a ação e para a paz, a sombra teimosa da tristeza envolve-te em injustificável depressão.
Gostarias de arrancar das carnes da alma este espinho cravado que te faz sofrer, e, por não o conseguires, deixas-te abater.
Conjecturas a respeito da alegria, do corpo jovem, dos prazeres convidativos, e lamentas não poder fruir tudo quanto anelas.
A tristeza, porém, é doença que, agasalhada, piora o quadro de qualquer aflição.
A sua sombra densa altera o contorno dos fatos e das coisas, apresentando fantasmas onde existe vida e desencanto no lugar em que está a esperança.
Ela responde pela instalação de males sutis que terminam por desequilibrar o organismo físico e a maquinaria emocional.
*
Luta contra a tristeza, reeducando-te mentalmente.
Não dês guarida emocional às suas insinuações.
Ninguém é tão ditoso quanto supões ou te fazem crer.
A Terra é o planeta-escola de aprendizes incompletos, inseguros.
A cada um falta algo, que não conseguirá conquistar.
Resultado do próprio passado espiritual, o homem sente sempre a ausência do que malbaratou.
A escassez de agora é conseqüência do desperdício de outrora.
A aspiração tormentosa é prova a que todos estão submetidos, a fim de que valorizem melhor aquilo de que dispõem e a outros falta.
Lamentas não ter algo que vês noutrem, todavia, alguém ambiciona o que possuis e não dás valor.
Resigna-te, pois, e alegra-te com tudo quanto te enriquece a existência neste momento.
Aprende a ser grato à vida e àqueles que te envolvem em ternura, saindo da tristeza pertinaz para o portal de luz, avançando pelo rumo novo.
*
Jesus, que é o "Espírito mais perfeito" que veio à Terra, sem qualquer culpa, foi incompreendido, embora amando; traído, apesar de amar, e crucificado, não obstante amasse...
Desse modo, sorri e conquista o teu espaço, esquecendo o teu espinho e arrancando aquele que está ferindo o teu próximo.
Oportunamente, descobrirás que, enquanto te esqueceste da própria dor, lenindo a dos outros, superaste-a em ti, conseguindo a plenitude da felicidade, que agora te rareia.


Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Momentos de Coragem. Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis. Salvador, BA: LEAL.
Enviado por Francisco Cortizo/BA

SOLIDÃO

Por Jordan van der Zeijden Campos
Estava voltando para casa esta semana quando parado fiquei em um longo engarrafamento. Algo deveria ter acontecido, pois não era normal que às 22h aquela avenida estivesse assim numa quinta-feira simples. Os ânimos estavam alterados, aliás, como em qualquer evento que pareça tirar um segundo da rotina deste povo de meu planeta Terra. A ansiedade estava num processo perigoso e acelerado em toda esta gente. Todos assaltados por pensamentos ansiosos e antecipatórios, e sempre insatisfeitos com tudo. Não importava se tinham um bom emprego, queriam mais; se tinham uma boa família, procuravam sempre algo para servir de desculpa em suas escapulidas... Um quadro repetitivo e vazio. E que aos poucos por falta de solução, somatizava as conhecidas síndromes psiquiátricas na mente. Depressão, pânico, TOC, transtornos alimentares – todos prolongamentos distintos de um mesmo agente: a ansiedade. Mas de onde vinha esta ansiedade? – Essa era a pergunta recorrente em meu consultório e em eventos que participava. Culpavam a mídia, a globalização, as exigências de mercado, o ritmo acelerado. Não estavam errados, mas também não totalmente certos. Eu havia depois de anos estudando o assunto e levando à prática, observado que todas estas pessoas tinham algo muito em comum: sofriam de solidão. Uma solidão profunda. E solidão não é falta de gente para sair, namorar ou fazer sexo, isto é carência, e carência não é solidão. Solidão também não é o sentimento experimentado pelas pessoas que estão longe ou pelas que já se foram e não podem voltar, isto é saudade e saudade não é solidão, embora muito confundida com esta. Muitas vezes nos impomos um tempo íntimo e nos afastamos para reorganizar a mente e respirar um pouco, e isso é busca de equilíbrio e jamais solidão. Outras vezes o destino nos coloca, sem perguntar se queremos, num claustro involuntário como lagartas em casulos, e isso é uma lei da natureza. Falta de gente ao lado é simplesmente um momento, um detalhe. Solidão é muito mais simples e duro que isso, é quando nos desconectamos com nossa própria alma e procuramos desesperadamente pelo nosso EU. Solidão é ausência do EU. É quando dentro de nós não existe mais esta identidade e ficamos ansiosos a procurar algo que possa fechar este buraco.

Procuramos em ocupações, em compras, em paixões vazias e príncipes encantados e soluções que caiam milagrosamente do céu e nos enganamos em todos os beijos e camas que deitamos, produzindo assim uma doença de solidão que a depender do mapa mental de cada um fica representada com a classificação moderna das síndromes psiquiátricas. É como se cem pessoas estivessem dentro de uma sala fechada e lá fosse lançado um agente alérgico. Destas cem, setenta nada sentiriam. Dez sentiriam muita coceira, dez começariam a espirrar, cinco sentiriam falta de ar, três sentiriam os olhos arderem e muita dor de cabeça e duas entrariam em choque anafilático. O mesmo agente levando a uma repercussão diferente em cada ser. Assim é a solidão como agente alérgico. Ela invade aquele ambiente e provoca a sensação de algo errado que é a ansiedade, e logo depois alguns desenvolvem depressão, outros pânico, transtornos alimentares e TOC. Poucos podem pirar mesmo e cometer um suicídio.
A teologia explica que a solidão é a falta de Deus em nós, que precisamos dele para nos sentir completos. A sociologia explica que quando o indivíduo não corresponde às expectativas das normas sociais vigentes em sua cultura, este ser fica a par da sociedade e desenvolve uma solidão social. A psicologia ortodoxa enxerga que problemas no comportamento e na formação da personalidade fazem o ser se sentir só, complexo, traumático e desenvolver a solidão. A filosofia é um tanto mais radical e diz que nascemos sós e vamos morrer a sós, e que nada adianta se fazer como perda de tempo – devemos aceitar nossa solidão e viver com ela.
Na era atual podemos entender que de tudo isso há uma vertente real, e que se olharmos profundamente a solidão não é falta de alguém ou de algo; é sim falta de si mesmo – falta de identidade. Perdida em alguma circunstância traumática e dolorosa, talvez muito antes de nós mesmos como nomeados em nossas carteiras de identidade. Carregamos uma solidão congênita, que pode ser na memória biológica de nossos ancestrais ou na memória espiritual de outras vidas. Mortes mal morridas desenvolvem uma sub-personalidade de solidão, o espírito fica perdido no momento da morte e não consegue se guiar ou ser guiado, não entende e não aceita aquela morte e se sente traído por Deus e por ele mesmo nas suas crenças imediatistas e provisórias. O destino compulsório impõe outra existência a este ser como prova de amor e continuidade, mas um simples fator traumático, como um parto complicado, por exemplo, evoca a memória da sub-personalidade. Outras pessoas são vítimas de tragédias, de guerras, onde todos morreram e elas ficaram sós. De abandonos profundos que levaram à morte. De prisões em sentimentos, objetos e circunstâncias. E precisam ‘voltar lá’ e reconectar a experiência para trazerem de volta o seu Eu. Hoje temos solidões químicas também, onde as drogas o álcool e os vícios produzem um adeus à identidade e ocupam este lugar provocando a dependência e muitas vezes a morte social e real. Sempre que colocarmos a nossa felicidade em algo ou alguém, estamos prontamente justos a fracassar. Pois tudo pode nos decepcionar, até nos mesmos! Digo com firmeza que a síndrome do pânico ou qualquer transtorno de raiz ansiosa começa na solidão, ou na falsa completude. Quando a ‘ficha começa a cair’ o corpo assusta e o tal ‘vômito mental’ chega e desesperamos. Toda pessoa que desenvolve a crise deve parar e perceber que sente solidão. Talvez seja uma daquelas com a ‘síndrome do eterno insatisfeito’, mascarando a imensa dor que sentem pela falta de si mesmos. Solidão, solidão... Solidão.

Cheguei ao final do engarrafamento e muitos solitários voltaram para as suas casas cheias, mas vazias. Andavam em bando, mas eram sós.
Forjavam um verniz de potência sobre tudo – alicerce de vidro.


Mundo Espiritual


O homem compõe-se de corpo e Espírito: o Espírito é o ser principal, racional, inteligente; o corpo é o invólucro material que reveste o Espírito temporariamente, para preenchimento da sua missão na Terra e execução do trabalho necessário ao seu adiantamento. O corpo, usado, destrói-se e o Espírito sobrevive à sua destruição. Privado do Espírito, o corpo é apenas matéria inerte, qual instrumento privado da mola real de função; sem o corpo, o Espírito é tudo: a vida, a inteligência. Em deixando o corpo, torna ao mundo espiritual, onde paira, para depois reencarnar.
Existem, portanto, dois mundos: o corporal, composto de Espíritos encarnados; e o espiritual, formado dos Espíritos desencarnados. Os seres do mundo corporal, devido mesmo à materialidade do seu envoltório, estão ligados à Terra ou a qualquer globo; o mundo espiritual ostenta-se por toda parte, em redor de nós como no Espaço, sem limite algum designado. Em razão mesmo da natureza fluídica do seu envoltório, os seres que o compõem, em lugar de se locomoverem penosamente sobre o solo, transpõem as distâncias com a rapidez do pensamento. A morte do corpo não é mais que a ruptura dos laços que os retinham cativos.


Allan Kardec. Da obra: O Céu e o Inferno. 112 edição. Livro eletrônico gratuito em http://www.febnet. org.br. Federação Espírita Brasileira.

Enviado por Francisco Cortizo/BA

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Renascer


O transitório esquecimento do passado facilita os recomeços, ensejando mais amplas possibilidades ao entendimento e à cordialidade. Lembrasse-se o Espírito dos motivos da antipatia ou do amor, vincular-se- ia apenas aos seres simpáticos, afastando-se daqueles por quem se sentiu prejudicado, complicando, indefinidamente, a libertação das causas infelizes do fracasso.
Assim, o filho revel retorna na condição de pai, a esposa ultrajada volve como mãe abnegada, o criminoso odiento reinicia ao lado da vítima antiga, o infrator da existência física, autocida, reencarna com as limitações que ocasionou, mediante o atentado perpetrado contra a organização somática. A cerebração mal aplicada redunda em idiotia irreversível e a impiedade, o ultraje, o abuso de qualquer natureza constróem o suplício da miséria, física ou moral, como medida educadora de que necessita o defraudador.
*
Seja qual for a situação em que te encontres, agradece a Deus a atual conjuntura expiatória ou provacional, utilizando-te do tempo com sabedoria e discernimento, de modo a construíres o futuro, desde que o presente se te afigure afligente ou doloroso.
O que hoje possuis vem de ontem, podendo edificar para o amanhã, através do uso que faças das faculdades ao teu alcance.
Qualquer corpo, mesmo quando mutilado ou limitado, assinalado por enfermidades ultrizes e rigorosas, constitui concessão superior que a todos cabe zelar e cultivar, desdobrando recursos e entesourando aquisições, mediante os quais poderá planar logo mais nas Regiões Felizes, livre dos retornos dolorosos e recomeços difíceis.


Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Estudos Espíritas. Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis. FEB.


Enviado por Francisco Cortizo/BA

Companhia do Amor

Escrito por Wagner Borges
Entrevista com dois espíritos da Companhia do Amor, que falam sobre vida e espiritualidade.


- Como vocês estão hoje?

Resposta: A morte não mata nada!
Do lado de cá é fácil de compreender isso, mas, aí, do lado de vocês, é muito difícil, devido aos condicionamentos e limites do plano físico. Principalmente para quem só vê o corpo físico e acha que é tudo. Quem se acostuma a tocar no corpo e a valorizar só o que é da carne, padecerá de sérios problemas depois, quando frente a frente com a realidade extrafísica.
Muitos espíritos vagam apegados ao plano denso e aos seus despojos físicos, por causa da hipnose sensorial a que se deixaram levar durante a vida. Repetiram, muitas vezes, para si mesmos e para os outros, que nada mais havia além da matéria. Então, após o desenlace final da carne, se viram num meio espiritual e sem o corpo físico. E isso fez com que vários deles surtassem! Ficaram perdidos em si mesmos. Eram tontos dentro do corpo e, agora, também estavam tontos fora dele.
Quem só vê o corpo, perde a alma! E depois grita, quando o corpo se vai... Sem saber o que fazer e como viver.

- E isso não tem a ver com o próprio nível de maturidade espiritual da pessoa?

Resposta: Sim, e cada um é responsável pelo que busca na vida. Cada Ser é o que é! E o seu corpo espiritual revela tudo o que está dentro dele mesmo, pelas energias e sua irradiação. Por seus pensamentos e sentimentos, revelam-se a luz ou as trevas, que carrega em seu perímetro vital. O espírito só leva para fora do corpo o que ele é, nem mais nem menos. Não é a morte que muda o seu grau de maturidade. Ela só o joga para fora do físico, nada mais. O que muda a consciência são as experiências vivenciadas e assimiladas adequadamente. Aliás, é para isso que os espíritos reencarnam, justamente para vivenciar as experiências necessárias ao seu aprimoramento consciencial.
Contudo, muitos espíritos se encontram apegados, mesmo tendo passado por várias experiências e sabendo que eles não são o corpo. O caso deles não é questão de falta de informação, muito pelo contrário. Trata-se de teimosia crônica! Sabiam das coisas, mas fingiam não saber. Podiam ir para cima, mas fizeram questão de chafurdar na lama. Não são ignorantes, são tontos! Alguns até conheciam o lado espiritual das coisas, mas se entupiam de emoções, a tal ponto que acreditavam nelas fortemente, cristalizando, assim, os pensamentos e sentimentos em ilusões variadas. São tontos, sim! E muitos deles até mesmo zombavam dos amigos e entes queridos que se envolviam em estudos de temas espirituais.
Meu rapaz, o mundo está cheio de tontos. E o Astral também! Sorte que o Papai do Céu é generoso e paciente, e sempre envia espíritos de luz para soltar esse pessoal das peias da ilusão além da carne. Mas, alguns espíritos são turrões demais e, com isso, evidenciam, além do corpo, que o problema estava neles mesmos. E, se nem a morte deu jeito em sua teimosia, só mesmo o Dr. Carma, auxiliado pelo Dr. Tempo e pela Dona Dor é que resolverão o caso deles.
Pelas sábias leis de causa e efeito, e da reencarnação, “o cabeça dura de hoje será o cabeça mole de amanhã”. Ah, isso é certo!

- Fazer preces ajuda esse pessoal apegado?

Resposta: Se prece ajudasse a eliminar teimosia e arrogância, não haveria nenhum fanático religioso na Terra. As preces ajudam a quem quer melhorar. Quem não quer, está fechado em si mesmo e inacessível à Luz. Teimosia cria crostas energéticas na pessoa. E arrogância torna o seu coração impermeável ao bom senso e às coisas da Luz. Dentro do corpo, ou fora dele, não importa! Cada um é o que é. Teimoso e tonto aqui, teimoso e tonto além...
E, em contrapartida, generoso e lúcido aqui, generoso e lúcido além...
Prece é sintonia. E prece de agradecimento é linda! E fica mais linda ainda, quando se ora pelo bem de todos os seres, incondicionalmente.

- Como fazer para apaziguar as emoções e sentir-se em paz?

Resposta: Você não espera que tenhamos uma resposta padrão para isso, não é?
A palavra chave aí se chama “equilíbrio”. Tudo o que leva o Ser aos seus extremos, rouba-lhe a paz de espírito. Tudo o que prejudicar aos outros, drenará a luz do seu coração. Tudo o que aproximá-lo das trevas e do esquecimento de si mesmo, fatalmente o levará de encontro com o vazio consciencial e a dor, seja ela física ou psíquica.
Então, que cada um procure fazer o melhor possível, de acordo com a Luz e o bem comum. A tarefa de conhecer-se a si mesmo não é fácil, mas é portentosa. E lindo é o coração que brilha por bons propósitos. E isso não vem da carne, mas do valor do espírito.
E, para não perder a oportunidade, vale lembrar que o perdão enche o Ser de luz. Perdoar é lindo, mas, desde que com o coração e de forma incondicional.
Quem perdoa, cresce muito!

- E as saídas do corpo? Vocês podem passar alguns toques sobre esse tema?

Respostas: Claro. É uma de nossas especialidades. Isso hoje, porque, quando dentro da carne, igual à maioria, nada sabíamos sobre isso. Já do “Lado de Cá”, observamos que essa capacidade do Ser estava subdesenvolvida e, por isso, nos aprofundamos nisso, como espíritos livres buscando planos acima, no infinito do Papai do Céu...
Hoje, até ajudamos a alguns estudantes e praticantes dessa temática em seus bordejos extrafísicos, principalmente durante o sono diário. Mas não damos trela para egoístas e tontos. Só nos aproximamos daqueles que querem algo melhor de si mesmos; e damos uma forcinha invisível, mas eficaz. E, assim procedendo, também melhoramos a nós mesmos, incutindo em nosso subconsciente a noção das saídas do corpo. Posteriormente, essas sementes plantadas em nós mesmos, darão frutos. E aí, eventualmente, no caso de reencarnarmos à frente, de acordo com a necessidade, também realizaremos saídas do corpo, e melhoraremos com isso. Ao ajudarmos o vôo extrafísico de alguns de vocês, para tarefas de melhoria e sintonia elevada, nós também nos desenvolvemos.
E, diga-se de passagem, passar o tempo todo dentro do corpo intoxica o espírito, que passa a pensar e a agir como se fosse só da Terra. As saídas do corpo são o recreio do prisioneiro... E devolvem um pouco de sua liberdade perdida, além de fazê-lo pensar no infinito da vida.
Como dica prática, sugerimos aos interessados nessa temática importante que deitem o corpo no leito de forma agradável, não só para dormir. Que mantenham na mente, enquanto caem no sono, algum pensamento-gatilho, que seja referente à saída do corpo. Algo do tipo, “eu até durmo, mas também vôo por aí...” – Ou algo assim, “meu corpo é legal, mas eu sou mais!” – Ou até mesmo uma afirmação mental mais técnica, tipo assim, “eu vou sair do meu corpo, eu posso!”
A concentração de luz suave no chacra frontal favorece bastante a lucidez fora do corpo. Mas, embora seja mais difícil de fazer, a concentração de luz suave na base da nuca é mais eficaz para isso. Deslizar o foco da consciência para essa região muda o padrão energético e força a mente a tirar o foco da atenção dos cinco sentidos físicos. Isso favorece o despertar das percepções mais agudas do corpo espiritual. E também melhora o grau de lucidez e memória da pessoa.
Também existem pontos energéticos próximos dos joelhos (em suas laterais, e logo abaixo) que soltam o corpo espiritual. Muitos espíritos guias tiram seus protegidos do corpo mexendo nesses pontos. Mas fica difícil explicar isso só numa conversa.
Quem sabe você não desenvolve um trabalho em cima disso? Fica aí uma sugestão para o seu trabalho. Observe mais em si mesmo. E observe, também, os ensinamentos dos sábios chineses sobre os pontos energéticos do fígado e da parte alta do meio das costas. Pesquise por aí... E depois escreva algo a respeito. Essa dica é muito séria. É um caminho para você seguir com convicção. Pegue firme, rapaz!

- Algum toque final? Algum recado consciencial?

Resposta: Sim, temos algo a mais a dizer. Não é nada demais. Aliás, nem somos sábios para dizer algo que revele os segredos da consciência. Somos apenas pessoas bem vivas, interessadas em passar alguma coisa sadia para a Terra. Faz parte do nosso show! E o Papai do Céu nos autoriza a fazer isso. Então, memorize algumas coisas que fazem bem:
- Viver é muito importante! Portanto, que cada um valorize o que aprende na vida.
- Não é possível esquecer-se do próprio espírito. E que não haja engano: tudo passa!
- Não existem doutores em consciência! Todos são aprendizes da vida.
- O egoísmo detona a boa vontade. E o orgulho rebaixa o coração.
- O corpo é instrumento de trabalho. Cabe ao espírito dar-lhe uma boa direção.
- A inteligência não é contra o amor. Pelo contrário, é a ignorância que é o vilão.
- O amor não bloqueia a inteligência.. Pelo contrário, ilumina a mesma.
- Há um gosto amargo na boca de quem odeia.
- A festa da vida sempre continua, pois ninguém morre!
- Amor não se compra; sexo, sim. Mas tem tonto que confunde um com o outro.
- Dentro ou fora do corpo, cada um é o que é. E o Papai do Céu conhece a todos.
- Quem faz o bem, bate um bolão. E quem perdoa, também!
- Há duas frases de que, quem é orgulhoso, tem ojeriza. São elas: “Eu errei!”, e “Por favor, me desculpe!”
- Quem presta atenção na vida alheia, acaba tropeçando nos próprios erros.
- Na hora da morte, por causa do medo, muitos céticos rezam mais do que beatos.
- Amor. Paz. Luz. Lucidez. Que não sejam apenas palavras, mas atitudes práticas.
- Alegria não se compra; risadas falsas, sim. E quem é tonto, nem se toca disso!
- Na vida, tudo muda. Tudo passa! Menos o amor do Papai do Céu, que é perene.

P.S.:
Esses escritos são a transcrição de um papo extrafísico com dois espíritos da Companhia do Amor – A Turma dos Poetas em Flor. Conversei com ambos durante uma experiência fora do corpo e guardei na memória os seus toques. Depois, enquanto eu transcrevia o papo, eles novamente apareceram e encheram meu lar de alegria. Inclusive, um deles foi um humorista conhecido da TV brasileira.
Esclareço, ainda, que o objetivo de escritos assim é passar toques conscienciais sadios. É apenas isso. Os caras não são mestres e nem se arrogam grau algum de sabedoria. E eu, muito menos. Se esses escritos forem úteis para a reflexão sadia de alguém, ótimo.
O resto é com o Grande Arquiteto Do Universo, que conhece a todos e move os corações. Ele é o cara!

Paz e Luz.

São Paulo, 27 de abril de 2009.


**** A Companhia do Amor é um grupo de cronistas, poetas e escritores brasileiros desencarnados que me passam textos e mensagens espirituais há vários anos. Em sua grande maioria, são poetas e muito bem humorados. Segundo eles, os seus escritos são para mostrar que os espíritos não são nuvenzinhas ou luzinhas piscando em um plano espiritual inefável. Eles querem mostrar que continuam sendo pessoas comuns, apenas vivendo em outros planos, sem carregar o corpo denso. Querem que as pessoas encarnadas saibam que não existe apenas vida após a morte, mas, também, muita alegria e amor.
Os seus textos são simples e diretos, buscando o coração do leitor.
Matéria retirada do site da Revista Cristã do Espiritismo
www.rcespiritismo.com.br

Enviado por Francisco Cortizo/BA

MELODIA SUBLIME DE ISMÁLIA

Ó Senhor Supremo de Todos os Mundos
E de Todos os Seres,
Recebe, Senhor,
O nosso agradecimento
De filhos devedores do teu amor!

Dá-nos tua benção,
Ampara-nos a esperança,
Ajuda-nos o ideal
Na estrada imensa da vida...

Seja para o teu coração,
Cada dia,
Nosso primeiro pensamento de amor!

Seja para a tua bondade
Nossa alegria de viver!...

Pai de amor infinito
Dá-nos tua mão generosa e santa.

Longo é o caminho,
Grande o nosso débito,
Mas inesgotável é a nossa esperança.

Pai Amado,
Somos as tuas criaturas.
Raios divinos
Se tua Divina Inteligência.

Ensina-nos a descobrir
Os tesouros imensos
Que guardaste
Nas profundezas de nossa vida,
Auxilia-nos a acender
A lâmpada sublime
Da Sublime Procura!

Senhor,
Caminhamos contigo
Na eternidade!...
Em Ti nos movemos para sempre.

Abençoa-nos a senda,
Indica-nos a Sagrada Realização.
E que a glória eterna
Seja em teu eterno trono!...
Resplandeça contigo a Infinita Luz,
Mane em teu coração misericordioso
A Soberana Fonte do Amor,
Cante em Tua Criação Infinita
O sopro divino da eternidade.

Seja a tua benção
Claridade aos nossos olhos,
harmonia ao nosso ouvido,
Movimento às nossas mãos,
Impulso aos nossos pés.

No amor sublime da Terra e dos Céus!...
Na beleza de todas as vidas,
Na progressão de todas as coisas,
Na voz de todos os seres,
Glorificado sejas para sempre,
Senhor.

Do livro "Os Mensageiros, cap.32, ed FEB"
Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito André Luiz




Desafios existenciais

Toda existência é oportunidade de aprendizado para todos nós, que partimos um dia do mundo espiritual a fim de realizar essa experiência ímpar chamada vida.
A vida, esta do lado de cá da existência, tem um propósito claro e inequívoco aos olhos de Deus: o de nos oferecer chances de progresso e melhoria pessoal.
Ao nos criar Espíritos imortais, nos fez a todos simples e ignorantes... Ou seja, sem capacidades intelectuais ou morais pré-determinadas.
Desta forma, a pergunta que mais nos ocorre é a seguinte: de onde vêm os nossos pendores, os dons com os quais nascemos, ou as virtudes e paixões que trazemos na alma?
Se somos criados todos iguais, por que somos aqui na Terra tão diferentes uns dos outros? Por que, irmãos gêmeos, sob a mesma educação, os mesmos pais, são tão diferentes?
Ao nascermos novamente, ao retornarmos à experiência de nascer, trazemos conosco toda uma bagagem que adquirimos nos caminhares que já fizemos em nossa história.
Trazemos no cofre de nossa alma todos os tesouros e todas as quinquilharias que, porventura, fomos juntando nos nossos caminhares, pelos caminhos que já percorremos ao longo de nossas existências.
Assim, todas as nossas virtudes e todos os nossos sentimentos são conquistas feitas em algum momento de nossa história, e que hoje trazemos para mais este capítulo do livro que estamos escrevendo desde muito.
Se hoje sentimos raiva, vingança e ódio, se temos inveja ou ciúmes, são desvalores que adquirimos por opção própria, e que ainda fazem parte de nossa estrutura emocional.
Por outro lado, se trazemos na alma a doçura, a compaixão pelo próximo, a benevolência no olhar, são resultantes dos esforços que fizemos para adquiri-los e tê-los na intimidade da alma.
Se hoje percebemos em nós sentimentos que já não são coerentes com nossos conceitos e valores, começa aí o esforço para a transformação da alma.
* * *
A vida é exatamente essa oportunidade que a Providência Divina nos oferece para que a modificação da alma, para melhor, se faça.
E para tanto, nossa vida é pródiga de oportunidades para modificarmos as coisas da alma que precisam ser mudadas.
Seja a esposa intolerante, o marido incompreensível, o filho exigente, o chefe às vezes tirano, todos nos oportunizam a chance de experimentar outros valores e desenvolver renovados sentimentos na alma.
Muitas vezes, o convite da vida vem através da doença, do revés financeiro que nos abala, ou do ente querido que parte para o Mundo Espiritual nos deixando órfãos emocionalmente.
Todos esses desafios que a vida nos oferece são convites silenciosos que ela nos faz, nos oferecendo a chance de renovar paisagens emocionais, repensar posicionamentos e principalmente, redirecionar nossos passos para caminhos que nos conduzam à felicidade.
Em qualquer momento de sua vida, perceba ser ela oportunidade bendita que Deus lhe oferece de iniciar a construção do Reino de Deus dentro de você.


Redação do Momento Espírita.
Enviado por Raimunda Gesteira/BA

JESUS

O maior Homem na história, JESUS CRISTO, não teve nenhum empregado, no entanto chamaram-no Soberano.
Não teve nenhum diploma, no entanto chamaram-no professor.
Não tinha nenhum medicamento, no entanto chamaram-no Doutor.
Não teve nenhum exército, no entanto os reis temeram-no.
Não ganhou nenhuma batalha militar, no entanto conquistou o mundo.
Não cometeu nenhum crime, no entanto o crucificaram.
Foi enterrado num túmulo, no entanto vive hoje.
Sinto-me honrado por servir tal chefe que me Ama!
Se você crê em Jesus Cristo, envie isto a todos os seus conhecidos e não simplesmente ignore.
Se ignorar, lembre-se exatamente o que Jesus disse:

'se me negar na frente dos homens, negá-los-ei na frente do meu Pai no céu'.


'Às vezes, quando tudo dá errado acontecem coisas tão maravilhosas que jamais teriam acontecido se tudo tivesse dado certo'

(Autor desconhecido)

Enviado por Carol Dias/BA

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Sem etiqueta, sem preço

A nota é internacional e diz, mais ou menos assim: Aquela poderia ser mais uma manhã como outra qualquer.
Eis que o sujeito desce na estação do metrô de Nova York, vestindo jeans, camiseta e boné.
Encosta-se próximo à entrada. Tira o violino da caixa e começa a tocar com entusiasmo para a multidão que passa por ali, bem na hora do rush matinal.
Mesmo assim, durante os 45 minutos em que tocou, foi praticamente ignorado pelos passantes.
Ninguém sabia, mas o músico era Joshua Bell, um dos maiores violinistas do mundo, executando peças musicais consagradas, num instrumento raríssimo, um Stradivarius de 1713, estimado em mais de 3 milhões de dólares.
Alguns dias antes, Bell havia tocado no Symphony Hall de Boston, onde os melhores lugares custaram a bagatela de mil dólares.
A experiência no metrô, gravada em vídeo, mostra homens e mulheres de andar ligeiro, copo de café na mão, celular no ouvido, crachá balançando no pescoço, indiferentes ao som do violino.
A iniciativa, realizada pelo jornal The Washington Post, era a de lançar um debate sobre valor, contexto e arte.
A conclusão é de que estamos acostumados a dar valor às coisas, quando estão num contexto.
Bell, no metrô, era uma obra de arte sem moldura. Um artefato de luxo sem etiqueta de grife.
Esse é mais um exemplo daquelas tantas situações que acontecem em nossas vidas, que são únicas, singulares e a que não damos importância, porque não vêm com a etiqueta de preço.
Afinal, o que tem valor real para nós, independentemente de marcas, preços e grifes?
É o que o mercado diz que podemos ter, sentir, vestir ou ser?
Será que os nossos sentimentos e a nossa apreciação de beleza são manipulados pelo mercado, pela mídia e pelas instituições que detêm o poder financeiro?
Será que estamos valorizando somente aquilo que está com etiqueta de preço?
Uma empresa de cartões de crédito vem investindo, há algum tempo, em propaganda onde, depois de mostrar vários itens, com seus respectivos preços, apresenta uma cena de afeto, de alegria e informa: Não tem preço.
E é isso que precisamos aprender a valorizar. Aquilo que não tem preço, porque não se compra.
Não se compra a amizade, o amor, a afeição. Não se compra carinho, dedicação, abraços e beijos.
Não se compra raio de sol, nem gotas de chuva.
A canção do vento que passa sibilando pelo tronco oco de uma árvore é grátis.
A criança que corre, espontânea, ao nosso encontro e se pendura em nosso pescoço, não tem preço.
O colar que ela faz, contornando-nos o pescoço com os braços não está à venda em nenhuma joalheria. E o calor que transmite dura o quanto durar a nossa lembrança.
* * *
O ar que respiramos, a brisa que embaraça nossos cabelos, o verde das árvores e o colorido das flores é nos dado por Deus, gratuitamente.
Pensemos nisso e aproveitemos mais tudo que está ao nosso alcance, sem preço, sem patente registrada, sem etiqueta de grife.
Usufruamos dos momentos de ternura que os amores nos ofertam, intensamente, entendendo que sempre a manifestação do afeto é única, extraordinária, especial.
Fiquemos mais atentos ao que nos cerca, sejamos gratos pelo que nos é ofertado e sejamos felizes, desde hoje, enquanto o dia nos sorri e o sol despeja luz em nosso coração apaixonado pela vida.

Redação do Momento Espírita, a partir de comentário
de Willian Hazlitt, que circula pela Internet.
Em 22.09.2009.

Pedimos a sua atenção para o fato de o Momento em Casa não ser um serviço diário.
São enviadas, em média, 3 a 4 mensagens no decorrer da semana.

As mensagens do Momento Espírita também estão disponíveis em cd's e livros, em www.livrariamundoespirita.com.br. Se não desejar mais receber nossos textos clique aqui e selecione retirar.


Enviado por Lígia Miranda/BA

DEUS ESTA NO CONTROLE POR FAVOR, LEIA COM FÉ.

Esta é uma oração impressionante...

“Crê simplesmente Nele e serás abençoado”.
Lucas 18:27

O problema com muitos de nós é que não cremos
que Deus abrirá uma janela e derramará bênçãos
sem medidas na vida de cada um,
que não teremos lugar nem sabemos como recebê-las.
Propondo a qualquer pessoa a provar a Deus.
Ele é fiel em sua palavra.
Deus não pode mentir e suas promessas são seguras.
Três coisas lhe sucederão esta semana que vem:
(1) Você terá ajuda de alguém de quem não espera;
(2) Você será demasiado relevante para ser ignorado;
(3) Você terá um encontro com Deus e você jamais será o mesmo.

A oração por você hoje é:
Que os olhos que lêem esta mensagem não vejam mal algum ao redor,
As mãos que enviarão esta mensagem a outros não trabalhem em vão,
a boca que diz Amém a esta oração reine para sempre.
Permaneça no amor a Deus, enviando esta oração a todos em sua lista.
Tenha uma viagem fascinante pela vida no amor a Jesus Cristo.
Confie no Senhor de todo seu coração
pois Ele nunca falha e é fiel em suas promessas.

Se Você necessita de uma bênção de verdade, continue lendo:

Pai Divino, Deus amável e piedoso,
Te rogo, que abençoes abundantemente a minha família e a mim.
Sei que o Senhor reconhece que uma família
é mais que uma mãe, pai, irmã, irmão, esposo e esposa,
para todos os que crêem e confiam em Ti.
Pai, peço a Ti Senhor, bênçãos e graças
não somente para a pessoa que me enviou esta oração,
mas também para mim e para todos a quem enviarei esta mensagem.
Que a força da união, em oração daqueles que crêem e confiam no Senhor,
seja mais poderosa que qualquer outra coisa.
Agradeço-Te de todo coração, com a certeza que as tuas bênçãos chegarão à minha vida.
Deus Pai, livra a pessoa que lê esta oração agora, de dívidas
e de preocupações por causas de dívidas.
Envia a Tua sabedoria Santa, para que eu possa ser um bom administrador,
sobretudo quanto o Senhor me tem dado e proporcionado,
pois sei que És maravilhoso e poderoso e, se Te obedecermos
e caminharmos em tua palavra, tendo Fé,
mesmo que do tamanho de um grão de mostarda,
o Senhor derramará as Tuas bênçãos sobre nós.
Agradeço-Te Senhor pelas bênçãos já recebidas
e por aquelas que hei de receber, porque sei
que ainda tens muito para fazer por mim
e muito mais do que eu nem consigo sequer imaginar.
Em nome de Jesus Cristo nosso Salvador, Te rogo. Amém.

TOME 60 SEGUNDOS
Envie esta mensagem e
em horas, você terá feito com que muitas pessoas
ore a Deus, uns pelos outros. Então, agora sente e observe
o poder de Deus trabalhando em sua vida
por teres feito a coisa que você sabe que Ele ama.
Seja Abençoado!

Enviado por Cássia Nicodemus/BA

terça-feira, 22 de setembro de 2009

QUEM FOI E É IRMÃ SCHEILLA / MENSAGEM








Que o amor, em forma de luz libertadora, predomine nos corações que se candidatem, ao serviço do Bem. (Scheilla).

É um espírito esplendoroso pela luz que esparge, e sua presença é notada por ondas perfumadas que imprime ao local.


Segundo o Anuário Espírita, temos notícias apenas de duas existências de Scheilla: uma na França e outra na Alemanha.

- Na existência francesa chamou-se Joana Francisca Frémiot, a qual casou-se aos 20 anos de idade com o Barão de Chantal, passando a denominar-se Baronesa de Chantal, com o qual teve 4 filhos. Todavia muito cedo perdeu seu marido, e daí abandonou o mundo com seus 4 filhos, partilhando o seu tempo entre orações, as obras piedosas e os seus deveres de mãe.
Em 1604, tendo vindo pregar em Dijon o Bispo de Genebra, S.Francisco de Salles, e, submeteu-se à sua direção espiritual. Fundaram em Annecy a congregação de Visitação a Maria em 1610, que chegou a contar com 87 conventos e, no primeiro século, 6500 religiosos. A Baronesa de Chantal, dirigiu como superiora de 1612 a 1619, a casa que havia fundado em Paris, no bairro de Santo Antônio (Enciclopédia e Dicionário Internacional, W.M. Jackson, Inc).
Passando por grandes dificuldades, conseguiram supera-las e em 1619, São Vicente de Paulo ficou como superior do Convento da Ordem da Visitação, época em que a Baronesa de Chantal retornou a Annecy, onde ficava a casa mãe da Ordem A Santa. Várias vezes tornou a ver São Vicente de Paulo, que tornou-se seu confessor e diretor Espiritual A 13 de dezembro de 1641, ela veio a falecer.
Em 1767, foi canonizada pela Igreja Católica, como Santa Joana de Chantal, ou Baroneza de Chantal.

* * *

- A outra encarnação que temos conhecimento, foi na Alemanha, no período da segunda guerra mundial, onde exercia as funções de enfermeira, e desencarnou por volta de 1943 em Hamburgo, em conseqüência do ataque aéreo sobre esta cidade.
Tudo indica que Scheilla vinculou-se, algum tempo após a sua desencarnação em terras alemãs, às falanges espirituais que atuam em nome do Cristo, no Brasil.

* * *

- Diversos foram os fenômenos de materialização que realizou através de diferentes médiuns.
O Diretor-Presidente desta Instituição a qual ela empresta seu nome, teve por volta de 1977/78, a felicidade de assistir uma reunião mediúnica onde irmã Scheilla, por intermédio do médium Divaldo Pereira Franco, materializou rosas e as distribuiu, como conversou com diversos participantes daquela reunião, que foi realizada na Mansão do Caminho.
Pela assistência carinhosa que sempre emprestou a diversos trabalhadores daquela casa, resolvemos homenageá-la colocando seu nome em nossa Instituição. Inspirados pela Espiritualidade ficou com o nome de FRATERNIDADE ESPÍRITA IRMÃ SCHEILLA.

* * *

- Agradecida e sensibilizada, mandou-nos em 28.11.2001, também por intermédio do Médium Divaldo Pereira Franco, na reunião mediúnica realizada na Mansão do Caminho a mensagem abaixo, como orientação para os trabalhos de nossa casa, a saber:

ELEGIA Á SEMENTE

- Guardada em vasilhame precioso, a semente pensava: - Que será de mim, aqui esquecida e transformada em adorno?
Levada ao solo generoso, onde foi sepultada, exclamou: - Deus meu, morro asfixiada, sofrendo o fardo de terra que me esmaga.
Aquecida e abençoada por suave umidade, experimentou a transformação interna e, arrebentando-se, gritou na cova: - Despedaço-me e não sei o que sucede!
Desdobrando delicada raiz que se aprofundou no solo e erguendo uma frágil haste, saiu da intimidade do sepulcro e sentiu a tepidez do sol, a brisa da manhã, e inquieta, interrogou: - Onde me encontro? Que se passa comigo?
Lentamente experimentou a agressão das pragas, a chuva torrencial, a canícula e o vendaval, mas entendeu que a vergôntea adquiriu resistência, desdobrou a ramagem, sentiu-se segura, no entanto, voltou a perguntar: - E agora, que sucederá comigo tão modificada?
O tempo silencioso e calmo seguiu o seu curso e a antiga semente, ora transformada em planta robusta, cobriu-se de flores e então sorriu exclamando: - Eu sou beleza, perfume e benção.
Por fim, quando as flores cederam lugar aos frutos e a outras sementes, ela gritou exultante: - Eu sou vida e sou filha de Deus!

* * *

- O processo da evolução é uma sucessão de partos, encerrando ciclos em dor e ensejando etapas de crescimento e realização.
Para viver, morre a semente.
Para que haja a ressurreição é indispensável a morte.
Para que os metais se tornem utilidades, experimentam a fornalha e a bigorna.
Para que o Espírito ascenda ao reino de Deus e alcance a plenitude, são indispensáveis as etapas de sucessivas transformações.
A dor, desse modo, é mecanismo de indispensável evolução.

* * *

- Nossa Casa é uma fortaleza colocada em pleno campo de batalha, para albergar aqueles que forem colhidos pelo vendaval e atingidos pela artilharia do desespero.
- Suas portas devem permanecer sempre abertas para recolher os aflitos, os desesperançados, os agônicos.
- Que o amor, em forma de luz libertadora, predomine nos corações que se candidatem, ao serviço do Bem.
- Instalada a paz, que se irradie como bênção de esperança, acolhendo encarnados e desencarnados que cheguem necessitados de apoio e esclarecimento.
- E quando alguma tempestade tombar ameaçadora, que os membros do trabalho se recordem da semente e prossigam confiantes, aguardando a destinação da enflorescência e da frutificação.

Scheilla
PARA PARTICIPAR DO GRUPO NO YAHOO GRUPOS:
Assinar irmaosdeluz

Desenvolvido por br.groups.yahoo.com