sábado, 31 de outubro de 2009

MENSAGEM DO DIA

Olá Alma Irmã, nossas Fraternais Saudações!
Desejamos a você e aos seus amores um ótimo final de semana com MUITA SAÚDE E PAZ!
Abraços fraternais.
Centro Espírita Caminhos de Luz-Pedreira-SP-Brasil

LEMBRANÇAS DE PAZ

Reconhecer, - mas reconhecer mesmo, - que trabalhando e servindo estamos, acima de tudo, cooperando em favor de nós próprios.

Perseverança no trabalho de execução dos compromissos que assumimos significa noventa por cem na soma do êxito.

Não desestimar a importância e o valor de pessoa alguma.

Nos instantes de crise, usar o silêncio no lugar do azedume.

Ajudar alguém será sempre dilapidar a própria tarefa.

Perdão para as faltas alheias é a melhor forma de alcançar a desculpa dos outros em nossos próprios erros.

Observar o sinal vermelho para o mal no trânsito das palavras.

Um gesto de simpatia ou gentileza pode ser a chave para a solução de muitos problemas.

Perfeitamente possível administrar a verdade sem ferir, desde que esteja no bálsamo da bondade ou no veículo da esperança.

Nunca nos esquecermos de que a paciência favorece o socorro de Deus.



pelo Espírito André Luiz - Do livro: Encontro de Paz, Médium: Francisco Cândido Xavier.

Enviado por Eliana Morais/BA

2012 na Visão Espírita - O FIM DE QUE MUNDO?

O Portal e a Separação do Joio e do Trigo

Irmãos

Recebi hoje alguns e-mals falando sobre o portal 818 e como este possível acontecimento está ligado diretamente à separação do joio e do trigo, achei importante tecer um breve comentário sobre este assunto aqui na lista com todos vocês.

Como todos nós sabemos, a separação do Joio e do trigo vem se processando há muito tempo, tanto no plano físico como no plano mental e astral, e em breve estará totalmente completa.
Se as informações da abertura do portal são verdadeiras, a radiação deste processo fará a separação definitiva do joio e do trigo nestes três planos da existência, em total cumprindo ao provérbio bíblico que diz:

“Aqueles que são bons ficarão muito bons e os que são maus, muito maus”
O que significa dizer que quem está trabalhando sobre si mesmo com profunda sinceridade e a cada dia faz suas vinculações com Deus e se esforça para livrar-se de si mesmo, dará um grande salto na senda evolutiva, enquanto que aqueles que fazem da vida um jogo e não se vinculam a Deus, cairão cada vez mais na cuba humana em crescente evolução negativa.

Temos que ter em mente que a separação do joio e do trigo foge ao nosso entendimento do que é bom ou mau, pois no caso da separação profetizada não há ligação a valores concretos. A valoração para esta separação é abstrata e não há parâmetros humanos para a sua medição.
Creio que a separação do joio e do trigo está ligada ao estado de pureza alcançado através de um trabalho sério sobre nós mesmos através dos tempos.


Realmente, o importante nesse evento do dia 17 foi exatamente o exercício que fizemos impulsionados pela grande onda de união que se formou pela corrente de todos aqueles que no horário de pico (17:10) sintonizaram com os mais elevados pensamentos construtivos.
Sem dúvida a “Ocasião chegou como bem nos avisou nossos Mestres”. Desde 1997 uma grande atividade cósmica se processa para a guinda planetária e creio que o espoletamento da mudança ocorrerá entre 2010 e 2015, com a descida da “Nova Jerusalém”, como nos tem anunciado o Livro Sagrado.
Pelo que podemos ver, não há muito tempo para trabalhar sobre si mesmo e alcançar a taxa vibratória necessária para poder vivenciar este novo que agora se aproxima rapidamente.
Sabemos que não haverá mais lugar nesta nossa Terra para o que não seja verdadeiro e de uma pureza eterna. Por isso, esse evento que foi anunciado, inclusive através de programas de televisão, como foi feito na abertura do programa “Sônia Maria Braga”, teve uma grande dispensação de energia positiva que a todos beneficiou.
Muitas correntes já foram feitas pelo mundo, mas esta que se apresentou tem um aspecto particular, pois nos leva ao exercício do controle de si mesmo, o que é fundamental para todos aqueles que sinceramente pretendem o desenvolvimento espiritual.

Sempre que possível é sempre bom cruzarmos informações, provenientes de fontes diferentes, como um recurso para ajudar-nos a ponderar sobre a veracidade de uma afirmação ou não. Estamos na Era de Aquário, com todas as revelações que precisamos para o entendimento perfeito e conclusão sobre o quê e em quem depositar nossa fé e esforços para evoluir na luz. No caso da abertura do portal 818, parece coerente com uma profecia Maia que diz que a cada ciclo aproximado de 5125 anos, uma onda cósmica parte do centro do universo processando as transformações que irão viger no próximo ciclo. Segundo a profecia, a próxima onda estará atingindo a terra em dezembro de 2012, e a partir de então, os valores da humanidade evoluirão, e o planeta experimentará um novo ciclo de paz, harmonia, amor e muito crescimentos em todos os campos da atividade humana e planetária. Dezembro de 2012 coincide com a data limite do encerramento dos disparos cósmicos citados na mensagem abaixo sobre o portal, cujo encerramento dar-se-á em 2013. Como as grandes transformações se dão em etapas, e não, tudo ao mesmo tempo, as etapas de portal em portal para a mudança do ciclo cósmico, parece bastante coerente, podendo ser aceito como bastante provável. Nesse sentido, penso que valeu a pena fazer um esforço no dia 17/10 para aproveitar o bom momento e galgar uns degraus a mais na escala evolutiva, desde o âmbito pessoal até o planetário.

Enviado por Lúcia Maria/BA

PENSAMENTOS

Dalva Agne Lynch



Quem aceita a realidade como ela é, aceita por uma de três razões: um, porque a realidade deles é despreocupação e curtição, enquanto outros batalham e trabalham; dois, porque são acomodados; três, são masoquistas. O homem de valor é guerreiro, e não aceita as coisas como elas são: ele batalha para que elas mudem, e para o bem de todos.

É impossível aprender uma lição de um erro sem sentir o peso da culpa. Quem deixa os erros escorrerem pelas costas como água em pena de pato NUNCA aprenderá a nao repetir o mesmo. É a convicção que torna o homem diferente dos animais, não o condicionamento pavloviano. O imbecil é como os animais: só não faz algo porque pode se dar mal. O homem superior não faz algo porque sua honra e dignidade não suportam o peso de uma consciência pesada.

Ninguém aprende lições de vida dando risada. Todas as maiores líções dos Mundos Superiores são precedidas por ordálias, que mortificam o espírito. Quem não aprende a sentir as grandes dores, mesmo que nao sejam as suas, jamais ultrapassará a superfície.

Enviado por Débora Meireles/BA

Bens Verdadeiros

Os verdadeiros bens são aquêles que têm caráter inalienável. O que transita não constitui posse, antes é mordomia. Nesse particular, os tesouros terrenos valem pela tônica que lhes emprestamos, caracterizados pelas paixões que envilecem, aquêles que os dominam parcialmente ou pela dinâmica do trabalho valioso que fomentam.
A posse monetária, no entanto, em si mesma não é responsável pelos bens que produz nem pelos males que gera.

Manipulando a posse encontra-se sempre o espírito, que a faz nobre ou perniciosa.
O dinheiro, de tão desencontradas conceituações, não é o responsável direto pela miséria social nem o autor das glórias culturais.

A moeda que compra consciências é a mesma que adquire leite para a orfandade; o dinheiro que entorpece o caráter é aquêle que também salva uma vida, doando sangue a alguém que esteja à beira da desencarnação; o numerário que corrompe moçoilas invigilantes, fascinadas pelo momentâneo ouropel da glória social, faculta igualmente sucesso às grandes conquistas do conhecimento.

Se êle favorece o tráfico de entorpecentes e narcóticos, a prostituição e rapina, também estimula o progresso entre as Nações, drena as regiões pantanosas e transforma os desertos em abençoados pomares, educa...
Em mãos abençoadas pela caridade, êle dá lume e pão, distribui reconfôrto e alegria, difunde o alfabeto e a arte, amplia a fraternidade e o amor, atenuando as asperezas da senda. por onde transitam os infelizes.

Movimentado por ociosos consome-se na usura e, insensatamente, vai conduzindo para perverter, malsinando vidas e destroçando-as.

As legítimas fortunas são as que têm fôrça indestrutível.

Valem muitas vêzes menos, porque desconsideradas pelo egoísmo geratriz dos males que infestam os espíritos multimilenarmente. Raros as disputam. São os valôres morais.
*
Certamente a ganância, resultante da má educação religiosa e social do homem, fomenta os crimes que são catalogados como conseqüências das riquezas mal dirigidas. A ganância. de uns engendra a miséria de muitos e a ambição desmedida de poucos faz-se a causa da ruína generalizada que comanda multidões.

O Evangelho de Jesus, no entanto - inapreciável fortuna de paz e amor ao alcance de todos -, possui a solução para o magno problema da riqueza e da pobreza, em se referindo às leis do amor e da caridade que um dia. unirão todos os homens como verdadeiros irmãos.
E o Espiritismo, confirmando as lições do Senhor, leciona, soberano, graças à informação dos imortais, que o mau uso da riqueza impõe o recomeço difícil na miséria, àquele que a tenha malbaratado.

Multiplica, então, os bens verdadeiros de que disponhas nas leiras do amor e reparte os valôres transitórios de que te faças detentor na seara da Caridade para que tranqüilos sejam os teus dias no Orbe e feliz o teu renascimento futuro, quando de volta à Terra
*
"Vendei o que possuís e dai esmolas. fazei para vós bolsas que não envelheçam, um tesouro inexaurível nos céus, onde o ladrão não chega nem a traça roi". Lucas: capítulo 12º, versículo 33.
*
"O homem só possui em plena propriedade aquilo que lhe é dado levar deste mundo". Evangelho Segundo o Espiritismo - Capítulo 16º - Item 9.


Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Florações Evangélicas. Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis. Capítulo 48. Salvador, BA: LEAL.


Enviado por Francisco Cortizo/BA

SOBRE A MORTE...

MORRER É MUDAR

Morrer é mudar, continuando em essência o mesmo. É o que Therezinha Oliveira escreve na capa do livreto "Ante os que partiram..." (Ed. EME).
Pensar na morte como um fim é algo assustador, não só para o materialista, ou para pessoas muita ligadas às coisas materiais. Mesmo àqueles que crêem em Deus e na imortalidade da alma não agrada pensar que, ao morrer, deixarão para trás seus entes queridos, que não mais desfrutarão de sua companhia, nem poderão mais conversar com eles.Entretanto, não é isto o que acontece.
Morrer é mudar, é deixar o corpo físico para habitar temporariamente o Plano Espiritual, até que chegue novamente o momento de reencarnar. Mas o Plano Espiritual não é um lugar distante, inacessível. Ele coexiste conosco. Os Espíritos desencarnados convivem conosco, influenciando-nos e recebendo os pensamentos que lhes endereçamos.
Quando Deus permite, estes Espíritos podem se comunicar com os encarnados, através da mediunidade.Nossos amigos e familiares desencarnados permanecem em essência os mesmos: a mesma afeição, os mesmos conhecimentos, todas as lembranças.Eles apenas passaram para a vida espiritual, que é a verdadeira vida de onde viemos e para onde, um dia, retornaremos.
(De "Um pouco por dia", de Rita Foelker)

RADIO FRATERNIDADE - DIA 01/11/09

Domingo Especial 01/11/09




01h ? Seminário / Palestra - MINHA FAMÍLIA, O MUNDO E EU
Expositor: Raul Teixeira



? 03 h - Palestra: Os Gigantes da Alma (Duração: 1h)
Expositor: Divaldo Franco



05h ? REPRISE DO PROGRAMA O CULTO DO EVANGELHO NO LAR
Outro horário: Sábados 14 horas - Gravação: domingo 20h30 (veja como participar clicando no link abaixo
» Veja como participar das gravações do Culto no Lar



? 6h ? Encontro Fraterno (FEEGO)?
Programa vai ao ar também nos seguintes dias e horários: Terça-feira: 02h (madrugada) / sexta-feira: 19h



7h - Programa Aos Pés do Monte
Estudo das Parábolas de Jesus - Programa vai ao também quarta-feira 20h



8h ? Reprise do Estudo Sistematizado do Livro dos Espíritos - Aula 28 ? Lei de Sociedade
Produção Sociedade Espírita Joana De Ângeles (http://blogdaseja.blogspot.com)- (duração: 1h). Programa vai ao ar: QUARTA -22H5 ? QUINTA-FEIRA ? 9H5 e DOMINGO: 8H - Estudo de O Livro dos Espíritos Produzido pelo S.E.J.A ? Ribeirão Preto (SP)



9h - Programa Pão da Vida - Programa 30
Sexta-feira (edição inédita): 20h5 / Reprises: Sábado: 22h05 / Domingo: 09h05 e 21h05 / Segunda-feira: 10h05 / Terça-feira: 19h05 / Quarta-feira: 05h05 / Quinta-feira: 21h15
» Conheça o trabalho aqui



10h ? Entrevista Especial com José Passini ? Expositor Espírita de Juiz de Fora ? Ex-Reitor da UFJF (Duração: 50 minutos)
Entrevista Feita no dia 23/10/09 pela Equipe da Rádio Fraternidade (Hélio Dias e Dirceu Basílio)



Programa Elucidações Espíritas (1h30) - Tema: Casamento
Expositor: Paulo Miceli ? Araraquara-SP



15h - Palestra: MORTE-PORTAL DA VIDA
Expositor: Divaldo Franco



o 18h - Reprise do Programa Fonte Viva de Luz
Veiculado aos sábados o programa estuda o Livro dos Espíritos e O Evangelho - sábado: 19h5 / domingo: 18h5 / Segunda-feira:17h5 / Terça-Feira: 10h5 / Quarta-feira:2h5 / quinta-feira: 14h5 / Sexta-feira: 20h5



19h30 ? Palestra: TEMA MORTE (Duração: 1h)
Expositor: Richard Simonetti



21h15 - Programa Pão da Vida ?
Sexta-feira (edição inédita): 20h5 / Reprises: Sábado: 22h05 / Domingo: 09h05 e 21h05 / Segunda-feira: 10h05 / Terça-feira: 19h05 / Quarta-feira: 05h05 / Quinta-feira: 21h15
» conheça mais



21h30 ? Palestras: Provações Iluminativas / Provas Científicas da existência de Deus
Duas palestras com o expositro Expositor: Divaldo Franco

ESPIRITISMO NO MUNDO: JAPÃO

ESPÍRITAS JAPONESES EXIBEM O FILME "OS ÓRFÃOS" - UEDA-SHI

O Grupo de Estudos Espíritas de UEDA em parceria com a Associação dos Divulgadores do Espiritismo do Japão estão exibindo no dia 15 de novembro, na cidade de Ueda-Shi, o filme espírita "Os Órfãos", produzido pela Melion Filmes no Brasil.
Ele será exibido em Dijikai-nakano-jo – Nakano-jo 1203-1 –Shieji Taku, das 10:00 às 12:30 horas.

O filme, de gravação digital, tem 115 minutos e trata da história de uma órfã, Carolina, que completa 18 anos e, após problemas, passa a viver nas ruas, ao mesmo tempo em que focaliza João, espírito que auxilia um grupo de três espíritas em sessões mediúnicas.

Não assisti ao filme, por isso não tenho como emitir opinião, mas pode-se obter informações diretamente com a produtora no endereço http://www.melion.com.br/.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

ANO 2012, O FATOR MAIA E NOSTRADAMUS, MUITAS CRENDICES E PARANÓIAS

Leia mais no blog http://jorgehessenestudandoespiritismo.blogspot.com/


Analisemos a seguinte matéria: "Você temeria o futuro se levasse a vida de Tom Cruise, com mais de US$ 300 milhões no banco e presença garantida na lista de celebridades mais ricas do mundo elaborada pela revista "Forbes"? Então imagine o impacto da notícia, divulgada no ano passado, de que o superastro estaria construindo um abrigo subterrâneo de US$ 10 milhões no subsolo de sua mansão no Colorado. Segundo o relato publicado pela revista "Star", Cruise estaria convicto de que a Terra experimentará um contato potencialmente devastador com uma raça alienígena em 2012. Acredita o ato que a vida em nosso planeta vai mudar, para pior ou para melhor, em 21/12/2012. Nessa data se encerra um calendário que era usado pelos antigos maias no auge da sua civilização. Por isso, todo o movimento envolvendo o ano de 2012 é chamado genericamente também de "profecia maia".
(1) ....................continua no blog
Enviado por Jacó Alves/BA

LONGE DE SER O PRIMEIRO,MAS SERÁ QUE É O ÚLTIMO

ATÉ QUANDO VAMOS CONVIVER COM ESSA BRUTALIDADE,ESSA FALTA DE AMOR PRÓPRIO QUE EGOISTICAMENTE DESTRÓI NÃO APENAS UMA VIDA HUMANA MAS UMA FAMÍLIA INTEIRA,OU PIOR,DUAS? VOLTA E MEIA TEMOS VISTO CASOS COMO ESSE DE HOMICÍDIO SEGUIDO DE SUICÍDIO EM CASAIS.ONDE ESTÁ A EDUCAÇÃO,O AMOR E A EVANGELIZAÇÃO DAS FAMÍLIAS,MEU DEUS?
JOVENS!
SEM MAIS,SÓ EM PRECES....
TRAJANO
Vendedora assassinada pelo namorado será enterrada no Campo Santo
Helga Cirino A Tarde


Será sepultado, nesta sexta-feira, 30, no cemitério do Campo Santo, às 16h, o corpo da vendedora Joice Queli Santos dos Santos, 21 anos, que foi assassinada a tiros, na quinta-feira à noite, pelo namorado Leonardo dos Santos, 23 anos.

O corpo foi liberado no final desta manhã por mãe e tias da vítima que desde às 8h aguardaram a liberação no Instituto Médico Nina Rodrigues (IMLNR). De acordo com informações de familiares, depois de passar o dia de ontem seguindo a ex-namorada, Leonardo a matou com três tiros na cabeça.

O crime aconteceu por volta das 21h, no setor F do bairro, nas proximidades do Colégio Sucupira. A jovem ainda chegou a ser levada para o hospital por policiais militares, mas morreu a caminho. Santos suicidou-se em seguida. O crime foi registrado na 12ª CP (Delegacia de Itapuã).

ESCALA ESPÍRITA

O LIVRO DOS ESPíRITOS - LIVRO 2, CAP. 1

VI ESCALA ESPÍRITA

100. OBSERVAÇÕES PRELIMINARES. A classificação dos Espíritos funda-se no seu grau de desenvolvimento, nas qualidades por eles adquiridas e nas imperfeições de que ainda não se livraram. Esta classificação nada tem de absoluta: nenhuma categoria apresenta caráter bem definido, a não ser no conjunto: de um grau a outro a transição é insensível, pois, nos limites, as diferenças se apagam, como nos reinos da Natureza, nas cores do arco-íris ou ainda nos diferentes períodos da vida humana. Pode-se, portanto, formar um número maior ou menor de classes, de acordo com a maneira por que se considerar o assunto. Acontece o mesmo que em todos os sistemas de classificação científica: os sistemas podem ser mais ou menos completos, mais ou menos racionais, mais ou menos cômodos para a inteligência; mas, sejam como forem, nada alteram quanto à substância da Ciência. Os Espíritos, interpelados sobre isto, puderam, pois, variar quanto ao número das categorias, sem maiores conseqüências. Houve quem se apegasse a esta contradição aparente, sem refletir que eles não dão nenhuma importância ao que é puramente convencional. Para eles o pensamento é tudo: deixam-nos os problemas da forma, da escolha dos termos, das classificações, em uma palavra, dos sistemas.
Ajuntemos ainda esta consideração, que jamais se deve perder de vista: entre os Espíritos, como entre os homens, há os que são muito ignorantes, e nunca será demais estarmos prevenidos contra a tendência a crer que eles tudo sabem, por serem Espíritos. Toda classificação exige método, análise e conhecimento aprofundado do assunto. Ora, no mundo dos Espíritos, os que têm conhecimentos limitados são como os ignorantes deste mundo, incapazes de apreender um conjunto e formular um sistema; eles não conhecem ou não compreendem senão imperfeitamente qualquer classificação; para eles todos os Espíritos que lhes sejam superiores são de primeira ordem, pois não podem apreciar as suas diferenças de saber, de capacidade e de moralidade, como entre nos fará um homem rude em relação aos homens ilustrados. E aqueles mesmos que sejam capazes, podem variar nos detalhes, segundo os seus pontos de vista, sobretudo quando uma divisão nada tem de absoluto. Linneu, Jussieu, Tournefort, tiveram cada qual o seu método e a Botânica não se alterou por isso. É que eles não inventaram nem as plantas, nem os seus caracteres, mas apenas observaram a analogia, segundo as quais formaram os grupos e as classes. Foi assim que procedemos. Nós também não inventamos os Espíritos nem os seus caracteres. Vimos e observamos; julgamos pelas suas palavras e os seus atos, e depois os classificamos pelas semelhanças, baseando-nos nos dados que eles nos forneceram.

Os Espíritos admitem, geralmente, três categorias principais ou três grandes divisões. Na última, aquela que se encontra na base da escala, estão os Espíritos imperfeitos, caracterizados pela predominância da matéria sobre o espírito e pela propensão ao mal. Os da segunda se caracterizam pela predominância do espírito sobre a matéria e pelo desejo de praticar o bem: são os Espíritos bons. A primeira, enfim, compreende os Espíritos puros, que atingiram o supremo grau de perfeição.

Esta divisão nos parece perfeitamente racional e apresenta caracteres bem definidos; não nos resta senão destacar, por um número suficiente de subdivisões, as nuanças principais do conjunto. Foi o que fizemos, com o concurso dos Espíritos, cuja benevolentes instruções jamais nos faltaram.

Com a ajuda deste quadro será fácil determinar a ordem e o grau de superioridade ou inferioridade dos Espíritos com os quais podemos entrar em relação, e, por conseguinte o grau de confiança e de estima que eles merecem. Esta é, de alguma maneira, a chave da Ciência espírita, pois só ela pode explicar-nos as anomalias que as comunicações apresentam, esclarecendo-nos sobre as irregularidades intelectuais e morais dos Espíritos. Observaremos, entretanto, que os Espíritos não pertencem para sempre e exclusivamente a esta ou aquela classe; o seu progresso se realiza gradualmente, e como muitas vezes se efetua mais num sentido que noutro, eles podem reunir às características de várias categorias, o que é fácil avaliar por sua linguagem e seus atos.


TERCEIRA ORDEM ESPÍRITOS IMPERFEITOS


101. CARACTERES GERAIS. Predominância da matéria sobre o Espírito. Propensão ao mal. Ignorância, orgulho, egoísmo e todas as más paixões conseqüentes. Têm a intuição de Deus, mas não o compreendem.
Nem todos são essencialmente maus; em alguns, há mais leviandade. Uns não fazem o bem, nem o mal; mas, pelo simples fato de não fazerem o bem, revelam a sua inferioridade. Outros, pelo contrário, se comprazem no mal e ficam satisfeitos quando encontram ocasião de praticá-lo.

Podem aliar a inteligência à maldade ou à malícia: mas, qualquer que seja o seu desenvolvimento intelectual, suas idéias são pouco elevadas e os seus sentimentos mais ou menos abjetos.

Os seus conhecimentos sobre as coisas do mundo espírita são limitados, e o pouco que sabem a respeito se confunde com as idéias e os preconceitos da vida corpórea. Não podem dar-nos mais do que noções falsas e incompletas daquele mundo; mas o observador atento encontra freqüentemente, nas suas comunicações, mesmo imperfeitas, a confirmação das grandes verdades ensinadas pelos Espíritos superiores.

O caráter desses Espíritos se revela na sua linguagem. Todo Espírito que, nas suas comunicações, trai um pensamento mau, pode ser colocado na terceira ordem; por conseguinte, todo mau pensamento que nos for sugerido provém de um Espírito dessa ordem.

Vêem a felicidade dos bons, e essa visão é para eles um tormento incessante, porque lhes faz provar as angústias da inveja e do ciúme.

Conservam a lembrança e a percepção dos sofrimentos da vida corpórea, e essa impressão e freqüentemente mais penosa que a realidade. Sofrem, portanto, verdadeiramente, pelos males que suportaram e pelos que acarretaram aos outros; e como sofrem por muito tempo, julgam sofrer para sempre. Deus, para os punir, quer que eles assim pensem.

Podemos dividi-los em cinco classes principais.

102. DÉCIMA CLASSE. ESPÍRITOS IMPUROS. São inclinados ao mal e o fazem objeto de suas preocupações. Como Espíritos, dão conselhos pérfidos, insuflam a discórdia e a desconfiança e usam todos os disfarces para melhor enganar. Apegam-se às pessoas de caráter bastante fraco para cederem as suas sugestões, a fim de as levar à perda, satisfeitos de poderem retardar o seu adiantamento, ao fazê-los sucumbir ante as provas que sofrem.

Nas manifestações, reconhecem-se esses Espíritos pela linguagem: a trivialidade e a grosseria das expressões, entre os Espíritos como entre os homens, é sempre um índice de inferioridade moral, senão mesmo intelectual. Suas comunicações revelam a baixeza de suas inclinações, e se eles tentam enganar, falando de maneira sensata, não podem sustentar o papel por muito tempo e acabam sempre por trair a sua origem.

Alguns povos os transformaram em divindades malfazejas, outros os designam como demônios, gênios maus, Espíritos do mal.

Quando encarnados, inclinam-se a todos os vícios que as paixões vis e degradantes engendram: a sensualidade, a crueldade, a felonia, a hipocrisia, a cupidez e a avareza sórdida. Fazem o mal pelo prazer de fazê-lo, no mais das vezes sem motivo, e, por aversão ao bem, que sempre escolhem suas vítimas entre as pessoas honestas. Constituem verdadeiros flagelos para a Humanidade, seja qual for a posição social que ocupem e o verniz da civilização não os livra do opróbrio e da ignomínia.

103. NONA CLASSE ESPÍRITOS LEVIANOS. São ignorantes, malignos, inconseqüentes e zombeteiros. Metem-se em tudo e a tudo respondem sem se importarem com a verdade. Gostam de causar pequenas contrariedades e pequenas alegrias, de fazer intrigas, de induzir maliciosamente ao erro, por meio de mistificações e de espertezas. A esta classe pertencem os Espíritos vulgarmente designados pelos nomes de duendes, diabretes, gnomos, trasgos. Estão sob a dependência de Espíritos superiores, que deles muitas vezes se servem como fazemos com os criados.

Nas suas comunicações com os homens, a sua linguagem é muitas vezes espirituosa e alegre, mas quase sempre sem profundidade; apanham as esquisitices e os defeitos humanos, que interpretam de maneira mordaz e satírica. Se tomam nomes supostos, é mais por malícia do que por maldade.

104. OITAVA CLASSE. ESPÍRITOS PSEUDO-SÁBIOS. Seus conhecimentos são bastante amplos, mas julgam saber mais do que realmente sabem. Tendo realizado alguns progressos em diversos sentidos, sua linguagem tem um caráter sério, que pode iludir quanto à sua capacidade e às suas luzes. Mais isso, freqüentemente, não é mais do que um reflexo dos preconceitos e das idéias sistemáticas que tiveram na vida terrena. Sua linguagem é uma mistura de algumas verdades com os erros mais absurdos, entre os quais repontam a presunção, o orgulho, a inveja e a teimosia de que não puderam despir-se.

105. SÉTIMA CLASSE. ESPÍRITOS NEUTROS. Nem são bastante bons para fazerem o bem, nem bastante maus para fazerem o mal; tendem tanto para um como para outro e não se elevam sobre a condição vulgar da humanidade, quer pela moral ou pela inteligência. Apegam-se às coisas deste mundo, saudosos de suas grosseiras alegrias.

106. SEXTA CLASSE. ESPÍRITOS BATEDORES E PERTURBADORES. Estes Espíritos não formam, propriamente falando, uma classe diferente quanto às suas qualidades pessoais, e podem pertencer a todas as classes da terceira ordem. Manifestam freqüentemente sua presença por efeitos sensíveis e físicos, como golpes, movimento e deslocamento anormal de corpos sólidos, do ar, etc. Parece que estão mais apegados à matéria do que os outros, sendo os agentes principais das vicissitudes dos elementos do globo, quer pela sua ação sobre o ar, a água, o fogo, os corpos sólidos, ou nas entranhas da Terra. Reconhecesse que esses fenômenos não são devidos a uma causa fortuita e física, quando têm um caráter intencional e inteligente. Todos os Espíritos podem produzir esses fenômenos, mas os Espíritos elevados os deixam, em geral, a cargo dos Espíritos subalternos, mais aptos para as coisas materiais que para as inteligentes. Quando julgam que as manifestações desse gênero são úteis, servem-se desses Espíritos como auxiliares.


SEGUNDA ORDEM ESPÍRITOS BONS


1O7. CARACTERES GERAIS. Predomínio do Espírito sobre a matéria; desejo do bem. Suas qualidades e seu poder de fazer o bem estão na razão do grau que atingiram: uns possuem a ciência, outros a sabedoria e a bondade; os mais adiantados juntam ao seu saber as qualidades morais. Não estando ainda completamente desmaterializados, conservam mais ou menos, segundo sua ordem, os traços da existência corpórea, seja na linguagem, seja nos hábitos, nos quais se encontram até mesmo algumas de suas manias. Se não fosse assim seriam Espíritos perfeitos.
Compreendem Deus e o infinito e gozam já da felicidade dos bons. Sentem-se felizes quando fazem o bem e quando impedem o mal. O amor que os une é para eles uma fonte de inefável felicidade, não alterada pela inveja nem pelos remorsos, ou por qualquer das más paixões que atormentam os Espíritos imperfeitos; mas terão ainda de passar por provas, até atingirem a perfeição absoluta.

Como Espíritos, suscitam bons pensamentos, desviam os homens do caminho do mal, protegem durante a vida aqueles que se tornam dignos e neutralizam a influência dos Espíritos imperfeitos sobre os que não se comprazem nela.

Quando encarnados, são bons e benevolentes para com os semelhantes; não se deixam levar pelo orgulho, nem pelo egoísmo, nem pela ambição; não provam ódio, nem rancor, nem inveja ou ciúme, fazendo o bem pelo bem.

A esta ordem pertencem os Espíritos designados nas crenças vulgares pelos nomes de bons gênios, gênios protetores, Espíritos do bem. Nos tempos de superstição e de ignorância, foram considerados divindades benfazejas.

Podemos dividi-los em quatro grupos principais:

108. QUINTA CLASSE. ESPÍRITOS BENÉVOLOS. Sua qualidade dominante é a bondade; gostam de prestar serviços aos homens e de os proteger; mas o seu saber é limitado: seu progresso realizou-se mais no sentido moral que no intelectual.

109. QUARTA CLASSE. ESPÍRITOS SÁBIOS. O que especialmente os distingue é a amplitude dos conhecimentos. Preocupam-se menos com as questões morais do que com as científicas, para as quais têm mais aptidão; mas só encaram à Ciência pela sua utilidade, livres das paixões que são próprias dos Espíritos imperfeitos.

110. TERCEIRA CLASSE. ESPÍRITOS PRUDENTES. Caracterizam-se pelas qualidades morais de ordem mais elevada. Sem possuir conhecimentos ilimitados, são dotados de uma capacidade intelectual que lhes permite julgar com precisão os homens e as coisas.

111. SEGUNDA CLASSE. ESPÍRITOS SUPERIORES. Reunem a ciência, a sabedoria e a bondade. Sua linguagem, que só transpira benevolência, é sempre digna, elevada e freqüentemente sublime. Sua superioridade os torna, mais que os outros, aptos a nos proporcionar as mais justas noções sobre as coisas do mundo incorpóreo, dentro dos limites do que nos é dado conhecer. Comunicam-se voluntariamente com os que procuram de boa fé a verdade, e cujas almas estejam bastante libertas dos liames terrenos para a compreender; mas afastam-se dos que são movidos apenas pela curiosidade, ou que, pela influência da matéria, desviam-se da prática do bem.

Quando, por exceção, encarnam na Terra, é para cumprir uma missão de progresso, e então nos oferecem o tipo de perfeição a que a Humanidade pode aspirar neste mundo.


PRIMEIRA ORDEM ESPÍRITOS PUROS


112. CARACTERES GERAIS. Nenhuma influência da matéria. Superioridade intelectual e moral absoluta, em relação aos Espíritos das outras ordens.
113. PRIMEIRA CLASSE. Classe única. Percorreram todos os graus da escala e se despojaram de todas as impurezas da matéria. Havendo atingido a soma de perfeições de que é suscetível a criatura, não têm mais provas nem expiações a sofrer. Não estando mais sujeitos à reencarnação em corpos perecíveis, vivem a vida eterna, que desfrutam no seio de Deus.

Gozam de uma felicidade inalterável, porque não estão sujeitos nem às necessidades nem às vicissitudes da vida material, mas essa felicidade não é a de uma ociosidade monótona, vivida em contemplação perpétua. São os mensageiros e os ministros de Deus, cujas ordens executam, para a manutenção da harmonia universal. Dirigem a todos os Espíritos que lhes são inferiores, ajudam-nos a se aperfeiçoarem e determinam as suas missões. Assistir os homens nas suas angústias, incitá-los ao bem ou a expiação de faltas que os distanciam da felicidade suprema, é para eles uma ocupação agradável. São às vezes designados pelos nomes de anjos, arcanjos ou serafins.

Os homens podem comunicar-se com eles, mas bem presunçoso seria o que pretendesse tê-los constantemente às suas ordens.



O LIVRO DOS ESPíRITOS - LIVRO 2, CAP. 1 - ESCALA ESPíRITA

As Voltas da Vida

A felicidade pode existir em cada momento e em cada situação. Se seu trabalho é maçante, é porque você escolheu enxergá-lo desse jeito. Se seu vizinho é desagradável, é porque você o considera assim. Aceite as coisas como elas são.

Encontre o lado bom das coisas ao seu redor. Nada o fará feliz até que você decida ser feliz. Aceite as coisas como elas são e você terá o poder de torná-las o que você quiser.
Nada tem o poder de fazê-lo feliz, mas você tem o poder de extrair felicidade de qualquer coisa.

Luta e conflito, riso e alegria, lágrimas e sorrisos, são todos parte da mesma abundante e incrível sinfonia que é a vida. A riqueza de estarmos vivos nunca é condicional. Ela não é feita apenas de diversão, mas você realmente gostaria que fosse assim?

Regozije-se com as voltas que sua vida dá, pois é disso que ela é feita.

Enviado por Claudia Nelli/BA

Louvado Seja Deus

O velho André era um escravo resignado e sofredor.
Certo dia, ele soube que Jesus nos ensinara a santificar o nome de Deus e prometeu a si mesmo jamais praticar o mal.
Se o feitor da fazenda o perseguia, André perdoava e dizia de todo o coraçao: - Louvado seja Deus.
Se algum companheiro tentava-o a fugir das obrigações de cada dia, considerando as injustiças que os cercavam, ele dizia contar com a Bondade Divina, indicava o céu e repetia: - Louvado seja Deus.
Quando veio a libertação dos cativos, o dono da fazenda chamou-o e disse-lhe que a pobreza e a doença lhe batiam à porta e pediu-lhe que não o abandonasse. Todos os companheiros se ausentaram, embriagados de alegria, mas André teve compaixão do Senhor, agora humilhado, e permaneceu no serviço, imaginando que Deus estaria satisfeito com o seu procedimento.
O proprietário da terra, pouco a pouco, perdeu o que possuía, arruinado pela enfermidade, mas o generoso servidor cuidou dele, até à morte, afirmando sempre: - Louvado seja Deus.
André estava cansado e envelhecido, quando o antigo patrão faleceu. Quis trabalhar, mas o corpo encarquilhado curvava-se para o chão, com muitas dores.
Esmolou, então, com humildade e paciência e, de cada vez que recebia algum pão para saciar a fome ou algum trapo para cobrir o corpo, exclamava alegremente: - Louvado seja Deus.
Certa noite, muito sozinho, com sede e febre, notou que alguém penetrava em sua choça de palha. Quem seria?
Em poucos instantes, um anjo erguia-se à frente dele.
Acanhado e aflito, quis falar alguma coisa, mas não pôde. O anjo, porém, sorrindo, abraçou-o e exclamou:
André, o nome de Nosso Pai Celestial foi exaltado por seu coração e vim buscar você para que a sua voz possa louvá-lo agora no céu.
No dia seguinte, o corpo do velho escravo apareceu morto na choupana, mas, sobre o teto rústico as aves pousavam, cantando, e muita gente afirmou que os passarinhos pareciam repetir: - Louvado seja Deus!


Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Pai Nosso. Ditado pelo Espírito Meimei. 19 edição. Rio de Janeiro, RJ: FEB.


Enviado por Francisco Cortizo/BA

Mensagem de Mãe Maria

Círculo de Luz e Amor de Maria * mensaem recebida por Jane M. RibeiroEntradaX

Amados Filhos,


Que a força do amor traga paz aos vossos corpos, mentes e corações.
Viveis um tempo de atribulações onde, cada vez mais, sois testados em vossas convicções.
A mente humana aceita ainda, sem questionar, todas as falsas ilusões do mundo tridimensional que são alimentadas pela força que destes ao inconsciente coletivo.
Vossos pensamentos, vossas palavras, vossas ações só encontram sentido naquilo que vos cerca e que pode ser tocado, olhado, ouvido e, a cada dia, sois mergulhados em situações contraditórias que só fazem gerar mais confusão em vossas vidas.
A pressão da vida moderna tem cavado profundas crateras em vossas vidas, e cada vez mais a agitação em que estais envolvidos aprofundam o abismo entre vosso pensar, querer, sentir.
É preciso, bem amados, que possais procurar, rapidamente, a vossa paz.
É preciso que exerciteis vosso querer férreo buscando desligar-vos das falsas aparências que aceitais como realidade única, para buscardes a verdade única que somente podereis encontrar quando reencontrardes o caminho de volta ao Pai.
Lembrai-vos, amados.
Existe um único caminho de comunhão com o Pai, mas cada um de vós precisa reencontrar o atalho que vos levará de volta a rota principal onde todos deverão se reencontrar, tornando possível o restabelecimento da unidade de vossas essências, da verdadeira substância do que sois.
Não vos descuideis, pois na busca do vosso atalho.
Ele é único para cada um de vós, lembrai-vos.
Perceber essa pequena verdade é o 1º passo para reconhecer que só vós mesmos podereis afirmar, com segurança: Este é o meu caminho, esta é a minha verdade e neles eu vou centrar minha fé, e neles eu vou mergulhar com determinação para alcançar a comunhão definitiva com minha essência recebendo de volta paz, amor e luz.
Bem amados, buscai rapidamente isolar-vos da pressão do mundo ilusório, buscando vossas respostas na calma infinita que permeia vossas mentes e corações quando clamais pela voz do Pai.
Ele vos fala sempre e mais, Ele vos mostra o caminho, Ele clareia vossas mentes, Ele alimenta vossos corações fazendo jorrar constantemente a alegria que envolve aqueles que verdadeiramente acreditam na Luz.
Crer, bem amados, Crer na Luz é o passo básico para a conquista da eterna felicidade.
Crer que carregais em vós uma minúscula partícula dessa mesma Luz para que possais reconhecê-la no intimo do seu Ser, revelando-a para o mundo, para a vida e para vós mesmos tudo aquilo que sois.
Assim reencontrareis a esperança.
Basta crer, acreditar, bem amados, na Luz que sois.
Acreditar na pequena centelha que aquece vosso coração, senti-la através de vossas meditações, buscá-la incessantemente em vossas preces, reconhecê-la no silêncio da vossa mente e liberando-a, pela força do amor que vos impulsiona, para que ela brilhe através desse corpo que a contém fazendo resplandecer a vossa luz, deixando que ela envolva a vida que vos rodeia, levando com ela também a esperança para os descrentes e duros de coração que ainda só acreditam na força da matéria densa e limitada como forma de ser feliz.
Esperança, bem amados, vosso mundo precisa da força da esperança para não cair, mais uma vez, na escuridão que faz emergir dores, guerras, limites, desilusões.
Deixai, pois brilhar a vossa luz, cultivai-a diariamente através de vossas ações e de vossas orações, ousai deixar vossa alma nortear toda a vossa conduta, desprezando todas as atitudes e pensamentos que não emergirem de vossos corações e aceitai amados, aceitai com naturalidade mais esta oportunidade de Ser Feliz.
Meditai e orai.
Meditai sobre vossa perfeição a ser revelada no mundo da forma, meditai sobre o propósito que assumistes cumprir ao encarnar, meditai sobre as oportunidades que a vida vos oferece a cada dia e, ainda, meditai sobre o maior poder de que sois detentores, o poder de escolher o que quereis concretizar, o que quereis vivenciar, em que quereis acreditar para prosseguir com contentamento, com alegria, com segurança de que não importa quantos desafios ainda precisais vencer, não importa quantos obstáculos ainda encontrareis.
Viestes para concretizar, no mundo da matéria, a revelação da Luz, a Luz que todos sois, eliminando definitivamente todos os obstáculos que vos separam do estado de Ser Feliz.
Bem amados, que vossas orações continuadas vos revelem toda a energia que precisais para continuardes a jornada, na certeza que a porta das múltiplas moradas do Pai estão abertas, hoje e sempre, para todos aqueles que, como vós, crêem na Luz e escolheram na Luz Ser Feliz.
Bem amados, Eu vos deixo agora derramando sobre todos vós as minhas bênçãos e envolvendo a todos no meu manto de proteção porque Eu Sou Maria, Vossa Mãe.

Mensagem de Mãe Maria-32-2009( 86/03) canalizada por Jane M. Ribeiro.

http://br/groups. yahoo.com/group/maemaria/
Enviado por Raimunda Gesteira/BA



Você "faz" o seu dia

Levante-se com ânimo.
Tenha boa disposição desde cedo.
O mau humor pode estragar o seu dia.
Logo ao sair da cama, mentalize:
"Este dia será muito bom para mim.
Hoje só desejarei boas coisas aos outros.
Cumprimentarei a cada um com um sorriso alegre.
Não enxergarei defeito em ninguém.
Nem falarei mal de qualquer pessoa.
Usarei de paciência.
Perdoarei espontaneamente.
Verei um "filho de Deus" em cada rosto".
Experimente fazer isso.
Predispor-se para o otimismo é um esforço que rende bons frutos.

Lourival Lopes
Extraído de "Gotas de esperança"




Enviado por Marluce Faustino/RJ

Obediência e Resignação


A doutrina de Jesus ensina, em todos os seus pontos, a obediência e a resignação, duas virtudes companheiras da doçura e muito ativas, se bem os homens erradamente as confundam com a negação do sentimento e da vontade. A obediência é o consentimento da razão; a resignação é o consentimento do coração, forças ativas ambas, porquanto carregam o fardo das provações que a revolta insensata deixa cair. O pusilânime não pode ser resignado, do mesmo modo que o orgulhoso e o egoísta não podem ser obedientes. Jesus foi a encarnação dessas virtudes que a antigüidade material desprezava. Ele veio no momento em que a sociedade romana perecia nos desfalecimentos da corrupção. Veio fazer que, no seio da Humanidade deprimida, brilhassem os triunfos do sacrifico e da renúncia carnal.

Cada época é marcada, assim, com o cunho da virtude ou do vício que a tem de salvar ou perder. A virtude da vossa geração é a atividade intelectual; seu vicio é a indiferença moral. Digo, apenas, atividade, porque o gênio se eleva de repente e descobre, por si só, horizontes que a multidão somente mais tarde verá, enquanto que a atividade é a reunião dos esforços de todos para atingir um fim menos brilhante, mas que prova a elevação intelectual de uma época. Submetei-vos à impulsão que vimos dar aos vossos espíritos; obedecei à grande lei do progresso, que é a palavra da vossa geração. Ai do espírito preguiçoso, ai daquele que cerra o seu entendimento! Ai dele! porquanto nós, que somos os guias da Humanidade em marcha, lhe aplicaremos o látego e lhe submeteremos a vontade rebelde, por meio da dupla ação do freio e da espora. Toda resistência orgulhosa terá de, cedo ou tarde, ser vencida. Bem-aventurados, no entanto, os que são brandos, pois prestarão dócil ouvido aos ensinos. - Lázaro. (Paris, 1863.)


Allan Kardec. Da obra: O Evangelho Segundo o Espiritismo. 112 edição. Livro eletrônico gratuito em http://www.febnet.org.br. Federação Espírita Brasileira.
Enviado por Francisco Cortizo/BA

Reencontro Estelar

Estrelas num mar de solidão
Procuro no meio do nada uma saudade
Vendo a ti refletida nesta imensidão
Acreditando que um dia te reencontrarei em plena eternidade
Com a certeza de tua presença em meu coração
Que não agüenta mais de tanta ansiedade
Para extravasar todo o tempo de espera dessa emoção

De poder te sentir assim iluminada
Banhando de luz minha alma solitária
Que te aguarda como uma estrela a tempos afastada
Por uma força divina extraordinária
Que só a Sua suprema razão que não nos é revelada
Pode saber o quão a magnitude desse brilho é planetária
E que um dia nossas estrelas se fundiram numa só por Deus abençoada

Manoel Trajano
Abril/2000

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Humildade de Espírito



A humildade é o ingrediente indefinível e oculto sem o qual o pão da vida amarga invariavelmente na boca.

Amealharás recursos amoedados a mancheias, entretanto, se te não dispões a usa-los, edificando o conforto e a alegria dos outros, na convicção de que todos os bens pertencem a Deus, em breve converter-te-ás em prisioneiro do ouro que amontoaste, erguido, assim, à feição de teu próprio cárcere.

Receberás precioso mandato de autoridade entre as criaturas terrestres, no entanto, se não procuras a inspiração do Senhor para distribuir os talentos da justa fraternidade, como quem está convencido de que todo o poder é de Deus, transformar-te-ás, pouco a pouco, no empreiteiro inconsciente do crime, por favoreceres a própria ilusão, buscando o incenso a ti mesmo na prática da injustiça.

Erguerás teu nome no pedestal da cultura, contudo, se te não inclinas à Sabedoria da Eternidade, acendendo a luz em benefício de todos, como quem não ignora que toda inteligência é de Deus, depressa te rojas ao chavascal da mentira, angariando em teu prejuízo a embriaguez da vaidade e a introdução à loucura.

Lembra-te de que a Bondade Celeste colocou a humildade por base de todo o equilíbrio da Natureza.

O sábio que honra a ciência ou o direito não prescinde da semente que lhe garanta a bênção da mesa.

O campo mais belo não dispensa o fio d´água que lhe fecunda o seio em dádivas de verdura.
E o próprio Sol, com toda a pompa de seu magnificente esplendor, embora fulcro de criação, converteria o mundo em pavoroso deserto, não fosse a chuva singela que lhe ambienta no solo a força divina.

Não desdenhes, pois, servir, aprendendo com o Mestre Sublime, que realizou o seu apostolado de amor entre a manjedoura desconhecida e a cruz da flagelação, e serás contado entre aqueles para os quais ele mesmo pronunciou as inesquecíveis palavras:
Bem-aventurados os humildes de espírito, porque a eles mais facilmente se descerrarão as portas do Céu.


Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Intervalos. Ditado pelo Espírito Emmanuel


Enviado por Francisco Cortizo/BA

Liberte-se do Passado.

Uma História ZEN





Na vida que em geral levamos há muito pouca solidão. Mesmo quando estamos sós, nossa vida está tão repleta de influências, de conhecimentos, de memórias e experiências, de ansiedade, aflição e conflito, que nossa mente se torna cada vez mais embotada e insensível, funcionando numa monótona rotina. Estamos sós, alguma vez? Ou estamos transportando conosco todas as cargas do passado?

Conta-se uma história interessante de dois monges que, caminhando de uma aldeia para outra, encontraram uma jovem sentada à margem de um rio, a chorar. Um dos monges dirigiu-se a ela, dizendo: "Irmã, por que choras?". E ela respondeu: "Estás vendo aquela casa do outro lado do rio? Eu vim para este lado hoje de manhã e não tive dificuldade em vadear o rio; mas agora ele engrossou e não posso voltar; não há nenhum barco. "Oh! - disse o monge -, "isto não é problema" - e levantou nos braços a jovem e atravessou o rio, deixando-a na outra margem. Em seguida, os dois monges prosseguiram juntos a viagem.

Passadas algumas horas, disse o outro monge: "Irmão, nós fizemos o voto de nunca tocar numa mulher. O que fizestes é um horrível pecado. Não sentiste prazer, uma sensação extraordinária, ao tocar uma mulher?"

E o outro monge respondeu:

- "Eu a deixei para trás há duas horas. Mas tu ainda a estás carregando, não é verdade?"
Enviado por Marluce Faustino/RJ

Prazeres efêmeros




É bastante comum ouvir-se falar que só se vive uma vez.

Esse discurso em geral é feito por quem deseja se justificar perante a própria consciência.

Afoito por desfrutar de estranhos prazeres, quer acreditar que oportunidades de gozo não podem ser desperdiçadas.

Nessa lógica, quando tais oportunidades se apresentam, elas reclamam fruição e entrega total e imediata.

Mas o raciocínio se apresenta falseado em seu princípio.

Em realidade, vive-se mesmo apenas uma vez.

Desde que é criado, o Espírito vive ininterruptamente e para sempre.

Na carne ou fora dela, a vida segue una e invencível.

Ela não experimenta solução de continuidade, não tem pausas e nem fim.

O cenário muda, os corpos se sucedem, na longa jornada da Imortalidade.

Mas a essência do ser jamais se perde.

Ela se aprimora, refina-se, em suas múltiplas experiências.

Por vezes também se complica ao desperdiçar precioso tempo em práticas infelizes.

De fato, a vida é uma só.

Ela apenas se desdobra em incontáveis existências, nos mais diversos contextos.

Justamente por isso é preciso cautela quando se cogita de divertimentos exóticos.

Muitos prazeres fugazes causam transtornos duradouros.

Os compromissos assumidos em momentos de devaneio e desfrute terão de ser honrados, mais cedo ou mais tarde.

A saúde comprometida com leviandades representa um patrimônio de vida, do qual será preciso dar conta.

Na contabilidade cósmica não há a figura do calote.

Há plena liberdade para estabelecer os mais diversos vínculos e acordos.

Entretanto, todos deverão ser solvidos e desatados.

Convém pensar nisso, antes de se entregar a prazeres efêmeros.

O que quer que se decida viver terá consequências.

Se algo desejado compromete a própria dignidade, é melhor abdicar do desejo.

De nada adianta ter uma satisfação momentânea seguida de um pesar permanente.

Experiências indignas jamais representam oportunidades reais.

São antes de mais nada um perigo.

Em sua jornada milenar, é comum o Espírito cometer alguns deslizes que o enfraquecem em dados setores.

Como precisa vencer-se para transcender em direção ao infinito, de tempos em tempos ele é confrontado com tentações nas quais já sucumbiu.

É quando o passado surge forte, na forma do desejo palpitante e das mais variadas fantasias.

Mas é justamente o momento de o valor pessoal falar mais alto.

Perante as tentações do mundo, lembre-se de que você é imortal.

Por saborosa que pareça determinada sensação ou conquista, ela fatalmente passará.

Ao passo que a sua dignidade espiritual representa um tesouro imorredouro.

Não compensa comprometê-la.



Redação do Momento Espírita.


Enviado por Raimunda Gesteira/BA

O EXEMPLO DE JESUS




Jesus de Nazaré, numa atitude incomum em seu tempo, demonstrava apreço e respeito aos excluídos e discriminados, oferecendo igual atenção às diferenças de classe e sexuais; aos ladrões, às prostitutas, aos adúlteros, aos cobradores de impostos.


Um olhar cuidadoso na vida de Jesus irá revelar a criatura extremamente corajosa, o indivíduo que pregou a tenacidade diante de situações emocional ou moralmente difíceis e que não teve medo de enfrentar a desaprovação.


Jesus não receava correr riscos, porque seus valores não eram locais; em outras palavras, não eram analisados sob a luz de um enfoque particular e geográfico.


O Cristo estava imerso na plenitude do Criador; por isso, suas palavras faziam emergir das profundezas das criaturas os adormecidos “prazeres da alma”. Sua argumentação amorosa e lógica levava as pessoas a sentimentos muito intensos de alegria, prazer, admiração e entusiasmo.


O Mestre deixou claro que, para Deus, não havia eleitos – o reino dos Céus era uma conquista comum a todos aqueles que cultivassem o amor a Deus, ao próximo e a si mesmo.


Texto retirado do livro “Folhas de Outono – Idéias que mobilizam os potenciais humanos” – Ditado pelo Espírito Hammed – Psicografado por Francisco do Espírito Santo Neto – Editora Boa Nova.


Enviado por Marluce Faustino/RJ

Culpas e desculpas


Você já refletiu sobre o que representa a culpa em nossas vidas?
Não há dúvida de que o sentimento de culpa é um dos grandes responsáveis por nossa infelicidade.
Quando fazemos algo que nos causa um desconforto íntimo pertinaz, é bem provável que seja a culpa se instalando.
Mas o que fazer para que esse sentimento não se aloje em nossa intimidade e nos traga fortes dissabores?
Parece lógico que a melhor atitude é a que elimina, em definitivo, esse desconforto de nossa alma.
E que atitude poderia ser mais eficaz do que um sincero pedido de desculpas?
Todavia, pedir desculpas significa admitir que nos equivocamos, e isso mexe diretamente com nosso orgulho.
O que geralmente fazemos, então?
Ficamos remoendo o desconforto e buscamos alguém a quem culpar pela atitude que nossa consciência desaprova.
Não seria mais coerente pedir perdão?
Logicamente seria, mas o orgulho muitas vezes nos impede.
O que fazemos, então?
Preferimos nos punir de outra maneira. E geralmente optamos pelas enfermidades...
A consciência nos acusa, mas em vez de resolver a questão com a humildade de um aprendiz, preferimos a autopunição velada.
Em vez de pedir perdão, optamos pelo sofrimento. Em vez de aliviar a alma admitindo que somos frágeis e nos equivocamos, preferimos nos esconder sob a máscara de uma perfeição da qual ainda estamos distantes.
Por não admitir as nossas próprias fraquezas, também não as admitimos nos outros, e agimos com um rigor desmedido, infelicitando-nos e infelicitando os que conosco convivem.
Mais sensato seria reconhecer que somos aprendizes da vida, e que todo aprendiz tem o direito de errar, mas tem também o dever de corrigir o passo e seguir em frente.
Como aprendizes da vida, não estamos isentos do erro, da queda, das fragilidades que caracterizam a nossa condição de alunos imperfeitos.
Assim sendo, vale a pena agir como quem deseja crescer, aprender, ser feliz. E para isso é preciso saber pedir perdão, saber perdoar, saber tolerar...
Só não admite erros a pessoa que se julga infalível, perfeita, acima do bem e do mal. E essa, certamente é uma pessoa infeliz.
Se quisermos aprender a ser mais leves e menos presunçosos, observemos as crianças. Elas não têm vergonha de pedir desculpas, não guardam mágoa nem rancor.
Quando se machucam, elas choram... Pedem socorro, reconhecem sua fragilidade...
Se não conseguem alcançar algo, pedem ajuda. Para entender as coisas, perguntam várias vezes.
Quando sentem medo, admitem. Pulam no colo mais próximo ou se enroscam no pescoço do amigo ou irmão mais velho.
Isso se chama humildade, isso se chama pureza. Isso se chama sabedoria.
É por isso que as crianças aprendem. Elas não têm vergonha de ser aprendizes da vida.
* * *
O sentimento de culpa é um detrito moral que fustiga a alma. A pessoa que carrega esse fardo, sofre e não admite ser feliz.
Assim sendo, se você não tem a pretensão de ser infalível, perdoe-se, peça perdão, liberte-se desse lixo chamado culpa, e siga em frente.

Texto da Redação do Momento Espírita.


Enviado por Francine Costa/BA

RESULTADO DO 2º QUIZ DO GRUPO IRMÃOS DE LUZ

Neto(vencedor do primeiro quiz),Glória e eu(representante do Grupo Irmãos de Luz e da FEIS)



NOSSOS PARABÉNS A GLÓRIA MARIANI, VENCEDORA DO SEGUNDO QUIZ,COM UM TOTAL DE 41 PONTOS.


PARABENS AOS DEMAIS QUE PARTICIPARAM DESTA PROPOSTA DE DIVULGAÇÃO DO ESPIRITISMO QUE É A SUA MAIOR MISSÃO.


OBRAS DE LEITURA E OBRAS DE ARTE COMO CINEMA DESPERTAM,LIBERTAM,TRANSCENDEM E AGREGAM SEMPRE NO CRESCIMENTO DO SER.



UM GRANDE BEIJO,TRAJANO






RESPOSTAS DO QUIZ:


1) PENTATEUCO QUE COMPÕE AS OBRAS DE ALLAN KARDEC EM ORDEM CRONOLÓGICA


Lançado em Paris (França) em 18 de abril de 1857 - O primeiro livro: O Livro dos Espíritos", contém os "Princípios da Doutrina Espírita sobre a imortalidade da alma, a natureza dos Espíritos e suas relações com os homens, as leis morais, a vida presente, a vida futura e o porvir da Humanidade - segundo os ensinos dados por Espíritos superiores com o concurso de diversos médiuns - recebidos e coordenados por Allan Kardec".

Publicado em janeiro de 1861 - O segundo livro: "O Livro dos Médiuns", que apresenta no seu frontispício o subtítulo "Guia dos Médiuns e dos Evocadores", contém o "Ensino especial dos Espíritos sobre a teoria de todos os gêneros de manifestações, os meios de comunicação com o mundo invisível, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e os tropeços que se podem encontrar na prática do Espiritismo". Kardec diz que este livro constitui a seqüência d' O Livro dos Espíritos.

Lançado em abril de 1864 - O terceiro livro: "O Evangelho segundo o Espiritismo", contém "A explicação das máximas morais do Cristo em concordância com o Espiritismo e suas aplicações às diversas circunstâncias da vida".

Publicado em agosto de 1865 - O quarto livro: "O Céu e o Inferno ou a Justiça Divina segundo o Espiritismo", contém o "Exame comparado das doutrinas acerca da passagem da vida corporal à vida espiritual, das penalidades e recompensas futuras, dos anjos e demônios e das penas eternas, etc., seguido de numerosos exemplos acerca da situação real da alma durante a morte e depois dela".

Lançada em janeiro de 1868 - O quinto livro: "A Gênese, os Milagres e as Predições segundo o Espiritismo", contém uma Introdução e três Partes. A Primeira trata da Gênese e é formada por doze capítulos: caráter da revelação espírita, Deus, o bem e o mal, papel da ciência na Gênese, antigos e modernos sistemas do mundo, uranografia geral, esboço geológico da Terra, teorias sobre a formação da Terra, revolução do globo, Gênese orgânica, Gênese espiritual, Gênese mosaica. A Segunda trata dos milagres e possui três capítulos: caracteres dos milagres, os fluidos, os milagres no Evangelho. A Terceira cuida das predições e é constituída também por três capítulos: teoria da presciência, predições do Evangelho, os tempos são chegados.





2) FILMES ESPÍRITAS E/OU QUE CONTEMPLASSEM TEMAS LIGADOS A DOUTRINA COMO MEDIUNIDADE E FENOMENOS DIVERSOS




Ghost

Amor Além da Vida

A Paixão de Cristo
O Sexto Sentido
Falando Com os Mortos
O Mistério da Libélula
Os Outros
Voltar a Morrer
Ecos do Além
O Dom da Premonição
Os Espíritos
Além da Eternidade
O Jogo dos Espíritos
Cidade dos Anjos
O Enviado
A Casa dos Espíritos
Reencarnação
Stigmata
Código DaVinci
O Céu Pode esperar
O Todo Poderoso
A Volta do Todo Poderoso
A Premonição (1997)
Constantine
Em Algum Lugar do Passado
Tempo de Despertar
A Corrente do Bem
Patch Adams
À Espera de Um Milagre
K-Pax , O Caminho da Luz
Sociedade dos Poetas Mortos
Alta Frequência
De Allan Kardec aos Nossos Dias
Além da Eternidade
O Sexto Sentido
Ghost
Os Outros
Amor além da vida
Joelma 23º andar
Falando com os mortos
O Sexto sentido
Cidade dos anjos
Evocando espíritos
A Última profecia
Bezerra de Menezes
Poltergeist
O Exorcista
O Jogo dos Espíritos

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

LESMA E PINAÚNA



Era uma vez uma família muito grande, cujo sobrenome era Criaturas de Deus.Dentre elas, havia duas criaturas que eram aparentemente muito diferentes.Uma se chamava Lesma Criatura de Deus e a outra Pinaúna Criatura de Deus.Lesma de Deus, por sua natureza, era muito vulnerável ao fazer contatos.Amava muito todos os seus irmãos,inclusive Pinaúna Criatura de Deus, mas tinha dificuldade de se aproximar dele por ter o corpo muito sensível, que se feria ao mais leve atrito.Pinaúna Criatura de Deus também tinha muito amor em seu coração e, no entanto, quando se aproximava de seus irmãos, diferentes dele, muitas vezes os feria, mesmo sem querer, por causa de seus espinhos brilhantes, com que seu criador lhe presenteara.É que Pinaúna era muitíssimo sensível em seu interior, tão sensível que não o expunha e só mesmo um irmão de íntimo e exterior tão vulneráveis tal qual Lesma seria capaz de o compreender. Lesma e Pinaúna tinham grande vontade de se aproximarem mas a diferença de seus corpos não o permitia, pois seria fatal para Lesma ser espetada pelos espinhos de Pinaúna, que ficava muito triste quando isto acontecia.Então os dois resolveram consultar D. Pedra Criatura de Deus, outro membro da imensa família Criatura de Deus, reconhecida por sua sabedoria,para perguntarem como poderiam se relacionar de forma a não causarem dano um ao outro.E D. Pedra respondeu: “Cada um separadamente vai encontrar sua resposta dentro do seu íntimo e de acordo com sua natureza.É um aprendizado lento.Pinaúna precisa ser tratado com muita suavidade e tato para não se assustar e mover defensivamente seus espinhos e Lesma deve ter muito cuidado consigo mesma para não se aproximar de forma desatenta, distraída ou impulsiva de seu irmão e se ferir sem necessidade”. Pinaúna e Lesma se despediram ao sairem da casa de D. Pedra, muito contentes,mesmo ainda sem suas respostas, mas cheios de esperança de serem bons aprendizes da arte de se relacionar com gentileza e paciência.E enquanto refletem sobre as palavras que ouviram, Pinaúna e Lesma perceberam que já estavam exercitando, de maneira sutil, a forma mais harmônica de agirem, respeitando sua maneira singular de ser e aceitando a diferença do outro.Afinal, é a isto que a família Criaturas de Deus chama AMAR.
(Autor desconhecido)

TV CEI NA SKY E NA NET

Espíritas de todo o Brasil se organizaram e, mobilizados, lançaram a campanha "Eu quero a TVCEI na SKY e na NET". Concretizando-se, o fato beneficiaria milhões de pessoas, levando a mensagem espírita para um número ainda maior de lares. Para as operadoras, uma oportunidade singular de captar novos assinantes.
Participe você também! Assine agora mesmo o abaixo-assinado e divulgue para seus amigos! Chegou a hora de consolidar o tão esperado canal de TV Espírita.

Acesse o Link: www.euconcordo.com/tvcei

MENSAGEM DO DIA

Bom dia!!!





Só existe um canto do Universo que você pode ter certeza de que é capaz de melhorar, e ele é o seu próprio eu.

É lá que você tem de começar.



Enviado por Glória Mariani/PR-BA

PALESTRA COM JACÓ ALVES

Tema: FINADOS
Horário:19:30 h
Data: 05/11/09
Local: Associação Espírita Semente de Luz - Rua Ismael Ribeiro(início),n.04 - Tororó - Salvador - Bahia
(Clic na figura para ampliá-la)

I HUMANIZAR - DF

(Clic na figura para ampliá-la)


Enviado por: Editora Dufaux


Pessoal, Para seu conhecimento. Conforme comentado por Wanderley Oliveira no SEMINARIO PRAZER DE VIVER no SEMEADOR,seria interessante ter uma representação do PORTAL HUMANIZAR na Bahia. Uma boa idéia de pioneirismo na Bahia não acham? Vão pensando e conheçam mais no site abaixo.
Abraço, Trajano

terça-feira, 27 de outubro de 2009

PARTICIPE!


Rua das Rosas,Pituba,Salvador-Bahia
HÁ VÁRIAS FORMAS DE AJUDAR NESTE MOMENTO EM QUE CELEBRAMOS OS 8 ANOS DA FEIS.
Ou com:
Trajano - 71-9155-0556 / 8800-7713

"Ave Maria" 7 Idiomas

Português
Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é
convosco, E bendita sois vós entre as mulheres e
bendito é o fruto de vosso ventre, Jesus. Santa
Maria, mãe de Deus, rogai por nós pecadores,
agora e na hora de nossa morte. Amém.





Inglês
Hail Mary, full of grace, The Lord is with thee;
Blessed art thou among women and blessed is the fruit
of thy womb, Jesus. Holy Mary, Mother of God, pray for
us sinners now and at the hour of our death. Amen.




Latim
Ave Maria, gratia plena, Dominus tecum:
Benedicta tu in mulieribus et benedictus fructus
ventris tui Jesu. Sancta Maria, Mater Dei, ora
pro nobis peccatoribus, nunc et in hora mortis
nostrae. Amen.




Italiano
Ave Maria piena di grazia, il Signore è
con te. Tu sei benedetta tra le donne e benedetto
è il frutto del tuo seno Gesù. Santa Maria, Madre
di Dio, prega per noi peccatori, adesso e
nell'ora della nostra morte. Amen




Espanhol
Dios te salve María llena eres de
Gracia, el Señor es contigo. Bendita eres entre
todas las mujeres y bendito es el fruto de tu
vientre Jesús. Santa María, Madre de Dios, ruega
por nosotros los pecadores ahora y en la hora de
nuestra muerte. Amén.




Francês
Je vous salue, Marie pleine de grâce, le
Seigneur est avec toi. Tu es bénie entre toutes
les femmes et Jésus, le fruit de tes entrailles,
est béni. Sainte Marie, Mère de Dieu, prie pour
nous, pauvres pécheurs, maintenant et à l'heure
de notre mort. Amen. Inglês Hail Mary, full of
grace, The Lord is with thee; Blessed art thou
among women and blessed is the fruit of thy womb,
Jesus. Holy Mary, Mother of God, pray for us
sinners now and at the hour of our death. Amen.



Alemão
Gegrüßet seist du, Maria, voll der Gnade,
der Herr ist mit dir. Du bist gebenedeit unter
den Frauen, und gebenedeit ist die Frucht deines
Leibes, Jesus. Heilige Maria, Mutter Gottes,
bitte für uns Sünder jetzt und in der Stunde
unseres Todes. Amen.



Enviado por Laura Romão/BA

DA SOMBRA PARA A LUZ

Arte e Formatação - Lori

Estranhamos, muitas vezes, na Terra, a multiplicidade dos conflitos emocionais que nos assaltam, de improviso, assinalando deploráveis influências ocultas.

Em muitas circunstâncias, basta leve impulso na direção do bem, para que se manifestem, desesperadas, como a impedir-nos o acesso à Vida Superior.

Na iniciação da mediunidade, surgem, quase sempre, na forma de obsessões marginais, ameaçando-nos as mais belas aspirações, tanto quanto na construção da fé viva, adentro de nosso grupo familiar, aparecem na feição de desentendimento e discórdia, a se expressarem rudes e virulentas naqueles que mais amamos.

Entretanto, no exame do problema, recorramos a quadro simples da natureza.

Toda vez que necessitamos rasgar estradas novas no seio da gleba anônima, duro trabalho de educação do solo se faz imprescindível.

Sobre o chão agressivo e áspero, picareta e trator se mostram necessários, reclamando-se, ainda, o auxilio do pedregulho arestoso na pavimentação do caminho antes que o homem se valha dele na movimentação do progresso.

Utilizamos-nos do símile para considerar que também na abertura de novas rotas do espírito, tarefas sacrificiais se exigem de nós com vistas ao indispensável burilamento e, assim como os engenheiros supervisionam a obra, confiando-a braços rijos, habilitados à remoção do material primitivo e inferior, também os Instrutores Celestes, sem perder-nos, entrega-nos a companheiros mais ou menos semelhantes a nós, que nos desbastam o campo íntimo, através de lutas e sofrimentos até que lhes ofereçamos justo padrão de serviço ao apostolado de luz que se propõem a veicular.
É por isso que, em todos os percalços de nossa edificação para a Vida Eterna, realmente, não podemos dispensar o concurso efetivo da paciência, porque somente por essa virtude singela e renovadora é que poderemos vencer as inibições externas com o necessário triunfo sobre nós mesmos.

EMMANUEL
(Do livro "Linha Duzentos", Francisco Cândido Xavier)


------- -----

ACENDE A LUZ

Ao longo do caminho em que jornadeias para diante,
encontrarás a treva a cercar-te em todos os flancos.

Trevas da ignorância em forma de incompreensão,
nevoeiros de ódio em forma de desespero,
neblinas de impaciência em forma de lágrimas
e sombras de loucura em forma de tentações sinistras.
Acende, porém, a luz da oração e caminha.
A prece é claridade que te auxiliará a ver a amargura das vítimas do mal,
as feridas dos que te ofendem sem perceber,
as mágoas dos que te perseguem
e a infelicidade dos que te caluniam.
Ora e segue, adiante.
O horizonte é sempre mais nobre
e a estrada sempre mais sublime,
desde que a oração permaneça em tua alma
em forma de confiança e de luz.


ANDRÉ LUIZ
(Do livro "Servidores no Além", Francisco Cândido Xavier)

Realização:

Instituto André Luiz



Enviado por Marluce Faustino/RJ

VAMPIROS

Todos nós os conhecemos, sabemos como são, como se vestem, como agem e seus propósitos: sugar o sangue de suas vítimas, pois só assim sobrevivem. Esses são os vampiros dos filmes, seres errantes de capa preta e grandes dentes, ávidos por sangue, que andam pelas sombras em busca de suas vítimas.

Mas existe um tipo de vampiro que convivemos diariamente - os vampiros de energia. Eles podem ser nosso irmão, marido ou esposa, empregado, amigo, vizinho, gerente do banco, ou seja, qualquer um do nosso convívio. Eles roubam energia vital, comum no universo, mas que eles não conseguem receber.

Mas, afinal, por que estas pessoas sugam nossa energia?

Bem, em primeiro lugar a maioria dos vampiros de energia atua inconscientemente, sugando a energia sem saber o que estão fazendo. Isso acontece porque elas não conseguem absorver as energias das fontes naturais e ficam desequilibradas energeticamente.

Quando essas pessoas bloqueiam o recebimento destas energias naturais (ou vitais), precisam encontrar outras fontes mais próximas, que nada mais são do que as pessoas ao redor. Na verdade, quase todos nós, num momento ou outro da vida, quando nos encontramos em um estado de desequilíbrio, acabamos nos tornando vampiros da energia alheia.

Como identificar e combater essas pessoas?

1. Vampiro cobrador: cobra sempre, de tudo e todos. Quando nos encontramos com ele, já vem cobrando o porquê não lhe telefonamos ou visitamos. Se você vestir a carapuça e se sentir culpado, abrirá as portas. O melhor é usar de sua própria arma, cobrando de volta e perguntando por que ele não liga ou aparece. Deixe-o confuso, sem tempo para retrucar e se retire rapidamente.

2. Vampiro crítico: crítica tudo e todos, e o pior que é só critica negativamente. Vê a vida somente pelo lado sombrio. A maledicência tende a criar na vítima um estado de alma escuro e pesado, que abrirá seu sistema para que a energia seja sugada. Diga 'não' à suas críticas e nunca concorde com ele. A vida não é tão negra assim. O melhor é cair fora e cortar o contato.

3. Vampiro adulador: o famoso puxa-saco. Adula o ego da vítima, cobrindo-a de elogios falsos, tentando seduzi-la. Muito cuidado para não dar ouvidos ao adulador, pois ele espera que o orgulho da vítima abra as portas da aura para sugar a energia.

4. Vampiro reclamador: reclama de tudo e de todos. Opõe-se a tudo, exige, reivindica, protesta sem parar. O mais engraçado é que nem sempre dispõe de argumentos sólidos e válidos para justificar seus protestos. A melhor tática é deixá-lo falando sozinho.
5. Vampiro inquiridor: sua língua é uma metralhadora. Dispara perguntas sobre tudo e não dá tempo para que a vítima responda. Na verdade ele não quer respostas, mas sim desestabilizar o equilíbrio mental da vítima, perturbando seu fluxo de pensamentos. Para sair de suas garras, não se ocupe à procura de respostas. Reaja fazendo-lhe uma pergunta bem pessoal, contundente e procure se afastar assim que possível.

6. Vampiro lamentoso: são os lamentadores profissionais, que anos a fio choram suas desgraças. Para sugar a energia da vítima, ataca pelo lado emocional e afetivo. Chora, lamenta-se e faz de tudo para despertar pena. É sempre o coitado, a vítima. Corte suas lamentações dizendo que não gosta de queixas, pois elas não resolvem situação alguma.

7. Vampiro pegajoso: investe contra as portas da sensualidade e sexualidade da vítima. Parece um polvo querendo envolver a pessoa com seus tentáculos. Ele suga a energia seduzindo ou provocando náuseas e repulsa. Nos dois casos você estará desestabilizado e vulnerável. Invente uma desculpa e fuja rapidamente.

8. Vampiro grilo-falante: a porta de entrada que ele quer arrombar é o seu ouvido. Pode falar durante horas, e enquanto mantém a atenção da vítima ocupada, suga sua energia vital. Para livrar-se invente uma desculpa, levante-se e vá embora.

9. Vampiro hipocondríaco: cada dia aparece com uma doença nova. É desse jeito que chama a atenção dos outros, despertando preocupação e cuidados. Enquanto descreve os pormenores de seus males e conta seus infindáveis sofrimentos, rouba a energia do ouvinte, que depois sente-se péssimo.

10. Vampiro encrenqueiro: para ele o mundo é um campo de batalha onde as coisas só são resolvidas na base do tapa. Quer que a vítima compre sua briga, provocando nela um estado raivoso, irado e agressivo. Esse é um dos métodos mais eficientes para desestabilizar a vítima e roubar-lhe a energia. Não dê campo para a agressividade, procure manter a calma e corte laços com este vampiro.

Bem, agora que você já conhece como agem os vampiros de energia, livre-se deles o mais rápido possível. Mas, não esqueça de verificar se você, sem querer é obvio, não faz parte dessa lista...

Vera Caballero, jornalista, orientadora metafísica e professora de bioenergias e proteção psíquica
Enviado por Marluce Faustino/RJ

Não Matarás

O médico já havia atendido várias pacientes, naquele dia, quando uma jovem mãe adentrou seu consultório, levando nos braços um precioso fardo: seu lindo bebê.

Assim que o profissional lhe perguntou em que poderia ajudar, ela desabafou, ansiosa: doutor, preciso que me ajude a resolver um problema grave.

Meu filho tem pouco mais de um ano e estou grávida novamente!

Não pretendo ter outro filho agora. Ainda é muito cedo. Pretendo dar um espaço maior entre um e outro.

O médico, muito atencioso lhe perguntou: e em que eu poderia lhe ajudar?

A mulher, já esperançosa, respondeu: quero interromper esta gravidez e conto com a sua ajuda.
O médico a olhou atentamente, como a buscar inspiração para a solução do caso, depois lhe disse: eu tenho uma alternativa melhor para lhe propor. Resolve o seu problema e não oferece risco nenhum para a senhora.

A mulher, muito atenta, ouviu a sugestão: para a senhora não ficar com dois bebês, de idades tão próximas, vamos matar este que está em seus braços. Assim, o outro poderá nascer, sem problemas. Se o caso é matar, não há diferença para mim entre um e outro. Sacrificar esse que já nasceu é bem mais fácil e mais barato. Ademais, a senhora não sofre nem corre risco algum.

Então, o que me diz?

A mulher ficou horrorizada.

Não, doutor! Que horror! Matar uma criança é crime! É infanticídio!
O médico, consciente do seu dever, usou mais alguns argumentos e convenceu a mãe de que não havia diferença entre matar a criança já crescida ou a que estava para nascer.

Não matarás!

Este é um dos dez mandamentos recebidos por Moisés, no Monte Sinai, cerca de 1.500 anos antes de Cristo.

O direito à vida é uma lei divina, mas o ser humano deseja se sobrepor ao Criador, criando leis que permitam esse tipo de crime.

O abortamento, permitido pelas leis humanas ou não, não deixa de ser um crime perante as leis morais que regem a vida.

Embora grande parte da humanidade se diga espiritualista, ainda se comete em seu meio esse crime bárbaro contra um ser indefeso, dentro do útero materno.

Salvo os casos prescritos por médicos sérios, em que se deve optar pelo abortamento para salvar a vida da mãe, os demais serão crimes contabilizados na economia moral dos responsáveis.

Como bem disse o médico à mãe que desejava se livrar da gravidez indesejada, não há diferença nenhuma entre matar uma criança no colo ou no ventre.

Hoje em dia existem muitos meios de se programar o nascimento dos filhos, em espaços adequados, sem precisar lançar mão do infanticídio.

O abortamento não é compatível com a civilização. Pelo menos com uma civilização de maioria espiritualista, que admite a existência da alma.

Está mais do que na hora de pensar nisso.

Mesmo porque o espírito que tem sua vida ceifada no ventre materno, não será extinto com a eliminação do seu corpinho em formação.

Se for um espírito elevado, ele perdoará seus assassinos, e perde quem se priva de conviver com uma alma boa que viria para ajudar. Mas, se for um espírito infeliz, poderá perseguir os responsáveis em busca de vingança.

Não é outro o motivo que leva aqueles que praticam abortamentos, à perturbação e até à loucura. E é geralmente nos sonhos que essas cobranças ocorrem, quando estão face a face com suas vítimas.

Por tudo isso, vale a pena ter sempre em mente esse mandamento divino: não matarás!.
Se, por desventura você tenha cometido algum crime, busque a reparação. Rogue a Deus, sinceramente, pela sua misericórdia, e faça algo em prol da vida.

Se já praticou o aborto, dedique um pouco do seu tempo às crianças órfãs, dê-lhes carinho e atenção, seja um colo amigo e afetuoso.

Afinal, Deus não quer a morte do ímpio, mas a eliminação da impiedade.
Pense nisso, e lembre-se: matar, nunca!


Redação da equipe do Momento Espírita, com base em um fato verídico.



Enviado por Francisco Cortizo/BA

Questões 924 a 927 - A Felicidade e Infelicidade Relativas na Terra

Respostas dos Espíritos Superiores a Allan Kardec no Livro dos Espíritos.

924-Há males que independem da maneira de proceder do homem e que atingem mesmo os mais justos. Nenhum meio terá ele de os evitar?

"Deve resignar-se e sofrê-los sem murmurar, se quer progredir. Sempre, porém, lhe é dado haurir consolação na própria consciência, que lhe proporciona a esperança de melhor futuro, se fizer o que é preciso para obtê-lo."

925-Por que favorece Deus, com os dons da riqueza, a certos homens que não parecem tê-las merecido?

"Isso significa um favor aos olhos dos que apenas vêem o presente. Mas, ficai sabendo, a riqueza é, de ordinário, a prova mais perigosa do que a miséria." (veja as questões 814 e seguintes)

926-Criando novas necessidades, a civilização não constitui uma fonte de novas aflições?

"Os males deste mundo estão na razão das necessidades factícias que vos criais. A muitos desenganos se poupa nesta vida aquele que sabe restringir seus desejos e olha sem inveja para o que esteja acima de si. O que menos necessidades tem, esse o mais rico.
"Invejais os gozos dos que vos parecem os felizes do mundo. Sabeis, porventura, o que lhes está reservado? Se os seus gozos são todos pessoais, pertencem eles ao número dos egoístas: o reverso então virá. Deveis, de preferência, lastimá-los. Deus algumas vezes permite que o mau prospere, mas a sua felicidade não é de causar inveja, porque com lágrimas amargas a pagará. Quando um justo é infeliz, isso representa uma prova que lhe será levada em conta, se a suportar com coragem. Lembrai-vos destas palavras de Jesus: Bem-aventurados os que sofrem, pois que serão consolados."

927-Não há dúvida que, à felicidade, o supérfluo não é forçosamente indispensável, porém o mesmo não se dá com o necessário. Ora, não será real a infelicidade daqueles a quem falta o necessário?

"Verdadeiramente infeliz o homem só o é quando sofre a falta do necessário à vida e à saúde do corpo. Todavia, pode acontecer que essa privação seja de sua culpa. Então, só tem que se queixar de si mesmo. Se for ocasionada por outrem, a responsabilidade recairá sobre aquele que lhe houver dado causa."


Allan Kardec. Da obra: O Livro dos Espíritos. 76 edição. Livro eletrônico gratuito em http://www.febnet.org.br. Federação Espírita Brasileira. 1995.

Estude Kardec
Enviado por Francisco Cortizo/BA

FELIZ ANIVERSÁRIO

O GRUPO IRMÃOS DE LUZ FELICITA
JACÓ E JAMILE
PELOS SEUS ANIVERSÁRIOS!
PAZ,LUZ,AMOR,SAÚDE,
HARMONIA E FELICIDADES!!!

EM FAVOR DE VOCÊ MESMO

André Luiz

Aprenda a ceder em favor de muitos, para que alguns intercedam em seu benefício nas situações desagradáveis.

Ajude sem exigência para que outros o auxiliem sem reclamações.

Não encarcere o vizinho no seu modo de pensar; dê ao companheiro oportunidade de conceber a vida tão livremente quanto você.

Guarde cuidado no modo de exprimir-se; várias ocasiões, as maneiras dizem mais que as palavras.

Refira-se a você o menos possível; colabore fraternalmente nas alegrias do próximo.

Evite a verbosidade avassalante; quem conversa sem intermitências, cansa ao que ouve.

Deixe ao irmão a autoria das boas idéias e não se preocupe se for esquecido, convicto de que as iniciativas elevadas não pertencem efetivamente a você, de vez que todo bem procede originariamente de Deus.

Interprete o adversário como portador de equilíbrio; se precisamos de amigos que nos estimulem, necessitamos igualmente de alguém que indique os nossos erros.

Discuta com serenidade; o opositor tem direitos iguais aos seus.

Se você considerar excessivamente as críticas do inferior, suporte sem mágoa as injunções do plano a que se precipitou.

Seja útil em qualquer lugar, mas não guarde a pretensão de agradar a todos; não intente o que o próprio Cristo ainda não conseguiu.

Defrontado pelo erro, corrija-o primeiro em você, e, em seguida, nos outros, sem violência e sem ódio.

Se a perfídia cruzar seu caminho, recuse-lhe a honra da indignação; examine-a, com um sorriso silencioso, estude-lhe o processo calmamente e, logo após, transforme-a em material digno da vida.

Ampare fraternalmente o invejoso; o despeito é indisfarçável homenagem ao mérito e, pagando semelhante tributo, o homem comum atormenta-se e sofre.

Habitue-se à serenidade e à fortaleza, nos círculos da luta humana; sem essas conquistas dificilmente sairá você do vaivém das reencarnações inferiores.

(Do livro "Agenda Cristã", André Luiz, FCXavier)
Enviado por Marluce Faustino/RJ

A importância de um sorriso

As fronteiras que separam as pessoas são muitas, desde receios incontidos, timidez das personalidades a antipatias diversas, algumas entre tantas particularidades existentes que alçam os muros do afastamento entre as criaturas.

Certamente que a lista separatista apartando as individualidades tomaria proporções gigantescas se nos concentrássemos nos detalhes de cada caso de antipatia, mostrando-nos quanto ainda falta ao homem adquirir do quesito fraternidade ao semelhante.

Não obstante, se pudéssemos citar algo que trouxesse imediata simpatia as pessoas, nomearíamos o sorriso como o gesto mais natural e simples de atrair olhares amistosos.
O sorriso sincero estampado no rosto é o melhor cartão de visita convidando o outro a ter conosco. Ele traz aquele sentimento caloroso e espontâneo de empatia em relação a outrem, gerando bem estar nos ambientes.

E quão mais importante se faz esse gesto convidativo dentro da Casa Espírita.
Pois é um dever de todos aqueles que militam junto às instituições que têm como lema o “Amor e Caridade” carregarem no rosto o caloroso receptivo de um belo sorriso, principalmente esses que se encarregam das tarefas de atendimento e lidam de forma mais direta com o público.
Não existe nada mais inibidor que uma feição mal encarada, aborrecida. Realmente não compreendemos esses indivíduos que trabalham de “mau humor”.

Primeiramente, esse é um exercício livre, jamais imposto, e, vendo-o de uma outra forma, as ferramentas para se operar nesse campo não são outras que; a compreensão, o amor e a fraternidade.

Sendo assim, o sorriso na face corrobora as intenções sinceras de um coração, deixando a mostra pelo visual apelativo de simpatia que irradia dele, que estamos prontos para servir ao outro, e com alegria de verdade.

Entristece muito a Espiritualidade Maior ver que os constantes avisos à fraternidade e ao amor são malogrados por melindres, personalismos e casos intercorrentes que desestimulam e afastam as pessoas, criando divisões.

Lembramos que, o atendente na Casa Espírita, de certa forma, representa a própria imagem da Casa através da sua conduta, no que diz e como age, principalmente no seu trato carinhoso, atencioso ou não, com todos aqueles que lhe busque, sejam quais forem as necessidades e desajustes do outro.

Algumas pessoas assumem uma postura sisuda, reflectiva, mais séria, acreditando que isso pode dar-lhes uma maior importância e respeito entre os pares. Mas na verdade o maior respeito é aquele que vem baseado na admiração pela postura sempre amorável de um companheiro.
Gestos amoráveis atraem tantas simpatias e alegrias que é uma pena, uma lastima do comportamento, desperdiça-los.

Tenhamos cuidado amigos, para que não sejamos na tarefa “o vaso de flores artificiais em cima da mesa”, que embora embeleze o ambiente, jamais poderá nos dar o perfume das flores.

Um Amigo da Casa
Mensagem recebida na reunião mediúnica da
Fraternidade Espírita Irmã Scheilla em 22/10/2009

__._,_.___

Enviado por Adriana Monteiro/BA

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

NOVO SITE DA AMAR

Pessoal,

Como parte da divulgação do amigo ALDO estou reforçando para que conheçam o novo site da AMAR,esse adorável Centro Espirita que tenho o prazer de estar durante todo o ano nas Doutrinárias.

--
Use, abuse e divulgue o site da Amar: www.amar-se.org.br
Muita paz!

Aldo



Aproveitando o assunto quem quiser informar os CENTROS que trabalham e de sua preferencia nos informem por favor.Queremos conhecer.

As demais religioes e correntes espiritualistas informem seus sites para conhecermos tambem um pouco mais!


Abraço,

Trajano

SEM CARIDADE

" A vida é como um eco....se não estás recebendo amor então prestes atenção no que estás transmitindo "

(Autor Desconhecido)



Enviado por Marluce Faustino/BA

ORAÇÃO DA PAZ

LUAN JESSAN



Senhor!...

Quantas vezes a Ti elevei o meu pensamento, com o sentimento
envolvido nas brumas da ilusão, inconscientemente almejando
maiores conquistas exteriores...

Uma moradia maior e mais bela... um automóvel luxuoso
para atender-me a vaidade excessiva... mais roupas novas,
saúde perfeita, distrações, viagens, um amor sincero e duradouro...

É bem verdade que nunca solicitei nominalmente essas coisas,
especificando-as... quem sabe por restar-me algum pudor,
por secreta vergonha da própria imaturidade; mas no fundo,
indigente do espírito eu as desejava, pretendendo sempre mais...

Mas hoje, não sei por quê, eu quis fazer uma oração diferente, e,
obedecendo a voz da consciência saí à rua em pensamento,
para observar primeiramente...

Encontrei irmãos vítimas de uma sociedade ególatra, a vagar sem rumo,
sem teto... sem roupas ou carros vistosos; sem emprego,
sem consideração, sem amor, sem alimento ou saúde... Então,
envergonhado, retornei a mim para dizer-Te:

Senhor!... Eu sou tão rico!...

Ensina-me a exercitar a Tua aritmética divina que, ao dividir,
multiplica em benefício de todos!...

Auxilia-me a também distribuir cordialidade, alegria, esperanças...
Que minha presença, embora imperfeita, possa, de alguma forma,
lembrar-Te às criaturas, minhas irmãs!

Sou eu tão rico, Senhor!...

Ajuda-me a reconhecer, a valorizar as maravilhas todas com que
me brindaste a Vida; não somente pelos bens materiais que reconheço
transitórios, senão, principalmente através das riquezas interiores,
imperecíveis, com que nos dotaste a todos, a fim de que não
sejamos indiferentes uns aos outros; pois, verdadeiramente,
o nosso tesouro incomensuravelmente maior, o Teu Reino, está em nós...

Obrigado, Senhor... a oração de hoje aliviou-me, concedendo-me paz...



Enviado por Marluce Faustino/RJ







PARA PARTICIPAR DO GRUPO NO YAHOO GRUPOS:
Assinar irmaosdeluz

Desenvolvido por br.groups.yahoo.com