quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Amigos, Feliz Ano Novo!‏

Amigos,


"É importante, sempre, saber quando termina uma etapa da vida. Se você insiste em permanecer nela, além do tempo necessário, perderá a alegria e o sentido de tudo o mais. Encerrando ciclos, fechando portas, ou encerrando capítulos, como queira chamar, o importante é poder encerrá-los, deixando ir momentos da vida que se concluíram.



Você pode passar muito tempo de seu presente remoendo os porquês, tentando devolver as cacetadas que levou, ou mesmo procurando entender por que aconteceu tal fato em sua vida. O desgaste vai ser infinito, pois, na vida, você, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos temos de ir encerrando capítulos, virando a página, concluindo etapas ou momentos da vida e seguir adiante.



Não podemos estar no presente com saudades do passado. Nem sequer perguntando-nos por quê? O que passou, passou, e temos que soltar, desprender, não ficar presos ao que passou. Não podemos ser crianças eternas, nem adolescentes tardios, nem empregados de empresas que já não existem, nem ter vínculos com quem não quer estar vinculado a nós. Não! Os fatos passam e temos que deixá-los ir!



Por isso, às vezes é importante destruir recordações, livrar-se de presentes, mudar de casa, rasgar papéis velhos, desfazer-se de livros ou de objetos que são desnecessários. As mudanças externas podem simbolizar processos interiores de superação. Deixar ir, soltar, desprender-se.



Na vida ninguém joga com cartas marcadas, e temos que aprender a perder e a ganhar. Temos que deixar ir, virar a página, viver só o presente. O passado já passou.



Não espere que lhe devolvam o passado, não espere reconhecimentos, não espere que em algum momento se dê conta de quem é você. Solte o ressentimento. Ligar seu televisor pessoal para retornar ao assunto só vai causar-lhe dano mental, envenená-lo, amargurá-lo.



Apesar de o tempo não ser linear, a vida está para a frente, nunca para trás.



O que passou deve servir apenas para que continuemos a viver com mais sabedoria. Se você anda pela vida deixando portas abertas, nunca poderá desprender-se nem viver o hoje com satisfação.



Noivados ou amizades que não se fecham possibilidades de regressar para quê? Necessidade de esclarecimentos, palavras que não se disseram silêncios que o invadiram: se puder enfrentá-los já e agora, faça-o!



Se não, deixe-os ir, encerre os capítulos. Diga a você mesmo que não, que não deve voltar. Mas não por orgulho, nem por soberba, mas porque você já não se encaixa aí, nesse lugar, nesse coração, nessa habitação, nessa morada, nesse escritório ou nessa profissão. Sua freqüência agora é outra.



Você já não é o mesmo que foi há dois dias, há três meses, há um ano. Portanto, não há porque voltar.



Feche a porta, vire a página, encerre o ciclo. Nem você será o mesmo, nem as circunstâncias seriam as mesmas, porque na vida nada se mantém quieto, nada é estático.



É saudável mentalmente ter amor por você mesmo, desprender-se do que já não está em sua vida.



Recorde-se de que nada, nem ninguém, é indispensável.



Nenhuma pessoa, nem um lugar, nem um trabalho, nada é vital para viver, porque quando viemos a este mundo chegamos sem qualquer adesivo ou etiqueta. Portanto, é apenas costume viver apegado a um adesivo ou etiqueta.



E é um trabalho pessoal aprender a viver livre, sem o adesivo ou etiqueta humano ou físico que hoje dói, deixar ir.



Mas encerre, feche, limpe, jogue fora, oxigene, desprenda-se, sacuda, solte. Existem muitas palavras que significam saúde mental, e qualquer que seja a que você escolha o ajudará e definitivamente a seguir adiante com tranqüilidade. Esta é a vida.



A felicidade é a conquista do sucesso interior.



Sentir-se realizado, feliz, amado e próspero é uma ambição natural de todos nós. Todavia, só conseguiremos chegar ao topo, se tivermos o otimismo audacioso de confiar nos poderes do invisível. Sob proteção do amor do Universo, seguirmos para frente sem medo de viver."



(Zibia Gasparetto)



Feliz Ano Novo. Que 2010 seja um ano repleto de realizações, aprendizados e muito AMOR.

Felicidades!!!

Bjos,


Enviado pela amiga Elda Almeida/BA

FELIZ 2010

Aos seguidores deste Blog,aos amigos,aos familiares,aos associados do Grupo Irmãos de Luz,aos Voluntários da CEIA e a todos os visitantes de sempre,meu muito obrigado pela Confiança,Divulgação e Companheirismo.




Feliz Réveillon com Deus
(por Kau Mascarenhas)

O que ficará depois que as luzinhas multicoloridas das árvores se apagarem, e no veludo escuro do céu não houver mais fogos de artifício ?
E quando não houver mais peru, champagne e rabanadas?
O que restará após cumprimentos, abraços, desejos sinceros - e outros nem tanto – de felicidade para o ano que começa?
O que virá depois dos preceitos e das superstições divertidas, das sete ondas puladas, das lentilhas salpicadas nos cantos da casa e das roupas brancas?
Sim, fica você e Ele.
Você, a pessoa mais importante da sua vida, e Ele, o criador e dono da sua vida.
Virá o momento do importante encontro interno, instante de reflexão, agradecimento e pedidos. Não necessariamente nessa ordem...
Cada um terá a sua própria forma de fazer esse encontro acontecer no início do ano que começa. Uma festa interna.
Uns vão orar enquanto caminham na praia, e olharão o horizonte com o sol despontando. Outros ainda, mesmo bêbados, sentirão o sol nascer dentro do peito, fazendo nascer um novo ciclo de vida.
Somos humanos, e como humanos, somos seres cíclicos.
A data que marca o fechamento de uma fase e início de outra pode ser apenas uma tola abstração.
“- Bobagem. Qualquer dia é dia para se fazer mudar o que se quer mudar.”
Entretanto, pode representar um estímulo a mais para viver de forma diferente e iniciar uma estrada nova de paz, felicidade, harmonia e sucesso.
Cada um de nós tem o direito de ritualizar esse momento de passagem, da sua própria forma, do seu próprio jeito.
E esse encontro entre você e Ele pode marcar esse portal, fazendo dele um instante tão importante.
No templo verdadeiro e imortal da sua alma converse com Deus. Faça como aquele que recebe um bom amigo em casa para expor idéias e pedir opiniões. Fale sobre sua vida, sobre aquilo que o ano velho lhe trouxe e que você não gostou, e exponha na mesa as suas cartas, de maneira sincera, observando as atitudes que tomou e que não foram as mais felizes.
Isso é reflexão.
Diante do Senhor, feito amigo, companheiro, agradeça pelas bênçãos e vibre com o que chegou. Nem sempre Ele enviou o seu pedido com a embalagem que você queria.
“Pedi crescimento e segurança profissional, e recebi uma dificuldade”; “pedi paz em meu casamento e recebi discussões freqüentes.”
Agradeça mesmo assim. Deus tem uma forma curiosa de atender nossas preces, muitas vezes vestindo um benefício com o disfarce da adversidade. E só o tempo - outro bom amigo – é quem acaba nos ajudando a fazer essa máscara cair, revelando a bênção ali escondida. Perceber que recebemos, o tempo todo, os presentes da Fonte Eterna de Amor só é algo possível para quem tem maturidade psíquica.
Esse é o momento da gratidão.
E por fim, aproveite o encontro com Ele para pedir.
Jesus, nosso grande e amoroso Mestre, nos dizia “Pedi e obtereis, buscai e achareis, batei e abrir-se-vos-á.”
Será que chegarão nossos presentes se não tivermos a humildade de pedir? Que façamos como as crianças... Elas pedem.
Será que acharemos sem buscar? Mais uma vez, sigamos o exemplo dos pequeninos que, curiosos, querem encontrar aquilo que lhes falta. As crianças buscam.
Será que as portas se abrem se não batermos? Ah, mais uma vez, as crianças... Que sejamos como elas e batamos as mãos em todas as portas que se mostrem fechadas, pois não há porta que permaneça assim para um menino ou menina que queira entrar. As crianças não se conformam com o “não” de uma porta fechada.
No encontro com Ele, aí dentro da sua alma, sinta-se criança mais uma vez.
Peça, busque e bata à porta.
Limpe o que tiver que limpar, recicle, liberte, e liberte-se de tudo o que já não serve mais, incluindo as mágoas e culpas. Só deixe espaço para o que for bom.
Em seu encontro com Deus, quando o sol do novo ano nascer, abra os olhos para a mais linda realidade: você continua aqui. Ele continua acreditando em você e mantém você aqui.
Garrafas de vinho secarão. Os fogos explodindo no céu serão apenas uma lembrança, bem como a música alta, os abraços, os brindes...
Mas o seu encontro com Ele é a festa que pode permanecer.
Pois Ele quer que seu coração esteja em festa durante os 365 dias do ano que agora começa.
A palavra entusiasmo vem daí: en – Theos / Deus dentro.
Feliz Ano Novo. E feliz réveillon com Deus.

(Kau Mascarenhas é escritor, autor do livro Mudando para Melhor, é conferencista internacional e consultor em Desenvolvimento Humano. É Master Practitioner e Trainer em Programação Neurolinguística)


Texto enviado pela amiga Rosana Uchôa-SOCIEDADE ESPIÍRITA O SEMEADOR/BA




Fim de Ano
João Dias
Composição: Francisco Alves e David Nasser


Adeus ano velho
Feliz Ano Novo
Que tudo se realize
No ano que vai nascer.
Muito dinheiro no bolso
saúde pra dar e vender

Para os solteiros
Sorte no amor
Nenhuma esperança perdida

Para os casados
Nenhuma briga
Paz e sossego na vida

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Quem são os verdadeiros ESPÍRITAS?

Por Vania Mugnato de Vasconcelos


Reconhece-se o verdadeiro Espírita pela sua transformação moral, e pelos esforços que faz para domar suas más inclinações.
(Allan Kardec, ESE., XVII, 4)



Ponderando com Allan Kardec, torna-se simples definir quem é verdadeiro Espírita, afinal os podemos reconhecer pelos esforços que fazem em transformar-se em pessoas moralmente melhores e em domar suas más inclinações, geradas pelas imperfeições milenares que todos carregamos na alma imortal.

No entanto, embora o desejássemos, a temática é mais complexa do que podemos pensar inicialmente. Observando com um pouco de atenção, podemos facilmente reconhecer muitos “espíritas” ainda adormecidos perante suas responsabilidades, adquiridas através dos esclarecimentos que a Codificação oferta a 152 anos.

Vemos pessoas que se intitulam “espíritas” apenas porque são ávidas leitoras de Zíbia Gasparetto, apreciam o seriado “Médium”, assistiram a novela “A Viagem”, ou acreditam que viveram como Faraós ou Rainhas no Egito. Aliás, quando se designam de “espíritas” pode-se até respirar feliz, pois há quem se auto-intitule de kardecista, como se o Espírita seguisse a pessoa Kardec e não a obra dos Espíritos que ele codificou.

Há quem se diga “espírita” sem jamais ter lido O Livro dos Espíritos (LE) e O Evangelho Segundo o Espiritismo (ESE) - a Codificação toda, então, nem se comenta! -, e sem nunca ter se comprometido com o Evangelho no Lar, porque “esquece”, “algo dá errado” ou parece que está “falando sozinho”.

Há quem se afirme “espírita” mas ainda faz o “sinal da cruz”, diz “amém” ao final de suas preces, repete orações decoradas, chama Maria de virgem, bate cartão no cemitério em dia de Finados, batiza seus filhos em outra religião, por apego ao rito ou medo dele ser considerado “pagão”, e casa-se na igreja com a justificativa de que Deus está em todo lugar – e Ele está, mas é ilógico caminhar por duas estradas ao mesmo tempo, especialmente quando se contradizem no trajeto.

Há quem se diga “espírita” porque vai ao Centro Espírita buscar o passe e a água fluidificada, e de boa vontade, ouve a palestra esclarecedora sobre valores morais imprescindíveis à transformação íntima. E na saída compra ou empresta um romance, retornando ao lar certo de que fez tudo o que podia. Mas continua sendo assistido em vez de servidor.

Há “espíritas” que fazem de Bezerra de Menezes um Espírito santo, em vez de reconhecê-lo um incansável trabalhador do Bem que todos podemos imitar; que garantem que Chico Xavier foi Kardec; que fazem tietagem a Divaldo Pereira Franco; que pensam que André Luiz é Espírito superior e não vai mais encarnar na Terra; que lêem admirados obras de autores que dizem que Espírito engravida; que se preocupam em saber se seus filhos são índigo ou cristal; que conseguem justificar sua ânsia por um bom filé mal passado através de O Livro dos Espíritos.

Há alguns pobres “espíritas” que se deixam levar pela vaidade, achando que são privilegiados por serem médiuns ou expositores, dirigentes de trabalhos ou de Centros Espíritas; que não saem do Centro sem uma psicografia do seu mentor, que usam o ESE como bíblia, e para o qual a assinatura de nome nobre em uma obra é garantia de verdade e por isso não precisa ser questionada.

O verdadeiro Espírita realmente o é, repetindo ainda uma vez a Kardec, reconhecido por sua transformação moral e pelos esforços em domar as más inclinações que ainda carrega. Mas também o é porque estuda a Codificação inteira e, além dela, busca completar seu conhecimento estudando outras obras sérias, discutindo, comparando, usando a razão, nada aceitando sem refletir a respeito.

O verdadeiro Espírita não deseja continuar a utilizar os apoios milenares que hoje chamamos (por sua função) de “muletas”, e que por séculos sustentaram-nos a fé cega, frágil e inconstante, muitas vezes manifestada apenas porque foi gerada pelo medo, não pela compreensão da Vida e amor ao Criador.

O verdadeiro Espírita não faz do passe uma necessidade, nem da água fluidificada uma vitamina diária. Não faz cara de ingênuo enquanto coloca o mesmo nome nos pedidos de vibrações de vários Centros, pensando que várias equipes de Espírito irão ajudar, em vez de uma só. E ele não é feito de açúcar, se está comprometido com o trabalho, não teme a chuva e o frio, cumprindo sempre com sua parte.

O verdadeiro Espírita não julga todas as dores como atestado de culpabilidade, porque sabe que além de expiações, também vivemos em provas. E ele sabe que é preciso confiar que não existem acasos, e sempre será o que deve ser, mas que neste contexto temos que agir com precaução, responsabilidade, resignação e coragem.

O verdadeiro Espírita não diz que não lê Ramatís porque alguém que também não leu lhe disse que ele é um Espírito pseudo-sábio, mas se concordar com essa ideia foi porque tirou suas próprias conclusões, da mesma forma que o faz com outros autores encarnados ou não. E não esquece da objetiva mensagem de Paulo de Tarso, em I Tessalonicenses 5:21, que diz "Examinai tudo. Retende o que é bom”.

O verdadeiro Espírita não se considera dono da verdade, e por isso não tenta convencer ninguém a lhe aceitar as opiniões (aliás, não precisam aceitar as minhas!), não se melindra porque seus alvitres não são aceitos, não se exclui de um grupo porque não foi atendido em sugestão que ofertou para a resolução de um problema ou organização de um evento. Ele trabalha em grupo, democraticamente, cioso de fazer o melhor pelo Espiritismo, pelos Assistidos, pelos Espíritos, pela Causa Social, e não pelo seu Ego.

O verdadeiro Espírita não faz de conta que já vive de bônus-hora, reconhece que permanece encarnado, cumpre com as responsabilidades para com “César” (coisas do mundo) sem deixar de lado as coisas de Deus (espirituais). Ele vota, se candidata, contribui financeiramente com o sustento da Casa a que se vinculou, sem fingir que despesas se pagam com preces.

O verdadeiro Espírita lerá este texto até o final e reconhecerá que algumas realidades podem ter sido ditas; verificará se lhe servem, ponderando nos motivos que ainda o prendem a rituais de outras religiões, satisfação egoística, fanatismo e cegueira. E se admitir que realmente está se desviando do sentimento original do Espiritismo, ele procurará domar estas inclinações, estimuladas pelo mundo competitivo em que vivemos, bem como por falanges de espíritos inferiores que há muito desistiram de nos afastar da preciosa Doutrina de Luz, e focam atenção em perverter seus nobres ideais.

Este é o ESPÍRITA que fará diferença no mundo sob este título. Aqueles que se dizem “espíritas” mas ainda caminham paralelamente ao Espiritismo, também são excelentes cristãos, pessoas boníssimas, fazem toda a diferença, mas não são Espíritas, são simpatizantes da Doutrina dos Espíritos.


Fraternais abraços!

Vania Mugnato de Vasconcelos



Enviado por Jaime Khoury-Plantão da Paz/BA


Acesse, leia, comente e divulgue entre os amigos.




terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Ingratidão

Você já teve o sentimento de que alguém lhe foi ingrato alguma vez? Já sentiu a decepção congelando seus sentimentos e tomando-lhe a intimidade de maneira intensa, como que afogando-lhe o coração em fel?

Das dores da alma, talvez a ingratidão seja uma das mais profundas, dando-nos a sensação de ser capaz de dilacerar o coração.

Ora foi o amigo que nos traiu a confiança, não sendo digno da intimidade que compartilhamos em segredo. Outra feita o vizinho, incapaz de aquilatar os esforços que fizemos para lhe amenizar as dificuldades e os problemas.

Outras tantas, surgem no seio familiar as relações de ingratidão, com filhos tratando aos pais como se esses lhe fossem criados com a obrigação de os servir. Ou esposos tratando com indiferença a dedicação e o desvelo da companheira.

Quando a ingratidão nos atormenta a alma é porque o sentimento da decepção está acompanhando-o, indicando que esperávamos outra atitude do próximo.

Afinal, só nos decepcionamos quando criamos uma expectativa que não se cumpriu.
E quando a decepção vinda da ingratidão nos toma de súbito, não é raro pensarmos que não valeu a pena fazer o bem, agir no bem, agir de maneira correta e acertada.

Magoados pela decepção, muitos de nós nos atormentamos, fazendo juras de que nunca mais ajudaremos e alegamos, ainda, que seremos mais felizes não nos incomodando mais com o próximo.

Fazer o bem nunca pode ser considerado um erro. Jamais alguém que esteja pensando no bem do próximo, no bem estar alheio, pode estar errado, desde que agindo desinteressadamente.

Se o outro é incapaz de reconhecer nossos esforços, se lhe faltam valores morais para entender a bondade alheia, que a sua limitação não seja fonte de nosso desestímulo.

Só agem assim porque, no egoísmo em que mergulham, ficam impedidos de perceber a bondade no coração do outro, iludidos na sua limitação de que o mundo está para lhes servir.

Imaginar que seremos mais felizes não fazendo o bem porque não nos decepcionaríamos, é iludir-se na felicidade do egoísta, de quem se fecha em si mesmo, a fim de não correr o risco da decepção.

A Providência Divina permite esses embates, apenas nos faz experimentar o amargor das decepções, para testar nossa perseverança no bem. Afinal, o bem deve bastar-se por si mesmo, sendo desnecessário vir acompanhado pelo reconhecimento, louvores e dádivas.

* * *
No exercício do bem, jamais deixemos que o não reconhecimento do próximo seja motivo para abandonar os propósitos de fazer o bem.

Ao perceber que os que hoje semeiam ingratidão ainda precisam percorrer longas estradas na vida, a fim de amadurecer suas relações para com o próximo, desperta em nós um sentimento de compaixão por eles, que substitui a decepção, nos dando ânimo e coragem, para continuar no esforço necessário de crescimento pessoal.


Redação do Momento Espírita, com base nos itens 937 e
938 de O livro dos Espíritos, de Allan Kardec,ed. Feb


Enviado por Raimunda Gesteira/BA

Prece de Cárita

Deus, nosso Pai, que tendes poder e bondade, dai força àquele que passa pela provação, dai luz àquele que procura a verdade, ponde no coração do homem a compaixão e a caridade.
Deus, dai ao viajor a estrela guia, ao aflito a consolação, ao doente o repouso.
Pai, dai ao culpado o arrependimento, ao espírito a verdade, à criança o guia, ao órfão o pai.
Senhor, que a Vossa bondade se estenda sobre tudo que criastes.
Piedade, meu Deus, para aquele que Vos não conhece, esperança para aquele que sofre. Que a Vossa bondade permita aos Espíritos consoladores derramarem por toda a parte a paz, a esperança e a fé.
Deus, um raio de luz, uma centelha do Vosso amor pode iluminar a Terra; deixai-nos beber nas fontes dessa bondade fecunda e infinita, e todas as lágrimas secarão, todas as dores acalmar-se-ão; um só coração, um só pensamento, subirão até Vós, como um grito de reconhecimento e amor.
Como Moisés sobre a montanha, nós Vos esperamos com os braços abertos, oh! poder, oh! bondade, oh! beleza, oh! perfeição, e queremos de algum modo alcançar a Vossa misericórdia.
Deus, dai-nos a força de ajudar o progresso a fim de subirmos até Vós; dai-nos a caridade pura, dai-nos a fé e a razão, dai-nos a simplicidade que fará das nossas almas o espelho onde se deve refletir a Vossa imagem.


Sra. W. Krell. Da obra: Anuário Espirita 2002. Ditado pelo Espírito Cárita. A Prece de Cárita original foi recebida no Natal de 1873, em Bordéus, França, pela médium Sra. W. Krell.. Instituto de Difusão Espírita.


Enviado por Francisco Cortizo/BA

Princípios Redentores


Não se esqueça de que Deus é o tema central de nossos destinos.
Deseje o bem dos outros, tanto quanto deseja o próprio bem.
Concorde imediatamente com os adversários.
Respeite a opinião dos vizinhos. Evite contendas desagradáveis.
Empreste sem aguardar restituição.
Dê seu concurso às boas obras, com alegria.
Não se preocupe com os caluniadores.
Agradeça ao inimigo pelo valor que ele lhe atribui.
Ajude as crianças.
Não desampare os velhos e doentes.
Pense em você, por último, em qualquer jogo de benefícios.
Desculpe sinceramente.
Não critique a ninguém.
Repare seus defeitos, antes de corrigir os alheios.
Use a fé e a prudência.
Aprenda a semear, preparando boa ceifa.
Não peça uvas ao espinheiro.
Liberte-se do peso de excessivas convenções.
Cultive a simplicidade.
Fale o menos possível, relativamente a você e a seus problemas.
Estimule as qualidades nobres dos companheiros.
Trabalhe no bem de todos.
Valorize o tempo.
Metodize o trabalho, sabendo que cada dia tem as suas obrigações.
Não se aflija.
Sirva a toda gente sem prender-se.
Seja alegre, justo e agradecido.
Jamais imponha seus pontos de vista.
Lembre-se de que o mundo não foi feito apenas para você.
*
As ciências sociais de hoje apresentam semelhantes princípios como novidades. No entanto, são antigos. Chegaram à Terra, com o Cristo, há quase vinte séculos. Nós outros, porém, espíritos atrasados no entendimento, somos ainda tardios na aplicação.



Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Agenda Cristã. Ditado pelo Espírito André Luiz. Edição de Bolso. Rio de Janeiro, RJ: FEB.


Enviado por Francisco Cortizo/BA

Página de Natal

"Luz para alumiar as nações." – Lucas, 2-32

Há claridade nos incêndios destruidores que consomem vidas e bens...
Resplendor sinistro transparece nos bombardeios que trazem a morte.
Reflexos radiosos surgem no lança-chamas.
Relâmpagos estranhos assinalam a movimentação das armas de fogo...
No Evangelho, porém, é diferente...
Comentando o Natal, assevera Lucas que o Cristo é a luz para alumiar as nações.
Não chegou impondo normas ou pensamento religioso.
Não interpelou governantes sobre processos políticos.
Não disputou com os filósofos quanto às origens dos homens.
Não concorreu com os cientistas na demonstração de aspectos parciais e transitórios da vida...
Fez luz no espírito eterno...
Embora tivesse o ministério endereçando aos povos do mundo, não marcou a sua presença com expressões coletivas de poder, quais exército e sacerdócio, armamentos e tribunais.
Trouxe claridade para todos, projetando-a de si mesmo.
Revelou a grandeza do serviço à coletividade, por intermédio da consagração pessoal ao Bem infinito...
Nas reminiscências do Natal do Senhor, meu amigo, medita no próprio roteiro.
Tens suficiente luz para a marcha?
Que espécie de claridade acendes no caminho?
Foge ao brilho fatal dos curtos-circuitos da cólera, não te contentes com a lanterninha da vaidade que imita o pirilampo em vôo baixo, dentro da noite, apaga a labareda do ciúme e da discórdia que atira corações aos precipícios do crime e do sofrimento.
Se procuras o Mestre Divino e a experiência cristã, lembra-te de que na Terra há clarões que ameaçam, perturbam, confundem e anunciam arrasamento...
Estarás realmente cooperando com o Cristo, na extinção das trevas, acendendo em ti mesmo aquela sublime luz para alumiar?


Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Segue-me. Ditado pelo Espírito Emmanuel.



Enviado por Francisco Cortizo/BA

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Ano Novo

Por Jacó Alves
(Mensagem enviada ao nosso Grupo no Yahoo!)


Opa! Mais uma reflexão.....

Sempre, neste período de início de um novo ano, é comum ouvir coisas do tipo: “ano novo, vida nova”, “até que enfim acabou”, “ninguém merece este ano que passou”, e por aí vamos enveredando em nossas colocações um tanto pessimistas.

Como diz José Medrado, é muito interessante observarmos isto por dois motivos. O primeiro é a constatação de que adoramos responsabilizar os outros por nossas frustrações e desditas, pois nada é mais constrangedor que atestar o nosso fracasso, a nossa irresponsabilidade perante as decisões que tomamos na vida. O segundo motivo, adoramos marcos, pesamos que a partir de uma data as coisas irão mudar por si sozinhas.

A verdade é que a mudança de calendário não influencia em quase nada. É preciso que assumamos a posição de responsabilidade de nossas vidas e nossas decisões, tomando a consciência de que a vida é nossa.

O fim ou o início de seja lá o que for deve partir de nossa vontade, porque queremos e não porque é o fim ou início disto ou daquilo. Se a vida vai bem ou mal, a responsabilidade é nossa e não muda sem nossa vontade e empenho!

Tomemos as rédeas de nosso pensar. Para saber se está no caminho certo? Pergunte-se: É lícito? É ético? É moral? Vai fazer mal para alguém? O modelo de Cristo aprova?

Para não perder o costume sadio da auto-avaliação, segue um texto, de autoria desconhecida, para que reflitamos sobre as nossas atitudes diárias e suas conseqüências...

Abraços,

Jacó Alves


“Check-Up” do Evangelho

Concluída a minha oração, fui levado em sonho a um hospital espiritual, para fazer um “check-up” de rotina, e o que constatei me surpreendeu sobremaneira.

Quando o médico mediu minha pressão, verificou que estava baixa de ternura. Ao medir minha temperatura, o termômetro registro 40 graus de egoísmo.

Fiz um eletrocardiograma e diagnosticaram que eu necessitava de uma ponte de amor, pois minhas veias estavam bloqueadas, por não abastecer o meu coração com o tônus da solidariedade.

Ortopedicamente, tinha dificuldade de andar lado a lado com o meu próximo, e não conseguia abraçar o irmão necessitado, por ter fraturado o braço, ao
tropeçar na minha vaidade. Tinha miopia constatada, por não enxergar as criaturas além das aparências.

Obrigado Senhor, por nada exigir em sua consulta e pela sua grande misericórdia para com minhas imperfeições. Prometo, após ser medicado e receber alta do hospital, somente usar a terapia que me indicou: amor, fraternidade, perdão, paciência, oração, e que são remédios naturais e que estão no receituário do teu Evangelho.

Reconheço a necessidade de tomar novas atitudes em minha vida: ao levantar, chá de gratidão pela noite de repouso; ao entrar no trabalho, uma colher de sopa de bom dia companheiro, e, de hora em hora, um comprimido de paciência, com meio copo de humildade.

Ah! Senhor, ao chegar em casa, vou tomar uma injeção de amor fraterno com o carinho da família, e, ao deitar, repensando o dia, beber duas cápsulas de consciência tranqüila.

Agindo assim, tenho certeza, não ficarei mais doente e todos os dias serão de alegrias e realizações. Comprometo-me a prolongar este tratamento preventivo, durante toda minha vida, para que, quando retornar a essa pátria espiritual, seja equilibradamente.

Desculpe-me por ter usado mal o tempo que o Senhor me concedeu para o bem. Obrigado, Senhor, por me despertar para a realidade da vida espiritual.

NATAL

Por Jacó Alves
(Mensagem enviada ao nosso Grupo no Yahoo!)


Gente,

Chegou o fim de mais um ano e com ele a necessidade de avaliação do que se passou e do que há por vir, como sempre nesta época do ano e acho que devíamos fazer isto. Quantas coisas aconteceram, não é verdade?

O Natal, na história da humanidade, simboliza o nascimento de Jesus. Na história de cada um de nós, significa o nascimento da Boa Nova trazida por ele, de novas esperanças e de novos sonhos de um ano melhor...

Apesar do dia 25 de dezembro não ser a data exata de seu nascimento, pois nos textos bíblicos não encontramos referências sobre o dia do nascimento de Jesus e por serem, naquela época, os calendários muito confusos e alterados ao longo do tempo, observamos uma grande movimentação em torno desta data.

Em verdade, a celebração do Natal começou com um antigo festival mesopotâmico que simbolizava a passagem de um ano para outro, o Zagmuk. Um ritual semelhante era realizado pelo povo babilônico e pelo povo persa, o Sacae. Os celtas comemoravam, neste dia, o solstício de inverno. Mais tarde, através da Grécia, o costume alcançou os romanos, sendo incorporado pelo festival chamado Saturnália (comemoração do solstício de inverno em homenagem a Saturno, deus da agricultura que permitia o descanso da terra durante o inverno).

Apenas após a cristianização do império romano é que o dia 25 de dezembro passou a ser a comemoração do Natal (nascimento de Jesus), através de um decreto do Papa Júlio I.

Muitas outras curiosidades estão relacionadas com esta data, como por exemplo a árvore de Natal, o presépio, o papai Noel, até mesmo o nosso calendário, que é uma forma criada e modificada, ao longo dos anos, para contar o tempo.

Costumamos ver nos noticiários, nesta época, as pessoas afirmarem que, apesar das turbulências generalizadas, o Natal tem a capacidade
de nos remeter a um mundo de sonhos.

Talvez seja por isso que sentimos tanta vontade de alegrar e enfeitar as nossas cassas. De dar presentes, de estar junto em família. De
fazer aquela festa.

Ao contrário do que alguns pensam "ah! só nessa data... que falsidade, todo mundo agora fica bonzinho" ou "só fazer caridade no fim de ano é fácil, não tem mérito", eu penso AINDA BEM QUE PELO MENOS NESTA DATA AS PESSOAS FICAM MAIS AMOROSAS....

Compramos uma árvore e a enchemos de bolas e pisca-pisca coloridos, realizamos uma grande ceia, damos presentes a todo mundo (vestidos de papai Noel) , alguém toca músicas típicas da data, vemos pessoas saírem bêbadas festejando, a cidade enfeitada com suas lojas incentivando as compras, crianças carentes recebendo brinquedos de plástico, acidentes aumentarem por causa das correrias e bebedeiras, vemos inúmeros cartões de Boas Festas e uma enxurrada de arrotos satisfeitos... Vemos/fazemos tudo isto, mas será que nesta noite lembramos do verdadeiro aniversariante? Presenteamos ele?

Ah! Mas de que forma vou presentear a ele?

Que não nos esqueçamos de tudo aquilo que ele representa e fez na Terra. Demos a ele nossa melhora como seres humanos, vendo em todos um irmão, assim como nós, em ascensão à perfeição. Amemonos uns aos outros como a nós mesmos. Fazendo isto, com toda a certeza, os nossos sonhos serão alcançados por conseqüência natural, quando aprendermos a viver como Jesus viveu e amou...

Segundo informações espirituais essa é a época em que Jesus encontra-se mais próximo psiquicamente do planeta Terra, APROVEITE!

FELIZ NATAL! (ainda é tempo rsrsrsrs)

Abraços,

Jacó Alves

P.S.: "Antes tarde do que nunca"....rsrsrsrs

ESPIRITISMO NO MUNDO: CENTROS ESPÍRITAS NOS EUA



DO AUTOR DO BLOG:Quando você viajar para os EUA e quiser visitar,frequentar ou se cuidar num Centro Espírita vai aí a dica para não se perder:

A United States Spiritist Council, instituição que vem ocupando o lugar de organização das sociedades espíritas nesse país publicou um mapa com a lista e localização dos centros espíritas adesos. Vale a pena conferir.
Observação do Autor do Blog:
ESPÍRTA em inglês é spiritist e que SPIRIT é ESPÍRITO.
DOUTRINA ESPÍRITA é Spiritist Doctrine.

sábado, 26 de dezembro de 2009

Que é o Natal?

Eu, menino, sentado na calçada, sob um sol escaldante, observava a movimentação das pessoas em volta, e tentava compreender o que estava acontecendo.

Que é o Natal? - perguntava-me, em silêncio.

Eu, menino, ouvira falar que aquele era o dia em que Papai Noel, em seu trenó puxado por renas, cruzava os céus distribuindo brinquedos a todas as crianças.

E por que então, eu, que passo a madrugada ao relento nunca vi o trenó voador? Onde estão os meus presentes? Perguntava-me.

E eu, menino, imaginava que o Natal não deveria ser isso.

Talvez fosse um dia especial, em que as pessoas abraçassem seus familiares e fossem mais amigas umas das outras.

Ou talvez fosse o dia da fraternidade e do perdão.

Mas então por que eu, sentado no meio-fio, não recebo sequer um sorriso? - perguntava-me, com tristeza - E por que a polícia trabalha no Natal?

E eu, menino, entendia que não devia ser assim...

Imaginava que talvez o Natal fosse um dia mágico porque as pessoas enchem as igrejas em busca de Deus.

Mas por que, então, não saem de lá melhores do que entraram?

Debatia-me, na ânsia de compreender essa ocasião diferente.

Via risos, mas eram gargalhadas que escondiam tanta tristeza e ódio, tanta amargura e sofrimento...

E eu, menino, mergulhado em tão profundas reflexões, vi aproximar-se um homem...

Era um belo homem...

Não era gordo nem magro, nem alto nem baixo, nem branco, nem preto, nem pardo, nem amarelo ou vermelho.

Era apenas um homem com olhos cor de ternura e um sorriso em forma de carinho que, numa voz em tom de afago, saudou-me:

Olá, menino!

Oi!... Respondi, meio tímido.

E, com grande admiração, vi-o acomodar-se ao meu lado, na calçada, sob o sol escaldante.

Eu, menino, aceitei-o como amigo, num olhar. E atirei-lhe a pergunta que me inquietava e entristecia:

Que é o Natal?

Ele, sorrindo ainda mais, respondeu-me, sereno:

Meu aniversário.

Como assim? - perguntei, percebendo que ele estava sozinho.

Por que você não está em casa? Onde estão os seus familiares?

E ele me disse: Essa é a minha família, apontando para aquelas pessoas que andavam apressadas.

E eu, menino, não compreendi.

Você também faz parte da minha família... Acrescentou, aumentando a confusão na minha cabeça de menino.

Não te conheço! - eu disse.

É porque nunca lhe falaram de mim. Mas eu o conheço. E o amo...

Tremi de emoção com aquelas palavras, na minha fragilidade de menino.

Você deve estar triste, comentei. Porque está sozinho, justo no dia do próprio aniversário...

Neste momento, estou com você. - respondeu-me, com um sorriso.

E conversamos...uma conversa de poucas palavras, muito silêncio, muitos olhares e um grande sentimento, naquela prece que fazia arder o coração e a própria alma.

A noite chegou... E as primeiras estrelas surgiram no céu.

E conversamos... Eu, menino, e ele.

E ele me falava, e eu o entendia. E eu o sentia. E eu o amava...

Eu, menino: sou as cordas. Ele: o artista. E entre nós dois se fez a melodia!...

E eu, menino, sorri...

Quando a madrugada chegou e, enquanto piscavam as luzes que iluminavam as casas, ele se ergueu e eu adivinhei que era a despedida. E eu suspirava, de alma renovada.

Abracei-o pela cintura, e lhe disse: Feliz aniversário!

Ele ergueu-me no ar, com seus braços fortes, tão fortes quanto a paz, e disse-me:

Presenteie-me compartilhando este abraço com a minha família, que também é sua... Ame-os com respeito. Respeite-os com ternura, com carinho e amizade. E tenha um Feliz Natal!

E porque eu não queria vê-lo ir-se embora, saí correndo em disparada pela rua. Abandonei-o, levando-o para sempre no mais íntimo do coração...

E saí em busca de braços que aceitassem os meus...

E eu, menino, nunca mais o vi. Mas fiquei com a certeza de que ele sempre está comigo, e não apenas nas noites de Natal...

E eu, menino, sorri... Pois agora eu sei que Ele é Jesus... E é por causa Dele que existe o Natal.




Redação do Momento Espírita, com base em texto de Fábio Azamor, da cidade de Rio Bonito-RJ.Disponível no CD Momento Espírita, v. 7 e no livro Momento Espírita v. 4, ambos ed. Fep.



Enviado por Francisco Cortizo/BA

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

NATAL

Cartão de Natal

Ao clarão do Natal, que em ti acorda a música da esperança, escuta a voz de alguém que te busca o ninho da própria alma!... Alguém que te acende a estrela da generosidade nos olhos e te adoça o sentimento, qual se trouxesses uma harpa de ternura escondida no peito.
Sim, é Jesus, o amigo fiel, que volta.

Ainda que não quisesses, lembrar-lhe-ias hoje os dons inefáveis, ao recordares as canções maternas que te embalaram o berço, o carinho de teu pai, ao recolher-te nos braços enternecidos, a paciência dos mestres que te guiaram na escola e o amor puro de velhas afeições que te parecem distantes.

Contemplas a rua, onde luminárias e cânticos lhe reverenciam a glória: entretanto, vergas-te ao peso das lágrimas que te desafogam o coração...É que ele te fala no íntimo, rogando perdão para os que erram, socorro aos que sofrem, agasalho aos que tremem na vastidão da noite, consolação aos que gemem desanimados e luz para os que jazem nas trevas.

Não hesites! Ouve-lhe a petição e faze algo! ... Sorri de novo para os que te ofenderam; abençoa os que te feriram; divide o famel com os irmãos em necessidade; entrega um minuto de reconforto ao doente; oferece uma fatia de bolo aos que moram, sozinhos, sob ruínas e pontes abandonadas; estende um lençol macio aos que esperam a morte, sem aconchego do lar; cede pequenina parte de tua bolsa no auxílio às mães fatigadas, que se afligem ao pé dos filhinhos que enlanguescem de fome, ou improvisa a felicidade de uma criança esquecida.

Não importa se diga que cultivas a bondade somente hoje quando o Natal te deslumbra!... Comecemos a viver com Jesus, ainda que seja por algumas horas, de quando em quando, e aprenderemos, pouco a pouco, a estar com ele, em todos os instantes, tanto quanto ele permanece conosco, tomando diariamente ao nosso convívio e sustentando-nos para sempre.


Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Antologia Mediúnica do Natal. Ditado pelo Espírito Meimei. FEB.
Petição do Natal
Senhor Jesus!... Ante o Natal, agradecemos A enorme evolução que nos permites. Iluminaste a inteligência humana Para vitórias quase sem limites.Nunca subimos tanto!... Num minuto, Nações se comunicam, pólo a pólo... O homem revolve a Terra, em toda parte, Desde as grimpas do Espaço às entranhas do Solo.Entretanto, Senhor, Enquanto o carro do progresso avança, Atropelando as multidões do mundo, Surge a dor na carência de esperança.Pela força dos Céus, tão alto nos elevas, E lutamos ainda em conflitos extremos... Concede-nos, no amor com que nos guardas, A proteção da paz que ainda não temos. .Natal!... Ouve, Jesus, as trompas de ouro Que te exaltam na Terra os dons divinos!... Com o amparo de Deus, tão grandes nos fizeste! Ensina-nos, Senhor, como ser pequeninos!...

Xavier, Francisco Cândido. Ditado pelo Espírito Maria Dolores.Mensagem recebida pelo Médium Francisco Cândido Xavier, em reunião pública do Grupo Espírita da Prece, na noite de 17 de Setembro de 1983, em Uberaba, Minas..
Enviado por Francisco Cortizo/BA

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

FELIZ NATAL AO GRUPO E A TODOS VISITANTES E SEGUIDORES DESTE BLOG

Neste Natal eu desejo que a "Paz e a Harmonia" encontre moradia em todos os corações.

Que a Esperança seja um sentimento constante em cada ser que habita este planeta.

Desejo que o Amor e a Amizade prevaleça acima de todas as coisas materiais.

Que as Tristezas ou Mágoas, sejam banidas dos corações, dando lugar apenas ao Carinho.

Que a "Dor do Amor", encontre o remédio em outro Amor.

Que a "Dor Física", seja amenizada e que Deus esteja ao lado de todos, dando muita força, fé e resignação.

Que a Solidão seja Extinta, e no seu lugar se instale a Amizade Verdadeira, e o Companheirismo.

Que as pessoas procurem olhar mais a sua "Volta", e não tanto para "Si" mesma.

Que a Humildade e o Respeito residam na Alma e no Coração de todos.

"Que saibamos Amar e Respeitar o Próximo como a nós mesmos".

Desejo também que meu pedido se realize não só neste Natal, mas em todos os dias de nossas vidas!

Desejo a cada um de vocês,

UM FELIZ NATAL !

(Autor Desconhecido)


Enviado por Francisco Cortizo/BA

PROGRAMAÇÃO ESPECIAL DE NATAL DA RÁDIO FRATERNIDADE

ESPECIAL DE NATAL - 25/12/2009



FELIZ NATAL - ÓTIMO 2010
JESUS GUIA SEGURO DA HUMANIDADE -
www.radiofraternidade.com.br


24 DE DEZEMBRO - QUINTA FEIRA




22h30 ? Visualizações Terapêuticas
com Divaldo Franco



23h10 - O EVANGELHO EM ESPÍRITO E VERDADE ? AVE LUZ (ESTREIA)




00h ? O CULTO DO EVANGELHO NO LAR
? ESPECIAL DE NATAL



01h30 ? Palestra 01 - A personalidade de Jesus
Expositor: Divaldo Franco



03h ? Palestra 02 ? Jesus o Maior Psicologo do Mundo
Expositor: Nazareno Feitosa



05h30 - Visualizações Terapêuticas
Expositor: Divaldo Franco



06h ? 3ª REVELAÇÃO ESPECIAL DE NATAL
Programa da FEB -



Palestra 03 ? Natal e Jesus
Expositora: Fernanda Galvão - Lar da Prece Bezerra de Menezes - RJ



09h ? Dimensão Espírita ? Especial de Natal

» veja aqui



11h ? Vivendo o Evangelho ? Especial de Natal

» Veja mais aqui



12h ? Programa Transição ? Mensagem de Natal
Expositor: Divaldo Franco



12h30 ? Programa Transição ? O Significado do Natal
Expositor: - Raul Teixeira



13h - Palestra 4 - Jesus e as Problemáticas Humanas
Expositor: Divaldo Franco



15h ? O EVANGELHO EM ESPÍRITO E VERDADE ? AVE LUZ (ESTREIA)




16h - Palestra 5 - Nas Trilhas do Rabi Galileu
Expositor: Divaldo Franco



19h ? Encontro Fraterno
Tema: O Verdadeiro Sentido do Natal



20h ? Pão da Vida
Tema: - Nasce a Luz, do Pão da Vida



22h ? Palestra 6 - Jesus, Maria e o Natal
Expositora: Sandra Ventura ? Brasília - DF



23h - Palestra 7 - Jesus é Vida
Expositor: Divaldo Franco



26/12/09




00h - Visualizações Terapêuticas
Com ? Divaldo Franco

É Natal Novamente

Mensagem psicografada de Irmã Amélia

Imaginemos uma terra distante, onde seus habitantes fossem praticamente cegos, seus olhos turvos sabiam existir a luz, as formas belas, mas podiam só entrevê-las, já que ainda tateavam no escuro.
Semelhante a esse cenário, representamos os cegos de alma nesse passado não tão distante. Quando a Terra se debatia entre as agonias da barbaridade e o poderio dos orgulhosos, que juntos destilavam o fel do ódio entre as raças e seitas, vomitando toda a incompreensão humana no seu máximo de insensibilidade.
Jesus representou o nascimento da luz nas consciências entravadas pelas batalhas da ilusão.
A sombra detesta a luz, pois ela representa sua anulação, extin-guindo-a. Os anões da alma estavam revoltosos. Sabiam que suas torpezas seriam conhecidas. Os poderosos do mundo assustadíssimos reconheciam que o imperador da Paz chegaria mudando-lhes o curso ditatorial das suas facetas tirânicas. Os espíritos belicosos, os pigmeus rancorosos, os odientos e vingativos estavam todos em estado de alerta, pois desconfiavam da força multiplicadora do amor.
Ele chegou de forma humilde, pois a humildade era sua representação. Abortou a oferta dos reinos e palácios da Terra para nascer entre o hálito quente dos animais, numa manjedoura simples, ao ar livre, rodeada pelo zimbório celeste que lhe rendia graças em hinos de louvor angelical.
Nunca, jamais a Terra voltou a encontrar o equilíbrio cósmico daquela data. Nunca tantos Espíritos de Escol estiveram juntos ao mesmo tempo, tão próximos dessa crosta de provas e expiações, como nessa data memorável que assistiu a chegada daquele Guia que nascia para ascender às consciências, plantando no solo dos sofrimentos humanos o verdadeiro Amor.
A Bondade caminhou entre as almas atrasadas. Elas não tinham estatura para poder distingui-la ainda e não quiseram entender a mensagem salvadora do seu verbo franco e desimpedido das ambições terrenas.
Seu templo humilde foi o campo aberto, próximo aos estropiados e doentes, a procura dos mendigos da aflição para libertá-los do jugo atribulado do erro, lavando-lhes o pecaminoso remorso através da docilidade do seu perdão.
Contudo as trevas se aglomeraram em numeroso bando, malta de infelizes que queriam por tudo calar o Verbo e fermentaram juntos os planos para assassinarem o Amor.
Nutridos pela sanha desvairada do orgulho, como instrumentos dos abismos escandalosos a que se precipitam os homens, querendo grotescamente regressar aos estados animalizados que coordena suas vontades, deixaram-se, quais zumbis, empregnarem-se de ódio mortal contra o Amor.
Pouco sabiam entretanto que, assassinando o Amor, davam-lhe maior alento e força, transformando-o no perdão remissivo.
Oh! O Mestre sabia ao que vinha e ergueu satisfeito o bandeira do "amai-vos uns aos outros", como símbolo do processo regenerativo que estava implantando na Terra.
Cezar não quis vê-lo. Os pobres do caminho o procuraram. Os doentes encontraram Nele a cura, os cegos da alma descobriram a visão larga da reforma a que Ele convidou todos.
Receberam-No os altivos e poderosos como uma ameaça que deveriam destruir. Em planos sórdidos entregaram-No a calúnia difamadora e arquitetaram com os venenos da palavra junto à massa ignorante, a condução ao suplício que se encontrava dentro deles mesmo.
Feriram-Lhe a carne, jamais o Espírito impoluto. Coroaram-No com os espinhos do despeito, esquecendo-se que a coroa de Jesus é redoma de Luz. Deram-No o cetro de cana velha para Lhe infligir à honra, mal sabiam que o pedestal que Jesus ergueria com ele seria o da entrega e renuncia de si mesmo e do poder das vaidades humanas. Chicotearam-No, provando assim que a carne nada significa quando o Espírito é superior. Cravaram-Lhe as mãos santas, as mesmas que tinham doado bênçãos e afagado tantos desesperados, a mesma mão que tinha erguido os caídos de Nazaré e socorrido os dementes da Judéia. Crucificaram-No ao madeiro infame de todos os despautérios humanos, sem saber, que ali, naquele momento, erguiam para o infinito o nascimento daquele que representa o nosso caminho, a nossa verdade e a nossa vida. O símbolo que representaria a Salvação do mundo. Então, já cercado pelas hostes celestes, num suspiro derradeiro do sopro humano, o Cristo usou o último hálito na carne para abençoar seus algozes, gravando no tempo o maior testemunho de Amor e Perdão aos homens.
Infelizmente o homem conseguiu transformar essa data tão significativa e memorável para os corações cristãos em uma festa comercial, com interesses conflitantes e dúbios.
Conquanto, a imagem do Cristo crucificado e renascido promove um afã de sentimentos nobres, como não poderia deixar de ser, e Jesus volta aos pensamentos e aspirações intensas de alcançarmos a Luz.
Essa é a data que devemos comemorar meus filhos, mais uma vez, pois o Natal de Jesus vem resgatar os corações mesquinhos e mostrar-lhes o espírito verdadeiro dessa data, que deveria ser comemorada todos os dias pelos homens.
Jesus nasceu meus filhos e se encontra próximo de nós, dessedentando os sequiosos de justiça, amando e lenindo os corações encharcados na lama fétida das nossas desventuras, conclamando amor, união e caridade aos homens de boa fé.
Jesus sempre conosco, ontem, hoje e sempre.

Irmã Amélia
Mensagem recebida na reunião mediúnica da
Fraternidade Espírita Irmã Scheilla em 15/12/2009 (Salvador-Bahia)
Enviado por Adriana Monteiro/BA

NUNCA SAIAM DA TRILHA


A vida nos proporcionam momentos de aprendizado que muitas vezes não nos deixam opções para que sejamos sempre humildes,simples,fraternos,unidos,respeitosos,comprometidos pois "o mundo sempre dá voltas". Vale a pena sermos colegas e parceiros,amigos e unidos porque o caminho sempre pode convergir lá na frente a despeito do histórico pessoal e profissional.
Para aqueles que gostam de aventura,experiências radicais e inusitadas uma boa pedida é praticar os chamados "esportes radicais" e entre eles está o enduro,o rapel,o paraquedismo,o passeio de bugre e a trilha. E essa útlima lhe ensina muito pois nunca se sabe o que virá na próxima curva,seja ela vertical (descida ou subida)ou horizontal,além de animais inesperados como cobras,teiús,aves diversas,entre outros.
Nessa trilha que começa com amigos,surgem novos colegas que viram amigos,irmãos,surgem discussões e brincadeiras,elogios e críticas e tal como numa família nos fazem crescer.Particularmente sou muito grato pela chance que me deram quando me convidaram para esta grande empresa de coração e alma que tanto me ajudou para com meus colegas mais próximos e mais distantes fisicamente,mas pertos de coração.
Minha esquipe está mudando de empresa mas estamos unidos em torno do espírito que adquirimos sob a liderança de nossa querida Magda e assim seguiremos,caminhando e cantando tal como dizia Geraldo Vandré.Nunca sairemos da Trilha,pelo que aprendemos agora cada vez mais aperfeiçoaremos como assim é na vida seja como for a nova empresa.
Faço meus votos em nome de toda a equipe de um FELIZ NATAL a Magda e Nonato assim como um FELIZ 2010 de muito sucesso,paz,luz,prosperidade,parcerias,contratos,saúde,segurança,meio ambiente e crescimento porque méritos não faltarão para esta e materna empresa.
Obrigado!
Manoel Trajano e demais colegas Trilheiros!

FELIZ NATAL!

Se magoou, peça perdão
Se foi magoado, perdoe
Se choras, lembre-se que alguém também chorou por você
Se sorri, algum dia alguém sorriu com você.

O ano passou,como tudo na vida passa
Esse ano você ganhou, perdeu
Chorou, sorriu
Se preocupou, se divertiu
Como todos os anos se passam

A natureza não muda
Todos os anos temos as mesmas preocupações
Também temos desilusões
Mas não é por isso que vamos deixar de viver
Deixar a vida passar em branco

Por isso, nunca deixe alguém em prantos,
Deixe,mas com boas lembranças
Com bons sentimentos
Com sorrisos, não com lágrimas

A vida é curta,tudo passa
Passa a dor, a tristeza, a lembrança da frieza
O que fica é a lembrança, dos momentos
Sejam eles bons ou ruins

Respeite para ser respeitado
Admire para ser admirado
Ame para ser amado
Nunca tripudie os sentimentos alheios
Não deixe alguém que te amou
Ter más lembranças suas

Não só no Natal
Se esforce para que tenham
Boas coisas para pensar em você
Reflita sobre o sentimento que você deixa para trás
Assim, quando chegar a hora e olhar para o filme de sua vida
Terá muitos ao seu lado
Mesmo aqueles que não mais convivem com você
Estarão sempre de braços abertos
Que Deus lhe dê em dobro, tudo que deres para outrem.

Feliz Natal e um Ano Novo cheio de alegrias!!!

Enviado por Fábio Jesus/BA

CAMPANHA TVCEI NA SKY - PARTICIPE!


Mais de 10 mil pessoas participaram do abaixo-assinado "Eu quero a TVCEI na SKY". As negociações com as operadoras estão avançando e podemos dar um grande passo agora, contando mais uma vez com a sua ajuda.Agora as operadoras precisam conhecer melhor o perfil de nosso público. Preencha o formulário abaixo. Divulgue para seus amigos.
Se preferir, baixe este formulário em pdf, tire cópias e mande para seus amigos. Depois, mande-nos por fax ou pelos Correios.Com o empenho de todos teremos um 2010 com a tão sonhada TV Espírita na SKY. Participe !
COMENTÁRIO PESSOAL:
O OBJETIVO DESTA CAMPANHA É PROMOVER UMA MAIOR DIVULGAÇÃO DO ESPIRITISMO NA TV FECHADA. ASSIM COMO JA TEMOS OUTRAS FONTES,COMO O PROGRAMA TRANSIÇÃO NA REDE TV E O DE JOSÉ MEDRADO,O VISÃO SOCIAL.

O Menestrel



Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança. E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai ferí-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais. Descobre que leva-se anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem da vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa - por isso, sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, e se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados. Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes, a pessoa que você espera que o chute quando você cai, é uma das poucas que o ajudam a levantar-se. Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas, do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso. Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso. Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás. Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!"
William Shakespeare.



Enviado por Estevam Filho/BA

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Penhor de Fé


Não te surpreendam as dificuldades nem as incompreensões na esfera da. ação em que te encontras a serviço da Era Melhor do Espírito Imortal. Todo empreendimento que visa a modificação de estrutura ultramontana do erro experimenta a reação contrária da própria fôrça em atuação.

Apontas ásperas lutas e duras provas, referes-te a desencantos e dubiedades, arrolas desassossego e evasão, abisma-te em desaire e amargura como se desejasses um jardim florido para aspirar aroma e não uma gleba a transformar-se em seara de bênçãos, toda por inteira.
Considera, porém, que a lâmina que produz desgasta-se, a pedra que atrita destrói-se, o lume que clareia consome o combustível de sustentação, o corpo que se desenvolve e cresce para a glória do espírito caminha para o sepulcro...

Tudo são permutas incessantes.

Átomo a átomo agrega-se à molécula.

Célula a célula compõe-se o órgão.

Partícula a partícula forma-se o vegetal.

Vibração a vibração aglutinam-se as fôrças do Universo.

O sol que nos sustenta aniquila-se paulatinamente ao converter massa em energia para o equilíbrio e manutenção dos astros que gravitam na sua órbita... Assim, também, ocorre no campo das aspirações morais.

A excelência dos nossos ideais se revela no testemunho que deles oferecemos.
Começamos e recomeçamos tarefas de sublimação até atingirmos o ápice da libertação, resgatando todos os débitos.

Por essa forma, cada qual respira no clima elaborado pelo pensamento e cultivado pela vontade.
Ante o que fazer, não te aquietes no já feito.

Fase ao produzir em nome do amanhã, evita a paisagem do passado.

Projetando o bem esquece o mal, que em última análise é apenas o bem ausente.

Não desfaleças, não retrocedas, porque as tuas aspirações sofrem a baba da injúria e as tuas expressões são entendidas como acicates que no entanto não esparzes.

Reverenciando Jesus, a Quem procuras atender e cujo amor te incendeia a alma em pleno despertar, agradece todo empeço e azedume que te apareçam, perdoando sempre, porquanto, testemunhando a legitimidade dos teus propósitos, o perdão que ofertes é oportunidade para ti mesmo, como perdão de Nosso Pai na direção dos teus desejos.
*
"Tende fé em Deus!" Marcos: capítulo 11º, versículo 22.
*
"A verdadeira fé se conjuga à humildade; aquele que a possui deposita mais confiança em Deus do que em si próprio, por saber que, simples instrumento da vontade divina, nada pode sem Deus". Evangelho Segundo o Espiritismo - Capítulo 19º - Item 4.


Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Florações Evangélicas. Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis. Capítulo 53. Salvador, BA: LEAL.



* * * Estude Kardec * * *
Enviado por Francisco Cortizo/BA

Minuto de Sabedoria

Descobri como é bom chegar quando se tem paciência.

E para se chegar, onde quer que seja, aprendi que não é preciso dominar a força, mas a razão.

É preciso, antes de tudo, querer.





"Tudo o que tenho, tudo o que sou e o que vier a ser entrego a ti Senhor."

O Senhor Jesus nos ensina em Sua palavra viva: Entrega o teu caminho ao Senhor, confie Nele e o mais Ele fará. Entregar é confiar, é não se preocupar mais, é descansar, é aceitar que somente Ele te direcione á caminhar onde Ele mesmo quer.

Nós somos falhos e muitas vezes seguimos caminhos contrários, brigamos até mesmo com Deus e seguimos aquilo que sabemos, aquilo que achamos que vai dar certo. Deus quer nos abençoar, Ele tem sonhos e planos perfeitos para nós, Ele vê e conhece todas as coisas, sabe exatamente o que é bom ou não para nós. Ele mesmo nos disse: Clama a mim e responderei e te ensinarei coisas grandes e ocultas que não sabes.

Deus tem o controle de todas as coisas, nós somos limitados aos nossos próprios pensamentos, ás nossas próprias vontades, mas Ele nos diz: Pede á mim, me consulte, fala comigo, pois EU vou te direcionar á fazer o melhor. O que Deus nos dá é sempre eterno e sempre nos faz e nos fará bem, tudo o que Ele coloca em nossas mãos é maravilhoso e não vem com dores, sofrimento e desilusão, mas sim com alegria, muita paz e amor.

Permitamos então, que Jesus dirige os nossos passos, que Ele nos mostre o caminho, pois em Sua palavra diz: Eu ensinarei ao pecador o caminho que ele deve seguir. Você e eu não temos para onde ir, precisamos mais do que nunca de Jesus, precisamos de Sua bênção, precisamos que Ele mesmo nos direcione, precisamos de Sua vida em nós. Não existe outro caminho, não existe outra saída, o caminho, a verdade e a vida é JESUS CRISTO, o único que pode nos dar vida, uma vida fel iz, com total liberdade.

Não siga o que você acha, o que você pensa, pois somos falhos e não sabemos de absolutamente nada, se o Senhor não for á frente de tudo, nada sairá bem.
Lílian Zogno







Enviado por Cláudia Nelli/BA

30 DIAS




(Clic na figura para ampliá-la)

Oração no Natal


Jesus, que neste Natal, Seu olhar de luz penetre nossa alma, como a brisa morna da primavera, e acorde a esperança adormecida sob as folhas secas das ilusões, dos medos, da indiferença, do desespero...

Que Seu perfume, suave como a ternura, envolva todo o nosso ser, confortando-nos e despertando a alegria que jaz esquecida por trás das lamúrias e distrações do caminho...

Que o bálsamo do Seu amor acalme as nossas dores, silencie as nossas queixas, socorra a nossa falta de fé.

Que, neste Natal, o calor da Sua bondade se derrame sobre o nosso Espírito e derreta o gelo milenar do egoísmo que nos infelicita e faz infelizes nossos semelhantes...

Que Seu coração generoso afine as cordas da harpa viva que vibra em nossa intimidade, e possamos cantar e dançar, até que o preconceito fuja, envergonhado, e não mais faça morada em nós...

Que o Seu canto de paz seja ouvido por todos os povos, do Oriente e do Ocidente, e as guerras nunca mais sejam possíveis entre a raça humana...

Que, neste Natal, Suas mãos invisíveis e firmes sustentem as nossas, e nos arranquem dos precipícios dos vícios, da ira, dos ódios que tanto nos infelicitam...

Que a água cristalina da Sua misericórdia percorra nossa alma e remova o lodo do ciúme, da inveja, do desejo de vingança, e de tantos outros vermes que nos corroem e nos matam lentamente...

Que o bisturi do Seu afeto extirpe a mágoa que se aloja em nosso íntimo e nos turva as vistas, impedindo-nos de ver as flores ao longo do caminho...

Que, neste Natal, a pureza da Sua amizade faça com que possamos ver apenas as virtudes dos nossos amigos, e os abracemos sem receio, sem defesas, sem prevenções...

Que Seu canto de liberdade ecoe em nós, para que sejamos livres como as falenas que brincam na brisa morna, penetrada pela suavidade da luz solar...

Que o sopro da Sua fé nos impulsione na direção das estrelas que cintilam no firmamento, onde não mais se ouvem gemidos de dor, e onde a felicidade plena já é realidade.

Ensine-nos, Jesus, a amar, a fazer desabrochar em nossa alma esse sol interior que nos fará luz por inteiro...

Ajude-nos a desenvolver o gosto pelo conhecimento, para que possamos encontrar a verdade que nos libertará da ignorância pertinaz...

E, por fim, Jesus, que neste Natal cada ser humano possa sentir a Sua presença sábia e amiga, convidando a todos a uma vida mais feliz...

Tão feliz que Sua mensagem não mais seja um tímido eco repercutindo em almas vacilantes, mas que seja uma grande melodia que vibra o amor em todos os cantos da Terra...


(Texto de autoria desconhecida)


Enviado por Raimunda Gesteira/BA

MENSAGEM DO DIA


"Desejo que a vida se torne um canteiro de oportunidades para vc ser feliz......
E, quando vc errar o caminho, recomece, pois assim vc descobrirá que ser feliz não é ter uma vida perfeita, mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância."
(Fernando Pessoa)
Enviado por Glória Mariani/PR-BA

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Cursos de Pós-Graduação na Psiquê – 2010
























Cursos de Pós-Graduação na Psiquê – 2010
com Chancela da Faculdade Helio Rocha

Inscrições abertas

Início dos cursos: 5 de fevereiro de 2010

Pós-Graduação em Psicoterapia Junguiana
Para médicos, psicólogos e estudantes no último e penúltimo ano destes cursos
Duração: 3 anos
Carga Horária: 460 horas

Pós-Graduação em Teoria Junguiana
Para profissionais graduados em Educação, Filosofia, Direito, Serviço Social, dentre outros reconhecidos pelo MEC
Duração: 2 anos
Carga Horária: 360 horas

Maiores informações pelos telefones: 71 3345 0606 ou 71 3345 0436 ou no site www.clinicapsique.com

Psiquê – Clínica de Psicologia e Centro de Estudos C. G. Jung
Rua Amazonas, 172, Pituba, Salvador, Bahia.




Enviado por Silzen Furtado/BA

OBSESSÃO SUTIL E PERIGOSA



...............................................................................................................................................................................................................
Uma forma de obsessão perigosa é aquela que passa quase despercebida e se instala vagarosa e firmemente nos painéis mentais, estabelecendo comportamentos equivocados com aparência respeitável.
Apresenta-se em pessoas que denotam grave postura e sabem conquistar outras pela facilidade de comunicação verbal, tornando-as afáveis e gentis, desde que não tenham os seus caprichos e interesses contrariados. Dão impressões sociais que não correspondem ao seu estado real, porquanto adotam comportamentos parasitas que os credenciam a supor-se méritos que não possuem.
Interiormente, vivem sob conflitos que disfarçam com habilidade, daí nascendo, dessa dupla atitude para com a vida, situações neurotizantes que desarticulam o equilíbrio emocional, igualmente sob o bombardeio das farpas mentais destrutivas dos seus inimigos espirituais.
São galantes, em grupo, e a sós, taciturnos; idealistas, na comunidade, aplicando teorias verbais, que não demonstram em atos, porque não creem nelas; cordiais exteriormente, todavia, arrogantes e sem resistências para as lutas morais.
Nesse clima psíquico, que ressuma das experiências de vidas passadas, hospeda-se o agressor desencarnado que insufla maior dose de indiferença pelos problemas alheios, desbordando o egocentrismo que termina por aliená-los enquanto agasalham e vitalizam as paixões dissolventes.
Esse tipo de perturbação espiritual é mais difícil de erradicá-la, em razão de o paciente negar a sua situação de enfermo, antes comprazendo-se nela, porque o narcisismo a que se entrega, converte-se em autofascinação por valores que se atribui e está longe de os possuir, anulando qualquer contribuição que lhe é oferecida.
Somente a humildade, que dá a dimensão da pequenez e fraqueza humana ante a grandiosidade da vida, faculta uma visão legítima, através da qual se pode fazer uma justa avaliação de recursos, recorrendo-se à Divindade pela prece ungida de amor, antídoto eficaz para os distúrbios obsessivos.
A prece liberta a mente viciada dos seus clichês perniciosos e abre a mente para a captação das energias inspiradoras, que fomentam o entusiasmo pelo bem e a conquista da paz através do amor. Entretanto, a fim de que se revista de força desalienante, ela necessita do combustível da fé, sem a qual não passa de palavras destituídas de compromisso emocional entre aquele que as enuncia e a Quem são dirigidas. Ainda, nesse capítulo, impõe uma atitude de recolhimento e concentração para que se exteriorize a potencialidade pela vontade que anela, dirigida pela certeza de que alcançará o destino.
Uma das primeiras atitudes do obsidiado com as características a que nos reportamos, é o desdém à oração por acreditar que não a necessita, outrossim, duvidando da sua eficácia ou menosprezando-lhe a utilidade.
Exacerbado nos seus sentimentos infelizes, o paciente auto-realiza-se, adotando uma atitude de falsa superioridade com a qual anestesia os centros da razão e deleita-se no estado em que se encontra. A largo prazo, porém, perde o controle sobre a vontade, que deixa de dirigir, sob a injunção pertinaz, tornando-se ostensivamente agressivo e desfazendo a aparência, que cede lugar ao desequilíbrio que se lhe instalou com forte penetração nos mecanismos nervosos.
Nesse quadro de obsessão constritora, encontram-se inumeráveis indivíduos hospedando adversários que os vampirizam demoradamente, até culminarem o desforço com os golpes largos das quedas na loucura, no crime ou no suicídio.
...............................................................................................................................................................................................................
(De “Painéis da Obsessão”, de Divaldo Pereira Franco, pelo Espírito Manoel P. de Miranda)
__._,_.___


Enviado por Marluce Faustino/RJ

Direitos humanos - Oriente Médio,um reduto de impunidade

Por William Fisher, da IPS

Nova York, 21/12/2009 – A violação dos direitos humanos agravou-se em 12 países árabes do Oriente Médio e norte da África este ano, enquanto Israel continuou seus abusos nos territórios palestinos ocupados, segundo o informe “Reduto de impunidade, miragem de reformas”, publicado anualmente pelo Instituto para o Estudo dos Direitos Humanos, do Cairo. Este documento denuncia a “deterioração” da situação na Arábia Saudita, Argélia, Bahrein, Egito, Iraque, Líbano, Marrocos, Palestina, Síria, Sudão, Túnis e Iêmen.

O estudo também condena o que considera “a grave e atual violação israelense dos direitos palestinos, particularmente o castigo coletivo da população na Faixa de Gaza através do bloqueio e da invasão brutal desse território no começo de 2009”. Isso “provocou a morte de mais de 1.400 palestinos, 83% deles civis que não participavam das hostilidades”, assegura o informe.

“O sofrimento do povo palestino agravou-se com o conflito entre as facções palestinas Fatah e Hamas (Movimento de Resistência Islâmica), que transformou os direitos e as liberdades universais em favores concedidos com base na filiação política”. Os “dois lados cometeram graves abusos contra seus rivais, entre eles a detenção arbitrária, tortura letal e execuções sumárias”, acrescenta o informe.

Em um capitulo à parte, o estudo aborda o que considera o “avanço limitado em matéria de direitos humanos das mulheres e a igualdade de gênero. Os governos árabes “utilizam a questão dos direitos das mulheres para forjar imagem perante a comunidade internacional e ao mesmo tempo evitam as reformas democráticas e de direitos humanos necessárias para garantir a dignidade e a igualdade da totalidade de sua cidadania”, diz o texto.

Embora o Iraque continue sendo o principal foco de violência e mortandade de população civil, “o país experimentou relativa melhora em algumas áreas, embora os avanços sejam frágeis”, acrescenta. “A quantidade de mortos caiu e as ameaças contra a imprensa são menos frequentes. Além disso, algumas das principais facções em guerra indicaram que estão para renunciar à violência e participar do processo político”, diz o documento.

No Egito, onde impera o estado de emergência há quase 30 anos, “a ampla imunidade dada ao aparelho de segurança provoca o assassinato de dezenas de imigrantes ilegais, emprego da força letal na perseguição de suspeitos de crimes, e a tortura como rotina”, destaca a pesquisa. A lei de emergência egípcia também foi aplicada para reprimir a liberdade de expressão, inclusive para detenção ou seqüestro de escritores de blogs na Internet. Da mesma forma, o regime do Sudão “é um exemplo de impunidade e falta de prestação de contas”, destacou o informe. O regime de Bashir “persegue qualquer um no país que rejeite abertamente a impunidade dos crimes de guerra, os prende e tortura, e fecha organizações de direitos humanos”.

A “política de castigo coletivo contra a população de Darfur continua”, afirma o estudo. Argélia, Bashrein, Líbano, Marrocos, Túnis e Iêmen também foram apontados por suas práticas antidemocráticas e repressivas, bem como pela corrupção. A Síria, onde a lei de emergência completou 47 anos, se distingue por sua “disposição de destruir todo tipo de oposição política, mesmo as manifestações mais limitadas de expressão independente”. A minoria curda sofre a “discriminação institucionalizada e os defensores dos direitos humanos foram alvo de sucessivos ataques”. O presidente da organização Sawasiyah foi preso e julgado, e seu advogado, o ex-presidente da Associação de Direitos Humanos da síria, denunciado a um tribunal militar.

“Os escritórios do Centro Sírio para os Meios de Comunicação e a Liberdade de Expressão foram fechados, e as prisões sírias ainda têm dezenas de presos de consciência e defensores da democracia”, denuncia o informe. Na Arábia Saudita, os discursos do monarca exortando a tolerância religiosa e o diálogo entre as religiões no exterior não se aplicam dentro do reino, onde a “policia religiosa continua reprimindo a liberdade pessoal”, assegura o estudo. “A repressão da liberdade religiosa é endêmica, e a minoria xiita continua sofrendo discriminação sistemática”, acrescenta.

As políticas antiterroristas são usadas para justificar as detenções arbitrarias por tempo indefinido, e foram torturados ativistas políticos reformistas. Centenas de pessoas sofreram processos judiciais secretos no último ano, segundo o informe. Em conjunto com estes abusos e a “falta de prestação de contas por esses crimes” nos países árabes, “vários governos” da região e “membros da organização da Conferência Islâmica trabalham junto com instituições da Organização das Nações Unidas para minar os mecanismos internacionais e as normas de proteção dos direitos humanos”.

“Nesse plano, os governos árabes buscam minar as normas que responsabilizam os governos ou avaliam e supervisionam os direitos humanos seriamente”. Isto fica “ilustrado pelo ataque contra os especialistas independentes de direitos humanos da ONU” e organizações não-governamentais que trabalham no fórum mundial, bem como as “tentativas de legalizar restrições internacionais à liberdade de expressão com o pretexto de proibir a difamação religiosa”, acrescenta o estudo.

_________________________

Fonte de informação: Envolverde/IPS


domingo, 20 de dezembro de 2009

Caridade da Luz

Santa – a moeda amiga ao tornar-se carinho
Em todo lar sem pão que a penúria flagela,
Enaltecida sempre – a roupa mais singela
Que protege a nudez ao vento e ao desalinho!...
Glorificado seja – o pouso que tutela
O enfermo relegado às pedras do caminho,
Preciosa – a afeição para quem vai sozinho,
Trancando-se na dor em que se desmantela!...
Nobreza em toda ação que represente amparo
Do auxílio de um vintém ao apoio mais raro,
Que a simpatia expresse e a bondade presida!...
Brilhe em tudo, porém, com mais força e grandeza
A palavra do Bem que apure a Natureza,
Iluminando o Amor e libertando a Vida!...


Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Auta de Souza. Ditado pelo Espírito Auta de Souza. 9 edição. Araras (SP): IDE.



Enviado por Francisco Cortizo/BA

PARABÉNS AO PLANTÃO DA PAZ E QUE CADA VEZ MAIS AS PESSOAS POSSAM CONHECÊ-LO!




Conheça os serviços pelo Skype e Msn e mais pelo site: http://plantaodapaz.blogspot.com
PARA PARTICIPAR DO GRUPO NO YAHOO GRUPOS:
Assinar irmaosdeluz

Desenvolvido por br.groups.yahoo.com