segunda-feira, 22 de março de 2010

COMPARTILHANDO - ESTUDO PREPARATÓRIO DA PALESTRA "CAUSAS DAS MISÉRIAS HUMANAS"

Roteiro para Estudo do Evangelho

 

 

DESTINAÇÃO DA TERRA – CAUSAS DAS MISÉRIAS HUMANAS

 

 

 

 

1- Porque são marcantes, ainda, as misérias humanas?

 

Resposta: É que nós não aprendemos ainda que somos todos irmãos pela Lei de nosso Pai, tão suavemente expressa no Evangelho; é que ainda existe em nós muito egoísmo, orgulho e desamor.

A situação material e moral da humanidade terrestre é devida à destinação da Terra e a natureza daqueles que a habitam.

 

2- Terá Deus nos criado apenas para o sofrimento?

 

Resposta: Não. O sofrimento é temporário e decorre da nossa resistência à prática do bem, para satisfazer o orgulho e o egoísmo que existe em cada um de nós.

A Terra é um dos planetas mais atrasados, onde habitam espíritos avessos à Lei de Deus; daí, seu panorama de sofrimento.

 

3- Qual a finalidade de estar na Terra?

 

Resposta: Sendo a Terra uma escola de fraternidade, nela nos encontramos para aprender a amar o próximo e, através do amor, corrigir nossas imperfeições morais.

A Terra nos foi destinada, por Deus, para nos redimir e poder avançar no progresso espiritual.

 

4- Como fazer para apressar a cura de nossas enfermidades morais?

 

Resposta: Combatendo nossos defeitos, incentivando as virtudes e buscando nossa reforma íntima à luz do Evangelho do Senhor.

A dor é a condição da alegria e o preço da virtude, e a virtude é o bem mais precioso que há no Universo.

 

5- Estamos destinados a reencarnar indefinidamente na Terra?

 

Resposta: Não. Do mesmo modo que do hospital saem os que já estão curados, e da prisão os que cumpriram sua pena, o homem deixa a Terra quando está curado de suas enfermidades morais.

Nosso mundo não é o único habitado. Outros, mais felizes, existem, compatíveis com os níveis de progresso alcançado pelos espíritos.

 

6- A felicidade existe? Como conquistá-la?

 

Resposta: Sim. A felicidade nos é assegurada pela Lei de Deus e devemos conquistá-la passo a passo, trabalhando por vencer nossas próprias imperfeições. O Evangelho do Senhor é o guia mais seguro nessa caminhada.

Todos podemos ter fé num futuro melhor, mas alcançará a felicidade, mais depressa e com menor sofrimento, aquele que se esforça para dominar suas más tendências.

 

Conclusão:

 

A Terra é uma escola de fraternidade e de reparação. Nela habitam espíritos ainda endividados com a Providência Divina e que aí encontram meios para se corrigir, através do sofrimento regenerador e do esforço em dominar suas más tendências - causas das misérias humanas.

 

 

Fonte Básica:

 

       1- O Evangelho Segundo o Espiritismo. cap. III, Item 6 e 7.

 

Fontes Complementares:

 

1-      Livro dos Espíritos: Parte 3 cap. VIII, perg. 776 a 793.

2-      Progressão dos Espíritos: Parte 2°, cap.I, Perg.114 a 117.

3-      Sinais dos Tempos: A Gênese cap.XVII, item 9.

4-      O consolador: 1° Parte, Cap. I, pergs. 55 e 56.

5-      Ciências Especializadas: Cap.III, pergs. 71 e 72.

6-      Dor: 2° Parte, Cap.V, pergs. 239 a 241.

7-      Contrastes: Mens.20. ( Chico Xavier e Waldo Vieira).

 

Roteiro Sistematizado para estudo do livro "O Evangelho Segundo o Espiritismo". Fundação Allan Kardec

 

***

 

Grupo de Estudos Allan Kardec

www.luzdoespiritismo.com

Destinação da Terra.

Causas das misérias humanas

 

6. Muitos se admiram de que na Terra haja tanta maldade e tantas paixões grosseiras, tantas misérias e enfermidades de toda natureza, e daí concluem que a espécie humana bem triste coisa é. Provém esse juízo do acanhado ponto de vista com que se colocam os que o emitem e que lhes dá uma falsa idéia do conjunto.

 

Deve-se considerar que na Terra 

·      não está a Humanidade toda,

·      mas apenas uma pequena fração da Humanidade.

Com efeito, a espécie humana abrange todos os seres dotados de razão que povoam os inúmeros orbes do Universo. Ora, que é a população da Terra, em face da população total desses mundos? Muito menos que a de uma aldeia, em confronto com a de um grande império. A situação material e moral da Humanidade terrena nada tem que espante, desde que se leve em conta: 

·      a destinação da Terra

E a 

·      natureza dos que a habitam.

 7. Faria dos habitantes de uma grande cidade uma idéia falsíssima quem os julgasse pela população dos seus quarteirões mais íntimos e sórdidos. 

·      Num hospital, ninguém vê senão doentes e estropiados (acidentados);

·      Numa penitenciária, vêem-se reunidas todas as torpezas, todos os vícios;

·      Nas regiões insalubres, os habitantes, em sua maioria são pálidos, franzinos e enfermiços.

Pois bem: figure-se a Terra como 

·      um subúrbio,

·      um hospital,

·      uma penitenciaria,

·      um sítio malsão,

E ela é simultaneamente tudo isso, e compreender-se-á por que as aflições sobrelevam aos gozos, porquanto não se mandam para 

·      o hospital os que se acham com saúde,

·      nem para as casas de correção os que nenhum mal praticaram;

·      nem os hospitais e as casas de correção se podem ter por lugares de deleite.

Ora, assim como, numa cidade, a população não se encontra toda nos hospitais ou nas prisões, também na Terra não está a Humanidade inteira. E, do mesmo modo que 

·      do hospital saem os que se curaram

·      da prisão saem os que cumpriram suas penas,

·      O homem deixa a Terra, quando está curado de suas enfermidades morais.

http://aeradoespirito.sites.uol.com.br/A_ERA_DO_ESPIRITO_-_Portal/ARTIGOS/Estudos/HA_MUITAS_MORADAS.html

Fonte: Cap. III do Evangelho Segundo o Espiritismo - Allan Kardec
 

Cap. III do ESE - Destinação da Terra. Causa das Misérias Humanas 17-01-07

Amados de Deus, assim que possível, teremos o estudo na íntegra, ou seja,  como foi realizado no chat. Agradecemos a compreensão!

EXPOSITOR:Queridos irmãos em Cristo, vamos dar início a mais um grupo de estudos.

PRECE DE ABERTURA: Deus, nosso Pai de amor e bondade, Jesus, Divino Mestre, Estamos agradecidos por mais esta oportunidade de aquí estarmos reunidos em teu nome para o estudo do teu Evangelho e das Leis Divinas, sob as luzes da Doutrina Espírita!  Concede-nos, senhor, sabedoria e discernimento, para captarmos a profundidade dos estudos aquí realizados!  Possamos contar com a presença dos espíritos amigos, em especial dos nossos mentores e do digno diretor espiritual desta sala! ASSIM SEJA!   

Nosso tema de hoje será DESTINAÇÃO DA TERRA. CAUSA DAS MISÉRIAS HUMANAS - Capítulo III do Evangelho Segundo o Espiritismo!

Repassando um pouco o tema da semana anterior, em que vimos DIFERENTES ESTADOS DA ALMA NA ERRATICIDADE e DIFERENTES CATEGORIAS DE MUNDOS HABITADOS, temos a relembrá-los:

Aprendendemos que ESPÍRITOS são as almas dos homens que viveram na Terra, que progridem sem cessar, e que os anjos ou Espíritos de Luz são essas mesmas almas ou Espíritos chegados a um estado de perfeição que os aproxima da Divindade.

A ALMA é o princípio inteligente considerado isoladamente. É a força atuante e pensante, que não podemos conceber isolada da matéria senão como uma abstração. Revestida de seu envoltório fluídico, ou PERISPÍRITO, a alma constitui o ser chamado Espírito, como quando está revestida do envoltório corporal, constitui o homem.

No estado normal, o PERISPÍRITO é invisível aos nossos olhos e impalpável ao nosso tato, como o são uma infinidade de fluidos e de gases.

As nossas diferentes existências corporais não se passam todas sobre a Terra. Segundo os Espíritos, os corpos que tomamos nos diferentes mundos é mais ou menos material, de acordo com o grau de pureza a que chegaram os Espíritos.

Vale lembrar, igualmente, que em  nossas diversas encarnações, em diferentes mundos ou épocas, conservamos a inteligência que tínhamos, mas dependendo da superioridade moral e das condições do corpo que tomamos podemos não dispor dos meios de manifestá-la.

A evolução do espírito e a inteligência, não caminham, necessariamente, juntos. Temos espíritos brilhantes em termos de inteligência, mas com pouca evolução espiritual.

Muitos  alegam que só existe sofrimento, maldade e más inclinações neste mundo em que vivemos! Buscamos as sábias palavras contidas no ESE para lembrá-los de que:

"Far-se-ia dos habitantes de uma grande cidade uma idéia muito falsa, se fossem julgados pela população de bairros ínfimos e sórdidos."

 E ainda, esclarece-nos porque temos tantas aflições:

"Num hospital não se vêem senão doentes e estropiados; numa prisão de forçados vêem-se todas as torpezas, todos os vícios reunidos; em regiões insalubres, a maior parte dos habitantes são pálidos, fracos e sofredores. Pois bem, que se figure a Terra como sendo um subúrbio, um hospital, uma penitenciária, uma região malsã, porque ela é ao mesmo tempo tudo isso, e se compreenderá por que as aflições sobrepujam as alegrias, pois não se enviam a um hospital as pessoas sadias, nem às casas de correção aqueles que não fizeram o mal; e nem os hospitais, nem as casas de correção são lugares de prazeres."

Cá estamos, na Terra, para isso.....Para expiarmos nossas falhas!! E, dentro destas expiações, sabemos que a Terra passará para outra classe, para a classe dos mundos de Regeneração! Avançaremos, sem sombra de dúvida!

 Vale lembrar que não apenas espíritos que necessitam evoluir reencaram na  Terra, temos também os espíritos  Missionários, citando um conhecido exemplo Jesus, temos os espíritos abnegados, entre outros.

 Neste ponto, entram grandes dúvidas. Expiarmos como? A trôco de quê? Que será da Terra? Por que tantas misérias?

 Bom, vamos por partes, tentado abranger senão todas, mas muitas de nossas dúvidas.

Na virada de século fomos assaltados por previsões tenebrosas sobre o fim do mundo através de um imenso cataclisma! A grande verdade é que muitas pessoas passaram a buscar mais o lado espiritual e isso é a tônica de nosso milênio: a espiritualidade, a reforma interior, a evolução!  Precisamos nos educar e buscar a melhoria progressiva e constante de nossas vidas e daquelas que estão sob nossa responsabilidade. A educação intelectual, moral e filosófica estará como prioridade e necessidade premente no homem do terceiro milênio.

 Pensávamos que tudo se acabaria, mas já notamos que a reforma da Terra se dará de forma gradativa. Grandes abalos serão necessários, como em toda transição!

Em determinados momentos, parece que o caos está estabelecido, mas precisamos saber observar essa situação aparente. Estudarmos, nos educar e sabermos diferenciar e identificar o que fará a diferença - como dizemos amiúde: 'Ninguém muda de resultado percorrendo sempre o mesmo caminho"!

 Aqui também cabe a célebre frase: "Todos os caminhos levam a Deus", embora alguns sejam mais dolorosos e tortuosos do que outros. Emmanuel, através de psicografias feitas por Chico, nos assegura que todos os homens foram criados para se tornarem entidades de luz! Todos, igualmente, chegaremos lá - cada um a seu turno!

 Esperamos, a todo instante, que as coisas ocorram de forma brusca e tempestiva, mas temos nas palavras de Kardec, na Gênese, a idéia de como a transição ocorrerá.

Nos dá o exemplo de um regimento composto por homens turbulentos e indisciplinados. Esses homens são mais numerosos do que aqueles que se pautam pela ordem. Se esses mesmos homens forem retirados, paulatinamente, e substituídos por igual número de bons soldados, a pouco e pouco o regimento se transformará, pela influência dos bons, podendo inclusive acontecer que aqueles que foram expulsos possam retornar transformados. Assim ocorrerá também com o nosso planeta.

Ainda no capítulo XI de "A Gênese",  Emigrações e Imigrações do espíritos, temos:

 " 36. – Em certas épocas, reguladas pela sabedoria divina, essas emigrações e essas imigrações se operam em massas mais ou menos consideráveis, em conseqüência das grandes revoluções que fazem partir, ao mesmo tempo, quantidades inumeráveis, as quais são logo substituídas por quantidades equivalentes de encarnações. É necessário, portanto, considerar os flagelos e os cataclismas como ocasiões de chegadas e de partidas coletivas, de meios providenciais para renovar a população corpórea do globo, de  retemperá-la   com  a introdução de novos elementos espirituais mais depurados.

Se, nessas catástrofes, há destruição de um grande número de corpos, não há senão envoltórios despedaçados, mas nenhum Espírito perece: não fazem senão mudar de meio; em lugar de partir isoladamente, partem em número, eis toda a diferença, porque partir, por uma causa ou por outra, não deixam de partir fatalmente cedo ou tarde.(...)

 (...)É notável que todas as grandes calamidades, que dizimam as populações, são sempre seguidas de uma era de progresso na ordem física, intelectual e moral e, por conseqüência, no estado social das nações nas quais se cumprem. É que têm por objetivo operar um remanejamento na população normal e ativa do globo."

 Podemos citar um exemplo conhecidíssimo: a bomba atômica!! No que tranformou-se o Japão depois dela, não é mesmo? E quantos espíritos morreram e pereceram? E quantos outros desastres mais recentes temos presenciado? Não só por força da natureza, mas também pelo peso da mão do homem!

 E vejam, ainda, como kardec nos mostra a forma como a evolução se faz, geração a geração:

 " 37. – Essa  transfusão  que  se  opera entre a população  encarnada e  a  população   desencarnada de um mesmo globo se opera, igualmente, entre os mundos, seja individualmente  nas condições normais, seja por massas em circunstâncias especiais.  Há,  pois, emigrações e imigrações coletivas de um mundo   para outro. Disso resulta a introdução, na população de um globo, de elementos inteiramente novos;  novas raças de Espíritos vêm se misturar às raças existentes, constituindo novas raças de homens.

 Ora, como os Espíritos nunca perdem o que adquiriram, levam com eles a inteligência e a intuição dos conhecimentos que possuem; imprimem, conseqüentemente,   o seu caráter à raça corpórea que vêm animar. Eles não têm necessidade, para isso, que seus novos corpos sejam criados especialmente para o seu uso; uma vez que a espécie corpórea  existe,  encontra-se  toda   pronta   para recebê-los. São, pois, simplesmente novos habitantes; em chegando sobre a Terra, de início, fazem parte de sua população espiritual,  depois  se  encarnam  como os outros. "

 Ou seja, queridos irmãos em Cristo, grandes levas de espíritos considerados como o 'joio' estão sendo retirados da Terra e, igualmente nova leva de espíritos considerados como o 'trigo' estão sendo inseridas entre nós. Trazendo-nos o progresso de seu mundo  e proporcionando o progresso ao nosso mundo.  Querem grande exemplo de progresso aqui mesmo no Brasil?

 As regiões áridas que temos lá para cima, que passaram a produzir alimentos tão nutritivos e de qualidade até superior aos alimentos que produzimos aqui nas regiões mais favorecidas ao plantio!! Tudo graças à utilização consciente da inteligência e dos recursos disponíveis naquelas terras que margeam não tão de perto o querido rio São Francisco!

No capítulo XVIII de "A Gênese", encontramos 'Sinais dos tempos':

 " 1. – Os tempos marcados por Deus são chegados, nos dizem de todas as partes, onde grandes acontecimentos vão se cumprir para a regeneração da Humanidade. Em que sentido é necessário entender essas palavras proféticas? (...)

 (...)2. – Tudo é harmonia na criação; tudo revela uma previdência que não se desmente nem nas menores coisas nem nas maiores; devemos, pois, de início descartar toda idéia de capricho inconciliável com a sabedoria divina; em segundo lugar, se a nossa época está marcada para o cumprimento de certas coisas, é que elas têm a sua razão de ser na marcha do conjunto.

 Isto posto, diremos que o nosso globo, como tudo o que existe, está submetido à lei do progresso. Ele progride fisicamente pela transformação dos elementos que o compõem, e moralmente pela depuração dos Espíritos encarnados e desencarnados que o povoam. Esses dois progressos se seguem e caminham paralelamente, porque a perfeição da habitação está em relação com a do habitante. (...)

 (...) a Humanidade progride pelo desenvolvimento da inteligência, do senso moral e o abrandamento dos costumes. Ao mesmo tempo que a melhoria do globo se opera sob o império de forças materiais, os homens para isso concorrem pelos esforços de sua inteligência; eles saneiam as regiões insalubres, tornam as comunicações mais fáceis e a terra mais produtiva.

 Tudo gira em torno de nosso livre-arbítrio, o que gera uma certa fatalidade na evolução. Daí podemos perceber que certas nações progridem mais rapidamente do que outras.

Mas devemos sempre estar cientes de que, muito embora o 'movimento progressivo da humanidade' é algo inevitável e está intrínsico na Natureza, não podemos dizer que Deus está indiferente a tudo!! Criou leis imutáveis e são essas leis eternas que nos regem!!

 Deus, em sua força inteligente, tudo vê e de tudo participa, mantendo a harmonia. Ele está constantemente velando por nós e por nosso destino, auxiliado de certa forma, como um Presidente de uma empresa que possui diretores e gerentes que zelam pela produção da mesma!

 Os homens têm alcançado inúmeráveis e incontáveis progressos nas diversas áreas, sejam materiais quanto espirituais.  Nosso grande objetivo, no presente momento, é  fazer com que impere entre nós a fraternidade, a caridade e a solidariedade, sem as quais não teremos garantido o bem-estar moral.

Somos ainda, como já dissemos acima, responsáveis pelo 'encaminhamento' dos espíritos que são colocados sob nossa responsabilidade - seja como filhos, alunos, empregados ou companheiros de crença! "Dai de graça o que de graça recebestes"!

O que podemos entender pelas misérias humanas?

 As misérias do mundo são encontradas em nosso egoísmo e em nosso orgulho!!

Sempre que buscamos pensar somente em nós mesmos, agimos guiados por nosso orgulho e nosso egoísmo, estamos caminhando para o lado oposto da evolução.

Da questão 629  até a 634, do Livro dos Espíritos, temos a definição do que é moral, bem e mal, formas como podemos distingui-los e como podemos discernir sobre estarmos ou não praticando-os.  Em dado instante, a orientação nos é clara:

 " Jesus vos disse: vede o que quereríeis que se fizesse ou não se fizesse para vós: tudo está nisso. Não vos enganareis."

As misérias humanas cessarão quando praticarmos essa máxima de forma livre e espontânea, enraizada em nosso ser e em nossas atitudes.

 Não creio que devamos achar que 'consertaremos' o mundo, suas misérias e suas falcatruas. Mas, devemos olhar tudo sob uma nova ótica!!

 O mundo em que vivemos é o globo terrestre sim, mas e tão somente mas, como seres somos Universos e como tais, temos vários mundos ao nosso redor!!  Nosso mundo familiar, nosso mundo no trabalho, nosso mundo social, nosso mundo na internet, nosso mundo escolar e assim por diante!!!

 Por isso, sempre é de bom tom, analisarmos nossa consciência e o que fazemos para a melhoria de nosso mundo e de nosso eu. Santo Agostinho,  respondendo à pergunta 919-a de "O Livro dos Espíritos", recomenda:

 "Fazei o que eu fazia quando vivi na Terra: no fim de cada dia interrogava a minha consciência, passava em revista o que havia feito e me perguntava a mim mesmo se não tinha faltado ao cumprimento de algum dever, se ninguém teria tido motivo para se queixar de mim. Foi assim que cheguei a me conhecer e ver o que em mim necessitava de reforma".

 Talvez vocês notem que, em momento algum, busquei o pessimismo e a falta de consolo diante do porvir!! Mas queridos Irmãos, é justamente isso que quis lhes mostrar!!!

 Temos de ter fé e confiança de quem é que está no leme de nossas vidas!! Temos de fazer jus aos ensinamentos que nos são transferidos pela filosofia através dos séculos e que culminam com os ensinamentos deixados pelo nosso Mestre de amor. Temos de fazer jus às inúmeras oportunidades de crescimento que nos são ofertadas diariamente!!

 Temos de abrir os olhos e começarmos a retirar de nosso dia-a-dia todas as situações que nos remetem ao pessimismo, ao desânimo e à inércia!! Seja gastando nosso tempo em conversas fúteis, seja direcionando nossa mente para leituras nem tão edificantes, seja alimentando nosso corpo com substâncias nocivas, seja fechando os olhos ao bem que poderíamos fazer e não fazemos! Temos que despertar e lembrarmos que só sairemos do hospital quando estivermos curados - que só sairemos da prisão quando cumprirmos o tempo a que nossas faltas fizeram jus!!

Lembrem-se disto, como referência nos momentos de desânimo: segundo o ESE, (...) o homem deixa a terra por mundos mais felizes, quando está curado das suas enfermidades morais.". Façamos, cada dia, um pouco mais pela nossa evolução, para que possamos desfrutar de melhores mundos!!

 Lembro-lhes que utilizei como referência o Livro dos Espíritos, o Evangelho Segundo o Espiritismo e A Gênese!

Prece de abertura por Curioso-sp

Prece de encerramento por OBREIRO 

Exposição por Fiorell@!

 

http://sobaoticaespirita.spaces.live.com/blog/cns!B5B455B6FD2D5E2E!183.entry

 

Causas das Misérias Humanas

Palestra Virtual
Promovida pelo Canal #Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br

Palestrante: Ricardo Bicudo
Rio de Janeiro
21/08/1998

Organizadores da palestra:

Moderador: "Dejavu" (nick: |Moderador|) "Médium digitador": "jaja" (nick: Ricardo_Bicudo)

Oração inicial:

<Caminheiro> Pai amoroso! Nosso Pai que nos ama e nos concede sempre uma nova chance! Como é bendito o teu amor! Como é maravilhosa a ternura com que nos trata, nos observa, nos olha! Louvado seja, Pai, pela maravilhosa obra da criação, pelo dom da vida! Suplicamos neste momento, Paizinho, a tua luz para nosso palestrante e para cada um de nós aqui participantes! Que possamos entender o plano maravilhoso de evolução que Você prepara para cada um de nós! Que consigamos perceber que a vida concorre sempre para o melhor em nossas vidas! E que nosso aprendizado faça a árvore de nossas vidas render frutos: 100 por 1, 10000 por 10! Em nome de Jesus! Que assim seja!

Apresentação do palestrante:

<Ricardo_Bicudo> Sou carioca, tenho 49 anos. Espírita, freqüentador e trabalhador da Casa de Maria de Nazaré, na Rocinha e do Grupo Rita de Cássia de Estudos Espíritas, no Leblon. (t)

Considerações iniciais do palestrante:

<Ricardo_Bicudo> Tem sido difícil para todos conviver com as desgraças e misérias que têm assolado o ambiente do nosso planeta. É comum até para alguns de nós, espíritas, que temos a possibilidade de estudar a vida sob um enfoque mais amplo, diante de fatos muitos tristes, deprimentes, vacilarmos um pouco em nossa esperança. Mas, se formos consolidando, interiorizando, o entendimento da Doutrina dos Espíritos, certamente ela ocupará o espaço que lhe está destinado como alavanca de progresso da humanidade terrena, como o consolador prometido por Jesus. Pois é um fato incontestável para todos que a estudam seriamente, que ela traz os fundamentos para a compreensão das misérias humanas. Não traz ela em seu bojo doutrinário todos os conceitos acerca da vida humana, mas, certamente, traz a medida precisa dos que são necessários à regeneração da condição humana na Terra, o que somente será alcançado, a partir da compreensão das nossas dores e do fortalecimento de nossa fé na justiça e bondade de Deus, nosso Pai. Que Jesus, nosso mestre maior, possa abençoar nossa reflexão esta noite. Paz a todos! (t)

Perguntas/Respostas:

<Moderador__> [1] <neeg> Caro amigo Ricardo: vemos, atualmente, pessoas revoltadas com a vida que levam, afirmando serem injustiçadas. Você acredita que possam haver aqui na Terra pessoas injustiçadas?

<Ricardo_Bicudo> Essa justiça tem que ser vista sob duas óticas. Sob a ótica humana, vemos a injustiça em todo canto do planeta. No entanto, quando buscamos uma compreensão da vida, envolvendo a Lei das reencarnações, causa e efeito, começamos a compreender que, na realidade, os nossos sofrimentos encontram sua justificativa nas vidas passadas. Ainda complementando: podemos dizer que existem pessoas e situações "injustas", mas sabemos que não existe injustiça perante a Lei de Deus. (t)

<Moderador__> [2] <neeg> Amigo Ricardo, podemos afirmar que pessoas de nossas relações que nunca sofreram misérias desde o nascimento até próximo ao desencarne podem ser consideradas espíritos elevados, já que as tribulações da vida são provações para espíritos endividados?

<Ricardo_Bicudo> Não! Não sabemos o que a vida nos reserva até que haja o desligamento final do nosso espírito até o termo final de nossa encarnação. Não esqueçamos também de que temos o livre-arbítrio em determinadas oportunidades de vida para programarmos aquela existência. E Deus, em sua misericórdia, permite, às vezes, que passemos por uma vida inteira "perdendo o nosso tempo" para que passemos por esta experiência. Ao voltarmos, nos damos conta de que fizemos a escolha errada. Com relação ao espírito superior, ele não sofre, mas sua vida é sempre marcada por atividades úteis à sociedade em que vive. (t)

<Moderador__> [3] <Brab> Caro Ricardo: Jesus nos disse: "É necessário que o escândalo venha, mas ai daquele por quem o escândalo vier". Devemos entender então que o erro e o mal são necessários ao mundo? Ou seja, que só o mal é capaz de agir para evoluir certas criaturas?

<Ricardo_Bicudo> As novas versões do Evangelho já não trazem mais esta menção de que o escândalo é "necessário", mas sim "inevitável", o que nos dá uma interpretação bastante diferente e bem de acordo com o que nos ensina a Doutrina Espírita acerca do nível evolutivo do nosso planeta aonde predomina ainda o sentimento do mal em seus habitantes. O mal nunca é um instrumento para o progresso, mas o sofrimento que lhe é decorrente sim. Infelizmente, tem sido esse o instrumento escolhido pela maioria da humanidade. (t)

<Moderador__> [4] <Dejavu> Por "misérias humanas", deve-se entender todo tipo de aflição, ou mais especificamente a pobreza de bens materiais?

<Ricardo_Bicudo> Podemos entender como as "misérias humanas" todo tipo de aflição, conforme você mesmo coloca, mas gostaríamos de ressaltar a fome, as guerras, as doenças, a violência indiscriminada, tudo que é causado ainda pelo predomínio do mal em nosso planeta. No entanto, é bom esclarecer que as misérias têm sua origem no íntimo das criaturas, nos seus vícios, na ignorância, na ambição, no egoísmo, no orgulho, na inveja, no ódio, no medo e poderíamos falar muito mais. (t)

<Moderador__> [5] <damago> Devemos entender que a depuração de nosso espirito advém em maior com a dor e o sofrimento? <Marcelo3> É necessário sofrer para evoluir?

<Ricardo_Bicudo> A depuração do nosso espírito para o progresso pode vir pela compreensão das Leis de Deus sem que para isso necessitemos sofrer. O sofrimento, por ser uma característica de uma imperfeição do espírito, caracteriza uma necessidade de aprendizado. A Doutrina Espírita nos ensina que o sofrimento tem a duração necessária para sua compreensão. Infelizmente, não nos esforçamos, suficientemente pela compreensão das Leis e acabamos por tomar o caminho do sofrimento. (t)

<Moderador__> [6] <Caminheiro> Boa noite! Diante das misérias que presenciamos em nosso meio, muitas vezes nos conformamos passivamente, justificando uma atitude nula, acreditando que "nada se pode fazer contra o carma!" Qual nossa obrigação como espíritas, como cristãos diante do próximo que sofre? <neeg1> amigo Ricardo, diante das misérias dos nossos irmãos, qual a melhor atitude que podemos tomar, não obstante sabermos ser necessário tal sofrimento, principalmente em determinados casos de pessoas que insistem na prática do mal?

<Ricardo_Bicudo> O homem tem uma pulsão natural para a busca da felicidade e deve buscar sair sempre da passividade em busca de uma solução para a sua vida. Caso não consiga esta solução, ainda que continue tentando, sem desanimar, isto é um indício de que este sofrimento faz parte da sua programação de vida e lhe cabe, além de continuar tentando, porque não conhecemos a vontade de Deus, ao mesmo tempo não se revoltar e buscar caminhar com resignação. Com relação ao próximo que sofre, o Senhor Jesus nos ensinou a que devemos buscar sempre apoiá-lo com todas as nossas possibilidades de ajuda, em qualquer situação, sem julgamentos de quaisquer natureza. Deus ajuda o homem através do próprio homem, e muitas vezes, a solução daquele irmão Deus coloca em nossas mãos. (t)

<Moderador__> [7] <damago> Poderemos acreditar que nossa miséria é fruto somente de vidas passadas ou temos também resgates nesta mesma encarnação?

<Ricardo_Bicudo> Nos Capítulo "Bem-aventurados os aflitos", em "O Evangelho segundo o Espiritismo", Kardec discorre sobre as causas atuais e as causas anteriores das aflições, ressaltando que a maior parte das nossas aflições são o resultado da nossa imprevidência, da nossa incúria, ou seja, das nossas imperfeições em manifestação no dia a dia de nossas vidas. (t)

<Moderador__> [8] <damago> Podem estar as misérias do alcoolismo, drogas e outros similares associadas a obsessões?

<Ricardo_Bicudo> Ainda que o gérmen do vício exista na própria pessoa, sabemos, através dos trabalhos em mesas mediúnicas e pelos vários depoimentos dos espíritos, que os obsessores potencializam e exploram as nossas fraquezas. (t)

<Moderador__> [9] <neeg1> Ricardo, dentre as misérias porque passa a humanidade, qual a que mais assola o homem, a miséria moral ou a miséria material? Para aliviar, das misérias humanas, qual tem mais peso: a caridade moral ou a caridade material?

<Ricardo_Bicudo> À luz da mensagem do Senhor Jesus, entendemos que a solução para os problemas materiais que o homem enfrenta na sociedade, como a fome, o desemprego, etc. Não passa necessariamente pela mudança de sistemas políticos, mas por uma reforma e transformação moral das pessoas desta sociedade. Entendemos, então, para respondê-lo, que as misérias morais da humanidade trazem como conseqüência as misérias materiais. Com relação à caridade material ou moral, essa deve ser particularizada em função da necessidade do momento daquele que é o alvo da nossa ação. Se ele estiver com fome, antes de lhe dar o Evangelho, é necessário um prato de comida. (t)

<Moderador__> [10] <Peppinha_> Ricardo, como o espírita deve se portar perante a "miséria" de um irmãozinho seu se este não deseja encontrar o caminho da paz e do amor? O que fazer? <Marcelo3> Ainda que trilhemos no bem, como suportar a dor que nos abate por aqueles que sofrem, pelos quais ainda nada, ou quase nada podemos fazer?

<Ricardo_Bicudo> Em primeiro lugar, é preciso buscar a compreensão do outro em suas limitações, em suas possibilidades de compreender a vida em sua verdadeira intencionalidade. Em segundo lugar, a compaixão, porque nem todos já conseguem perceber que a mensagem de amor e de perdão do Senhor Jesus é a mensagem de libertação de nossas almas sofridas e do caminho para a paz e para o amor que você menciona. Quando não percebemos uma maneira ostensiva de auxiliá-lo, através de uma ação direta, o recurso da oração será sempre um auxílio, e valioso, acreditemos. (t)

<Moderador__> [11] <Maroisa> Se a vida material é necessária para nosso aprendizado e evolução, por que isso se dá com tanta luta, com tanto sofrimento?

<Ricardo_Bicudo> Santo Agostinho, no ESE, nos diz algo que é importantíssimo para que entendamos o ambiente deste planeta em que vivemos como um planeta ainda de expiações e provas. Explica ele que este é um local de exílio para espíritos obstinados ainda no mal, espíritos rebeldes à Lei de Deus e que vieram (viemos) parar por aqui para aprendermos através dos contrastes que aqui encontramos: o bem/o mal, a luz/a sombra, a saúde/a doença, a percebermos o caminho para a regeneração de nossas almas rebeldes. Precisamos, através destes contrastes, lutar contra os nossos vícios e perceber o caminho de volta para a harmonia com a Lei de Deus. (t)

<Moderador__> [12] <damago> Baseado na Lei de causa e efeito, podemos dizer que as vítimas do Sudão seriam avaros em encarnações pretéritas?

<Ricardo_Bicudo> Não sei, exatamente, qual o delito que praticaram aquele grupo de espíritos que hoje sofrem no Sudão. Mas podemos, refletindo sobre o que já aprendemos, dizer que são espíritos em débito com a Lei de Deus. (t)

<Moderador__> [13] <Dengsa_> Você acha que a causa da miséria está em nós? <neeg1> Ricardo, as misérias humanas podem ser consideradas com criação do próprio homem quando infrige as leis divinas ou efeito desses mesmos desregramentos?

<Ricardo_Bicudo> Sem dúvida, o sofrimento é inerente à imperfeição humana. Ninguém sofre pela imperfeição do outro. As "misérias humanas" são decorrência do mau uso do livre-arbítrio. (t)

<Moderador__> [14] <neeg1> Ricardo, vemos verdadeiras populações sofrendo todo tipo de misérias, notadamente a fome, como verdadeiro carma coletivo, e esses sofrimentos, muitas vezes, são imputadas por governantes inescrupulosos. Podemos considerar esses governantes, verdadeiros ditadores, diante da lei de causa e efeito, como JUSTICEIROS?

<Ricardo_Bicudo> Voltamos à questão do mal "necessário", mas que, na verdade, devemos entender como "inevitável". A justiça de Deus não necessita de governantes inescrupulosos para agir. Todos serão educados para a Lei de Deus sem que Deus para isso precise de lançar mão de um de seus filhos para a prática do mal. (t)

<Moderador__> [15] <neeg1> Ricardo, O "Bom Sofrer "de que fala nossa doutrina, deve ser encarado como aceitação do sofrimento como irreversível ou sua aceitação sem revolta, mas sempre procurando alivio para os sofrimentos?

<Ricardo_Bicudo> A aceitação do sofrimento como irreversível não deve ser uma postura do espírita, porque não temos como perscrutar a vontade de Deus. Como saberemos qual o termo final para os nossos sofrimentos? Só Deus o sabe. Aceitar o sofrimento, sim, com resignação, mas buscando persistentemente uma solução para ele. (t)

<Moderador__> [16] <Macroz> Mas, amigo Ricardo, não seria, igualmente para uma mãe (por exemplo), um motivo de aflição, ao ver seu filho caminhando erradamente, mesmo depois de todas as suas tentativas de auxiliá-lo? Neste caso, a mãe, sofre pela imperfeição do filho, não?

<Ricardo_Bicudo> O trabalho de educação de uma mãe por um filho difícil pode ser aliviado com a compreensão maior acerca da finalidade da família num contexto espiritual. Os nossos sofrimentos e preocupações, quando educamos os nossos filhos, são o resultado do nosso nível evolutivo, da nossa compreensão do nosso papel nesta missão. A medida que ampliamos esta compreensão, as nossas angústias e preocupações diminuem. Este é o entendimento que temos quando Kardec diz em "O Céu e O Inferno" que todo sofrimento é inerente a uma imperfeição. (t)

<Moderador__> [17] <neeg1> Ricardo, como sabemos, antes de reencarnar, os espiritos programam, quando em condições, sua nova existência na Terra. As misérias por que têm que passar também são programadas? E fatalmente passarão?

<Ricardo_Bicudo> Algumas das misérias que passamos são realmente programadas por nós mesmos para resgatarmos as nossas consciências em débito. No entanto, devemos entender, como nos ensina "O Livro dos Espíritos", que não existe fatalidade nos atos da vida moral. Programamos condições de vida e acontecimentos que nos são muito penosos, com a finalidade de reeducarmos nossos espíritos. (t)

<Moderador__> [18] <Peppinha> Por que a Terra é vista como um grande hospital para a miséria humana e como nós, doentes, podemos nos portar? Figuradamente, devemos encontrar os médicos, não?

<Ricardo_Bicudo> A Terra vista como um hospital é bem do que nos fala a nossa Doutrina, pois somos, em grande maioria, doentes da alma, mas podemos também entendê-la como uma grande escola e também como uma penitenciária. Mas, no entanto, não estamos abandonados pela misericórdia de Deus e convivemos com os médicos e professores que necessitamos para o nosso aprendizado. "Sou o grande médico das almas e venho trazer-vos o remédio que vos há de curar." (Espírito da Verdade - ESE, capítulo VI) (t)

Considerações finais do palestrante:

<Ricardo_Bicudo> Para finalizar, gostaria de ressaltar o ensinamento da nossa Doutrina acerca da destinação da Terra num processo evolutivo em que ela se encontra, sendo apenas o segundo degrau de uma escala de 5 para chegarmos aos mundos felizes e que, nesse estágio, mundo de expiações e provas, temos ainda que conviver com a predominância do mal sobre o bem e devemos entender que, como Deus, é bom e justo que estejamos no lugar certo e de acordo com as nossas necessidades de aprendizado. Não nos esqueçamos também de que está próximo o momento em que esse estágio do nosso planeta estará concluído e que, em breve, descansaremos de todas as nossas lutas. Falta pouco, perseverança com Jesus e todos estaremos juntos neste mesmo planeta vivendo, então, a predominância do bem sobre o mal. Paz para todos! (t)

Oração final:

<|CNumiers|> Não olvides que somos partes de vasto grupo de almas, como pontos integrantes de um círculo. Além da família consangüínea, temos a equipe.espiritual a que nos imantamos pelos mais fortes laços do coração. Ninguém odeia sem haver amado profundamente e ninguém experimenta animosidade sem haver conhecido antes a benção da simpatia - Emmanuel - Que assim seja!(t)

http://www.espirito.org.br/portal/palestras/irc-espiritismo/palestras-virtuais/pv210898.html

 

 

Um comentário:

martins111 disse...

Primeiramente ao adentrar nesta página reconheço seu valor e a importância de seu autor para a nobre causa do Senhor Jesus Cristo.
Dito isso, quero convidar você que está lendo estas minhas palavras, a prestar um pouco mais de atenção as revelações do Espírito Santo Verdadeiro em nossos dias.
Por se tratar de um assunto de interesse universal, pediria sua amável atenção, em uma breve, mais com certeza, produtiva visita ao nosso blog, onde estão depositadas Revelações do Senhor Jesus Cristo, para as quais peço encarecidamente que nos ajude a divulgar. Pois estamos vivenciando um memento muito sensível da palavra profética. Desde já suplico as bênçãos do Pai, do Filho e do Espírito Santo Verdadeiro sobre todo aquele que atender esse nosso chamado em nome do Senhor Jesus Cristo. Clique em martins111 - João Joaquim Martins. OU http://joaorevela.blogspot.com/

PARA PARTICIPAR DO GRUPO NO YAHOO GRUPOS:
Assinar irmaosdeluz

Desenvolvido por br.groups.yahoo.com