segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Palavras de Emmanuel e André Luiz


.

 

 

O GRANDE MANANCIAL

Meus amigos, que Deus vos conceda muita paz.

O Espiritismo abre hoje a sua porta de esperança e de fé para todas as criaturas.

Não são poucos os que se sentem seduzidos pelas suas claridades maravilhosas, todavia, não duvideis de que a consolidação de uma crença está subordinada a uns tantos fenômenos íntimos que somente o coração de cada um pode testemunhar.

A Doutrina Consoladora dos Espíritos procura levar a todos os estudiosos a centelha de suas luzes divinas, seja elucidando o caminho complicado da ciência do século, seja esclarecendo os mais complexos problemas filosóficos.

Entretanto, uma pequena percentagem de investigadores pode compreender a sua grandeza. Habituados às equações algébricas os espíritos cientificistas da época não lhe percebem a modalidade moral e religiosa, dentro de suas expressões consoladoras.

As mais extravagantes teorias são inventadas para reduzi-la a um mero sistema de hipóteses, à maneira da ciência humana que se transforma todos os dias, na suas feições transitórias.

O subconsciente, a ilusão, os fenômenos alucinatórios são chamados para a eliminação de suas verdades e é daí que chegamos à conclusão de que o Espiritismo só pode ser aceito pela mentalidade individual, depois de profundamente sentido.

A sua doutrina pode ser estudada em todas as suas minúcias e no caminho das melhores experiências, todavia somente o coração que já experimentou esses grandes momentos da vida, poderá interpretar-lhe a magnitude.

Aproximai-vos, assim, desse grande manancial, convictos de que a sua água cristalina de verdades eternas pode saciar-vos a sede de amor, de consolação e de conhecimento.

Estudai e aprendei.

A curiosidade e a duvida são os pródromos de toda sabedoria, porém, nesse vasto caminho de revelações do Infinito, há necessidade de muito sentimento para a compreensão grandiosa das grandes verdades da vida.

Que guardeis em vossos corações esse elevado propósito, é o desejo sincero e a suplica a Jesus do amigo humilde.

Emmanuel

Recebida em Pedro Leopoldo, Minas, 22.08.1938, por Chico Xavier.

 

 

Vê e segue


"Uma coisa sei: eu era cego e agora vejo." – (João, 9:25.)

 

Apesar de o trabalho renovador do Evangelho, nos círculos da
consolação e da pregação, desdobrar-se, diante das massas, semeando
milagres de reconforto na alma do povo, o serviço sutil e
quase desconhecido do aproveitamento da Boa Nova é sempre
individual e intransferível.


Os aprendizes da vida cristã, na atividade vulgar do caminho,
desfrutam do conceito de normalidade, mas se não gozam de
vantagens observáveis no imediatismo da experiência humana,
quais sejam as da consolação, do estímulo ou da prosperidade
material, de maneira a gravarem o ensinamento vivo de Jesus, nas
próprias vidas, passam à categoria de pessoas estranhas, muita vez
ante os próprios companheiros de ministério.


Chegado a semelhante posição, e se sabe aproveitar a sublime
oportunidade pela submissão e diligência, o discípulo experimenta
completa transposição de plano.
Modifica a tabela de valores que o rodeiam.
Sabe onde se ocultam os fundamentos eternos.


Descortina esferas novas de luta, através da visão interior que
outros não compreendem.
Descobre diferentes motivos de elevação, por intermédio do
sacrifício pessoal, e identifica fontes mais altas de incentivo ao esforço próprio.
Em vista disso, freqüentemente provoca discussões acesas,
com respeito à atitude que adota à frente de Jesus.

Por ver, com mais clareza, as instruções reveladas pelo Mestre,
é tido à conta de fanático ou retrógrado, idiota ou louco.
Se, porém, procuras efetivamente a redenção com o Senhor,
prossegue seguro de ti mesmo; repara, sem aflição e sem desânimo,
as contendas que a ação genuína de Jesus em ti recebe de
corações incompreensivos e estacionários, repete as palavras do
cego que alcançou a visão e segue para diante.

Francisco Cândido Xavier - Fonte Viva - pelo Espírito Emmanuel

 

 

Estás Doente?

"E a oração da fé salvará o doente.

o Senhor levantará"

- Thiago. 5:15

Todas as criaturas humanas adoecem, todavia, são raros aqueles

que cogitam de cura real.

Se te encontras enfermo, não acredites que a ação medicamentosa,

através da boca ou dos poros, te possa restaurar integralmente.

O comprimido ajuda, a injeção melhora, entretanto, nunca te

esqueças de que os verdadeiros males procedem do coração.

A mente é fonte criadora.

A vida, pouco a pouco, plasma em torno de teus passos aquilo que desejas.

De que vale a medicação exterior, se prossegues triste, acabrunhado

ou insubmisso?


De outras vezes, pedes o socorro de médicos humanos ou de

benfeitores espirituais, mas, ao surgirem as primeiras melhoras,

abandonas o remédio ou o conselho salutar e voltas aos mesmos

abusos que te conduziram à enfermidade.

Como regenerar a saúde, se perdes longas horas na posição da

cólera ou do desânimo? A indignação rara, quando justa e construtiva

no interesse geral, é sempre um bem, quando sabemos orientá-la em serviços 

de elevação; contudo, a indignação diária, a propósito de tudo, de todos e de 

nós mesmos, é um hábito pernicioso, de conseqüências imprevisíveis.

O desalento, por sua vez, é clima anestesiante, que entorpece e destrói.


E que falar da maledicência ou da inutilidade, com as quais despendes 

tempo valioso e longo em conversação infrutífera, extinguindo as tuas forças?

Que gênio milagroso te doará o equilíbrio orgânico, se não sabes calar, nem 

desculpar, se não ajudas, nem compreendes, se não te humilhas para os 

desígnios superiores, nem procuras harmonia com os homens?

Por mais se apressem socorristas da Terra e do Plano Espiritual, em teu favor, 

devoras as próprias energias, vítima imprevidente do suicídio indireto.

Se estás doente, meu amigo, acima de qualquer medicação, aprende a 

orar e a entender, a auxiliar e a preparar o coração para a Grande Mudança.


Desapega-te de bens transitórios que te foram emprestados pelo Poder Divino,  

de acordo com a Lei do Uso, e lembra-te de que serás, agora ou depois, 

reconduzido à Vida Maior, onde encontramos sempre a própria consciência.

Foge à brutalidade.

Enriquece os teus fatores de simpatia pessoal, pela prática do amor fraterno.

Busca a intimidade com a sabedoria, pelo estudo e pela meditação.


Não manches teu caminho.

Serve sempre.

Trabalha na extensão do bem.

Guarda lealdade ao ideal superior que te ilumina o coração e

permanece convicto de que se cultivas a oração da fé viva, em

todos os teus passos, aqui ou além, o Senhor te levantará.

Fonte Viva. Emmanuel por Chico Xavier

 

 

     

 

COMPANHEIROS E CAMINHO

 

Quando te dispuseres a reclamar contra certos traços

psicológicos daqueles que o Senhor te confiou ao ministério familiar, medita na

diversidade das criações que compõem a Natureza.

Cada estrela se destaca por determinada expressão.

Cada planta mostra finalidade particular.

A rosa e a violeta são diferentes, conquanto ambas sejam flores.

Os caminhos do mundo guardam linhas diversas entre si.

Também nós, as criaturas de Deus são seres que se

identificam pelas semelhanças, mas não somos rigorosamente iguais.

*

Conforme os princípios de causa e efeito, que nos traçam a

lei da reencarnação, cada qual de nós traz consigo a soma de tudo o que já fez de si,

com a obrigação de subtrair os males que tenhamos colecionado até a completa

extinção, multiplicando os bens que já possuamos, para dividi-los com os outros, na

construção da felicidade geral.

*

Não queira transformar os entres queridos sob o martelo da força.

Ninguém precisa apagar a luz do vizinho para iluminar a própria casa.

Uma vela acende outra sem alterar-se.

*

Ama os teus, aqueles com quem Deus te permite

compartilhar a existência, entretanto, respeita o caminho de realização a que se ajustem.

Esse escolheu a senda do burilamento próprio; aquele

procurou a via de trabalho constante; outro escolheu a trilha de responsabilidades

intransferíveis a fim de produzir o melhor; e outro, ainda, indicou a si mesmo, para

elevar-se, a vereda espinhosa das provações e das lágrimas.

Auxilia a cada um, como puderes, entretanto, não busque

transfigurar-lhes o espírito, de repente, reconhecendo que também nós não

aceitaríamos a nossa própria renovação em bases de violência.

*

Ama os entes queridos, tais quais são e quando nas provas

a que sejam chamados para o efeito de promoção na Espiritualidade Maior, se não

consegues descobrir o melhor processo de auxilia-los, acalma-te e ora pelo

fortalecimento e paz deles todos, na certeza de que Deus está velando por nós e de

que nós todos somos filhos de Deus.

Do Livro "COMPANHEIRO" – PSICOGRAFIA: FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER

 

  

ÂNIMO E FÉ

 

Emmanuel

A existência pode ter sido amarga. Espinheiros talvez se te estendam no caminho.

Caístes, provavelmente, algumas vezes e outras tantas te reergueram, à custa de lágrimas.

Sofreste perseguições e zombaria. O mundo terá surgido aos teus olhos por vasto deserto.

Anotaste a força da morte que te subtraiu a presença de entes caros.

Viste a deserção de companheiros, renegando-te os ideais.

Seres queridos ignoraram-te os propósitos de elevação.

Varaste crises em forma de fracasso aparentes.

Tiveste o menosprezo por parte de muitos daqueles aos quais te confiaste.

Ouviste as palavras esfogueantes dos que te condenaram sem entender-te.

Palmilhaste longas áreas de solidão.

Perdeste valores que consideravas essenciais à sustentação dos empreendimentos que te valorizam as horas.

Sofres tribulações.

Suportas conflitos.

Atravessas dificuldades e tentações.

Entretanto, por maior que seja a carga de provações e problemas que te pesam nos ombros, ergue a fronte e caminha para frente, trabalhando e servindo, amando e auxiliando, porque ninguém, nem circunstância alguma te podem furtar a imortalidade, nem te afastar da onipresença de Deus.

Emmanuel
Do Livro "COMPANHEIRO" – PSICOGRAFIA: FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER








MAS DEUS...

Há muita gente que te ignora.
Entretanto, Deus te conhece.

Há quem te veja doente.
Deus, porém, te guarda a saúde.

Companheiros existem que te reprovam.
Mas Deus te abençoa.

Surge quem te apedreje.
Deus, no entanto, te abraça.

Há quem te enxergue caindo em tentação.
Deus, porém, sabe quanto resistes.

Aparece quem te abandona.
Entretanto, Deus te recolhe.

Há quem te prejudique.
Mas Deus te aumenta os recursos.

Surge quem te faça chorar.
Deus, porém, te consola.

Há quem te fira.
No entanto, Deus te restaura.

Há quem te considere no erro.
Mas Deus te vê de outro modo.

Seja qual for a dificuldade.
Faze o bem e entrega-te a Deus.

Do Livro "COMPANHEIRO" – PSICOGRAFIA: FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER



Auxílios Sempre Possíveis

Sem quaisquer recursos especiais, você dispõe do poder de renovar e reerguer a própria vida.

Você pode ainda e sempre:
- avivar o clarão da alegria onde a provação esteja furtando a tranqüilidade;
- atear o calor do bom-ânimo onde a coragem desfaleça;
- entretecer o ambiente preciso à resignação onde o sofrimen-to domina;
- elevar a vibração do trabalho onde o desânimo apareça;
- extrair o ouro da bênção entre pedras de condenação e cen-sura;
- colocar a flor da paciência no espinheiro da irritação;
- acender a luz do entendimento e da concórdia, onde surja a treva da ignorância;
- descobrir fontes de generosidade sob as rochas da sovinice;
- preparar o caminho para Jesus nos corações distantes da verdade.

Tudo isso você pode fazer, simplesmente pronunciando as boas palavras da esperança e do amor.


André Luiz, por Chico Xavier, livro Sinal Verde.






PÁGINA DE FÉ



Ouve, amigo!...

Quem quer que sejas; onde estiveres e com quem estiveres;
Que tenha sofrido graves equívocos ou cometido muitos erros;
Que estejas sob fadiga, após haver carregado pesadas tribulações;
Que suportes essa ou aquela enfermidade; 
Que permaneça no cerco de rudes aflições; 

Que vivas em abandono por parte daqueles a quem mais ames;
Que hajas experimentado desilusões ou agravos que jamais aguardastes;
Que caminhes no cipoal de tremendas dificuldades; 
Que anseies por afeições que nunca tiveste; 

Que suspires por ideais cuja realização te pareça remota;
Que lastimes prejuízos com os quais não contavas; 
Que trabalhes sob injúrias e perseguições que te envenenam as horas;
Que sirvas sob incompreensões ou pedradas;
Ou que chores a perda de entes queridos, ante a visitação da morte...

Sejam quais forem os impedimentos ou provações que te assinalem a vida, asserena o espírito na fé viva e permanece na tarefa que te foi reservada, porquanto, sempre que estejamos guardando paciência e confiança, em nossos obstáculos, trabalhando e servindo na prestação de auxílio para liquidar os problemas dos outrosDeus em regime de urgência liquidará os nossos.

Emmanuel

Do Livro "COMPANHEIRO" – PSICOGRAFIA: FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER






DE ÂNIMO FORTE

"Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, amor e moderação." - Paulo. (II TIMÓTEO, 1:7.)

Não faltam recursos de trabalho espiritual a todo irmão que deseje reerguer-se, aprimorar-se, elevar-se.
Lacunas e necessidades, problemas e obstáculos desafiam o espírito de serviço dos companheiros de fé, em toda parte.

A ignorância pede instrutores, a dor reclama enfermeiros, o desespero suplica orientadores. Onde, porém, os que procuram abraçar o trabalho por amor de servir?

Com raras exceções, observamos, na maioria das vezes, a fuga, o pretexto, o retraimento.
Aqui, há temor de responsabilidade; ali, receios da crítica; acolá, pavor de iniciativa a benefício de todos.

Como poderá o artista fazer ouvir a beleza da melodia se lhe foge o instrumento? Nesse caso temos em Jesus o artista divino e em nós outros, encarnados e desencarnados, os instrumentos dEle para a eterna melodia do bem no mundo.

Se algemamos o coração ao medo de trabalhar em benefício coletivo, como encontrar serviço feito que tranqüilize e ajude a nós mesmos? como recolher felicidade que não semeamos ou amealhar dons de que nos afastamos suspeitosos?

Onde esteja a possibilidade de sermos úteis, avancemos, de ânimo forte, para a frente, construindo o bem, ainda que defrontados pela ironia, pela frieza ou pela ingratidão, porque, conforme a palavra iluminada do apóstolo aos gentios, "Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, amor e moderação".


Vinha de Luz, de Emmanuel, por Chico Xavier

 



 

O TESOURO MÁXIMO

Emmanuel

Talvez tenhas alcançado a crise das grandes perdas que se nos marcaram no mundo como sendo instantes inolvidáveis de dor.
*
Assumiste compromissos, de cuja execução companheiros queridos desertaram...
*
Esposaste deveres de partilha com alguém que te haverá deixado a sós...
*
Abraçaste empresas de elevação e progresso e te viste com os braços despojados de todos os recursos, no justo momento em que mais necessitavas de proteção...
*
Arquitetaste os melhores planos na causa do bem e, quando a concretização deles seguia avançada, eis que te reconheceste de espírito desentendido, na transitória convicção de que o mal te batia em triunfo...
*
Alimentaste altos projetos, quanto ao futuro de seres queridos que tomaram rumo claramente contrário às tuas expectativas...
*
Provavelmente experimentaste a perda de criaturas amadas que a morte física furtou à convivência, impondo-te o amargo da solidão...
*
Nessas horas de incertezas e lágrimas, quando tudo de melhor te pareça perdido; quando as vagas do sofrimento te houverem sacudido o barco da existência, através das tempestades de angústia; quando a saudade te envolve em nuvens de tristeza; ou quando a incompreensão te marginalize em tribulações difíceis de suportar; não te entregues ao desânimo, nem te refugies no desespero...
*
Em quaisquer circunstâncias, nas quais te vejas de coração sozinho, ou empobrecido de forças, contempla a imensidade dos céus, ergue a fronte, enxuga o pranto e caminha para diante, conservando bom ânimo e esperança, porque ainda mesmo quando suponhas haver perdido tudo o que possuías de valioso na Terra, trazes contigo o tesouro máximo da vida, que nenhuma ocorrência do mundo te pode arrancar, porque tens Deus.

Do Livro "COMPANHEIRO" – PSICOGRAFIA: FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER






Na obra de salvação


"Porque Deus não nos tem designado para a ira, mas
para a aquisição da salvação por Nosso Senhor Jesus-
Cristo". – Paulo. (2ª Epístola aos Tessalonicenses, 5:9.)



Por que não somos compreendidos?
Por que motivo a solidão nos invade a existência?

Por que razões a dificuldade nos cerca?
Por que tanta sombra e tanta aspereza, em torno de nossos passos?

E a cada pergunta, feita de nós para nós mesmos, seguem-se, comumente, o desespero e a inconformação, reclamando, sob os raios mortíferos da cólera, as vantagens de que nos sentimos credores. 

Declaramo-nos decepcionados com a nossa família, desamparados por nossos amigos, incompreendidos pelos companheiros e até mesmo perseguidos por nossos irmãos.

A intemperança mental carreia para nosso íntimo os espinhos do desencanto e os desequilíbrios orgânicos inabordáveis, transformando-nos a existência num rosário de queixas preguiçosas e
enfermiças.

Isso, porém, acontece porque não fomos designados pelo Senhor para o despenhadeiro escuro da ira e sim para a obra de salvação.

Ninguém restaura um serviço sob as trevas da desordem.
Ninguém auxilia ferindo sistematicamente, pelo simples prazer de dilacerar. 

Ninguém abençoará as tarefas de cada dia amaldiçoando-as, ao mesmo tempo.
Ninguém pode ser simultaneamente amigo e verdugo.
Se tens noticia do Evangelho, no mundo de tua alma, prepara-te para ajudar, infinitamente...
A Terra é a nossa escola e a nossa oficina.

A Humanidade é a nossa família.

Cada dia é o ensejo bendito de aprender e auxiliar.
Por mais aflitiva seja a tua situação, ampara sempre e estarás agindo no abençoado serviço de salvação a que o Senhor nos chamou.



Francisco Cândido Xavier - do livro Fonte Viva - pelo Espírito Emmanuel 



Fonte: http://etcaritas.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=52&Itemid=57

Nenhum comentário:

PARA PARTICIPAR DO GRUPO NO YAHOO GRUPOS:
Assinar irmaosdeluz

Desenvolvido por br.groups.yahoo.com