quinta-feira, 28 de julho de 2011

Mensagem da mediúnica de 26/07(FEIS-Salvador-Bahia)





"Excepcionalmente encontra-se por cálculo patente a energia materialista como a dominante. Infelizmente a grande procura terrena é pela conquista financeira, que assume o primeiríssimo lugar nos desejos veementes a serem alcançados.

O dinheiro é o maior escopo e participativo coletivo mais buscado com ânsia, preocupação e desejo intenso. Embora, mesmo sendo solucionador de alguns problemas superficiais, facilitando de alguma sorte a caminhada na matéria, sua aquisição jamais pôde ou poderá trazer respostas às problemáticas profundas que atingem a verve humana."

Anastácia

 
 

 

A busca sem cura

 

 

Cada criatura busca algo. Não existe ser vivente na Terra que esteja desimpedido de alguma sorte de desejo.

Da mesma forma que a tecnologia dos homens permite o escaneamento interno do corpo físico, seu esqueleto, nervos e órgãos, através das chapas de raio X, da espectroscopia da ressonância magnética, da tomografia, etc., o mundo espiritual também possui suas tecnologias para fazer a leitura psicossomática do ser, no tocante ou relativo, simultaneamente, aos domínios orgânico e psíquico.

A primeira coisa que ressalta na leitura psíquica da identificação da criatura são as formas-pensamento alimentadas por ela.

Os desejos e paixões humanas criam no campo vibracional marcas indeléveis, identificadoras sem engano do real desígnio que move a criatura.

Notadamente a vida na Terra é movida pela força do desejo.

Dentro desse diapasão de desejos, vontades, ambições, paixões e vícios, todos vibrando em conjugado no planeta, é que pode ser extraído um "raio X" coletivo da energia dominante da Terra.

Excepcionalmente encontra-se por cálculo patente a energia materialista como a dominante. Infelizmente a grande procura terrena é pela conquista financeira, que assume o primeiríssimo lugar nos desejos veementes a serem alcançados.

O dinheiro é o maior escopo e participativo coletivo mais buscado com ânsia, preocupação e desejo intenso. Embora, mesmo sendo solucionador de alguns problemas superficiais, facilitando de alguma sorte a caminhada na matéria, sua aquisição jamais pôde ou poderá trazer respostas às problemáticas profundas que atingem a verve humana.

Ressaltamos por experiência de repetitivos casos, os espíritos que sofrem prolongadas crises nervosas e pandemônicas, em remorsos duradouros, são aqueles mesmos que estiveram abastados na Terra, cercados pela facilidade do "ouro amoedado" e ergueram com ele o túmulo suntuoso que os separa da felicidade, construindo somente ruínas que os solapam nas celas da escravidão material.

Diversos se aficionaram tanto ao brilho e regalias do dinheiro que pensaram somente em reter bens, esquecendo de amar, buscando a todo custo os tesouros que não pôde fazer a alma luzir.

Já que são vibrações rasteiras como essas as que dominam as mentes mergulhadas na ambição material, não raro vemos incontáveis irmãos a sofrer como escravos da sordidez, avaros e avidamente ligados aos bens materiais que podem ajuntar e exibir.

São incontáveis os que divagam por valores a mais, valores que não podem ser projetados à outra Vida.

Alguns vivem a margem de todo conforto, cercado de regalias e não apercebem-se o quanto são abençoados numa terra onde muitos nada têm, e, perdem o sono, preocupam-se em demasia em criar mais e mais fortuna ao redor de si mesmos, forjando a fortuna dos tolos.

Observa assim o que desejas e o que pensas, a fim de que ajuízes acertadamente sobre a felicidade que tanto procura.

Meus filhos, não sejamos como pobres almas que, tendo já muito, ainda vivem vexadas por um tanto mais, sem se aperceberem das imensas riquezas que já são donos.

Certifiquemo-nos que a alegria possui diversos níveis e que não se encontra nos meros valores materiais.

Analisemos o patrimônio da natureza como a grande riqueza que nos permite a vida em abundancia. O sol como ouro que amoeda-nos com permissiva luz edificante. A beleza inebriante nos depósitos do mar, pranteando os olhos de deleite e sustentando a vida. Os valores da saúde integral do organismo físico permitindo-o a boa vivenda no exercício da carne. A benção inigualável da herança da família. Possuir pais, ou filhos, irmãos e irmãs; medita sobre essas e outras riquezas verdadeiras, jóias, rubis e diamantes da existência, pérolas essenciais e únicos tesouros compatíveis da admiração, procura e intensa gratidão humana.

Vejamos assim o dinheiro como um artefato que pode promover o progresso, nunca um objetivo constante a ser buscado de forma incessante e apaixonada, tornando-se o maior articulador dos desejos humanos.

Na verdade meus filhos, quem busca a felicidade pelo dinheiro, busca-a no lugar onde nunca vai encontrá-la.

A felicidade do "eu" se reflete na do "outro". Somos um reflexo do bem-estar coletivo. Buscando a felicidade do outro, encontraremos a nossa.

Sendo assim, busquemos as coisas certas para valorizarmos, não nos apoquentemos pela fortuna amoedada que pode nos condenar aos processos da angustia e as celas da escravidão, sem trazer nenhum lucro ou dividendo ao espírito.

E dentre estas nossas buscas intermináveis, lembremo-nos de buscar a essência em direção à luz, iluminando-nos junto a Ele. Pois nele tu está!

"Nele estava a vida

E a vida era a luz dos homens

E a luz resplandeceu nas trevas

E as trevas não a compreenderam" João 1: 4, 5

O teu "eu" mais profundo busca a outro para completar-se. Aquele outro que cada um busca para encher-se de satisfação e luz, é Ele, o Cristo Jesus.

Busquemo-Lo no interior de nós mesmos e não percamos mais tempo desejando a felicidade passageira do mundo.

                               

 

Anastácia

Mensagem recebida na reunião mediúnica da FEIS no dia 26/07/2011








Nenhum comentário:

PARA PARTICIPAR DO GRUPO NO YAHOO GRUPOS:
Assinar irmaosdeluz

Desenvolvido por br.groups.yahoo.com