terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

<> EM NOSSA MORADA <>





 
 
  
 
 
 
 

EM NOSSA MORADA

 

 Certo dia, a solidão bateu à porta de um grande sábio. Ele convidou-a para entrar. Pouco depois, ela saiu decepcionada. Havia descoberto que não podia capturar aquele ser bondoso, pois ele nunca estava sozinho: estava sempre acompanhado pelo amor de Deus.
 
De outra feita, a ilusão também bateu à porta daquele sábio. Ele, amorosamente, convidou-a a entrar em sua humilde morada. Logo depois, ela saiu correndo e gritando que estava cega. O coração do sábio era tão luminoso de amor que havia ofuscado a própria ilusão.
 
Em um outro dia, apareceu a tristeza. Antes mesmo que ela batesse à porta, o sábio assomou a cabeça pela janela e dirigiu-lhe um sorriso enternecedor. A tristeza recuou, disse que era engano e foi bater em alguma outra porta que não fosse tão luminosa.
 
A fama do sábio foi crescendo e a cada dia novos visitantes chegavam, objetivando conquistá-lo em nome da tentação. Em um dia era o desespero, no outro a impaciência.
 
Depois vieram a mentira, o ódio, a culpa e o engano.
 
Pura perda de tempo: o sábio convidava todos a entrar e eles saíam decepcionados com o equilíbrio daquela alma bondosa.
 
Porém, um dia a morte bateu à sua porta. Ele convidou-a a entrar. Os seus discípulos esperavam que ela saísse correndo a qualquer momento, ofuscada pelo amor do mestre.
 
Entretanto, tal não aconteceu. O tempo foi passando e nem ela nem o sábio apareciam. Os discípulos, cheios de receio, penetraram a humilde casa e encontraram o cadáver de seu mestre estirado no chão.
 
Começaram a chorar ao ver que o querido mestre havia partido com a morte. Na mesma hora, entraram na casa a ilusão, a solidão e todos os outros servos da ignorância que nunca haviam conseguido permanecer anteriormente naquele recinto. A tristeza dos discípulos havia aberto a porta e os mantinha lá dentro.
 
 
MORAL DA HISTÓRIA:
 
Entram em nossa morada aqueles a quem convidamos, mas só permanecem conosco aqueles que encontram ambiente propício para se estabelecerem.
 
Mensagem esparsa (veiculada na rede sem a autoria)

Mas devido ao seu grande ensinamento devemos considera-la.....mesmo porque até nas Casas Espiritas, vez e outra, mensagens nos são deixadas e no entanto o espírito prefere não se identificar...elas são analisadas e após verificar-se sua verdade são exposta ao publico.

E lembrando tambem, que livros de grandes ensinamentos foram liberados para edição pela FEB. Um deles é no qual o espírito assinava apenas " Irmão X". Portanto não devemos ter preconceitos pois por trás dos "anônimos " pode haver grandes Nomes de encarnações passadas, mas eles preferem passar as mensagens no anonimato para não criar reboliço, até mesmo não criar vaidade para o medium receptor da mensagem.

Marluce

 


 Enviado por Marluce Faustino/BA


 
 


Nenhum comentário:

PARA PARTICIPAR DO GRUPO NO YAHOO GRUPOS:
Assinar irmaosdeluz

Desenvolvido por br.groups.yahoo.com