segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Mensagem Pintura mediúnica 17/09/2010 - Educação e arte






Educação e Arte

 

O espírito migra da pátria espiritual e veste a roupagem física imergindo na carne em busca do desenvolvimento junto à matéria. Por meio da densa corporalidade coleta experiências importantes ao passo edificante.

A educação do ser é feita em diferentes estágios, aplicada de inúmeras maneiras para ao assomar das existências, a gama de informações modifique-lhe os panoramas mentais.

A educação é o lapidar das paixões animais até que a angelitude lhe tome por berço definitivo.

Desde tempos remotos o homem busca se expressar criativamente. Quando ainda bárbaro e primitivo, sem os domínios da fala, usou da arte rupestre para registrar sinais significativos pintando nas paredes das cavernas a sua necessidade comunicativa, exprimindo aos pares selvagens as conquistas na caça e suas revelações sobre os animais do seu tempo.

Desde a infância da humanidade o homem tem buscado junto à arte, em suas mais variadas formas, a fronteira que o separa da besta instintiva, versando através dela as expansões verdadeiras da alma, seja por meio da música, nas primeiras rutilâncias dos tambores, seja através desses desenhos de semiologia significativa por onde gravava suas experiências ainda no germe dos aprendizados reservados ao degrau crescente do intelecto.

A arte presta-lhe desde então, o serviço de amainar-lhe os sentimentos torpes, aproximando-o da sensibilidade que tenta a todo custo educá-lo na expansão dos sentidos, no despertar das emoções imateriais, no verdadeiro paradigma do "terceiro olho", que quer mostrar-lhe algo mais além dos olhos físicos, ensinando-o a ver verdadeiramente com os olhos da alma.

Falamos assim desse papel importante e educativo que a arte tem doado ao homem, colocando-a como mestra beneficiária das suas conquistas de relevo sentimental, de artista, poeta e esteta da vida.

Não arrazoamos aqui meus caros sobre a forma de educação das universidades, a educação das academias que prepara o homem tecnicamente e intelectualmente, consideramos aqui a educação que estimula a sua moralidade, a educação estética quanto à diversidade de emoções e sentimentos nobres que a arte suscita no homem, trazendo-lhe o inibir da violência, o amainar da própria rudeza, o amaciar do seu coração duro, originando nele o raiar da sensibilidade para que entenda que o coração controla o ser, enquanto a lógica material apenas controla o ter.

A imagem presta um enorme serviço à humanidade, trazendo através dos séculos, junto a escrita, a história, registrando o tempo e educando as civilizações.

O Mestre Querido, profundo conhecedor da força imagética, usava-a largamente nas suas parábolas, que nada mais eram que analogias carregadas de apelo visual, com histórias traçadas no populismo da época, estimulando a imaginação para serem assim melhor compreendidas pela gente simples.

Jesus usou sabiamente a construção de imagens no pensamento alheio, projetando naquelas mentes ansiosas por Seu verbo esclarecedor, a mensagem da Boa-Nova.

A arte, imagética por excelência já que sua expressão desvenda a imaginação, até mesmo quando sonora, ainda remete ao visual através das formas que constrói nos quadros da mente, tem por função precípua educar a criatura.

Foi na certeza desse empréstimo valoroso da arte no processo educativo, que muitos indivíduos construíram no imo a sensibilidade, dedicando uma inteira existência a expansão artística.

Os mestres da pintura do passado não foram diferentes. Alguns deles foram homens extremamente sensitivos, mas que canalizaram suas energias ao aprendizado da arte somente, deixando outras áreas a descoberto, sofrendo imensamente nos seus relacionamentos familiares e amorosos. Além disso, viveram numa luta consecutiva para alcançarem reconhecimento e fama, exploraram com isso, grupo de pessoas, instituições e eles próprios. Ao cruzarem a aduana da morte, as verdades além túmulo os açoitou com extremo vigor, acordando-os dos deveres esquecidos. Hoje muitos deles buscam através da doação do trabalho, ligado à arte que ainda representa muito em suas vidas, fazer algo realmente importante, algo além das aparências humanas e suas expectativas, reascendendo pela verve artística um serviço altruísta de parceria com outras Entidades, melhor preparadas na manipulação de fluídos, substâncias e materiais para benefícios terapêuticos, desempenhando assim um auxílio educacional e de cura através dessas pinturas.

As tintas da Terra são preparadas com elementos químicos, as do plano espiritual são plasmadas com extratos da natureza, fluídos dos mais diversos que atuam de inimagináveis modos, permitindo assim a magneto terapia, a cromoterapia, num emprego terapêutico balsâmico junto as cores, bem se referindo ao tratamento de curas orgânicas. Mas, nesse tipo de trabalho não se cura só o organismo, há também outros tipos de cura, como o desbloqueio de processos obsessivos e transtornos psíquicos, através de uma coleta e oferecimento definido pela fé da própria pessoa que assiste os trabalhos, muitas vezes pessoas de temperamento difícil, que carregam consigo um grau elevado de energia em conflito, que ao comparecer numa amostra como essa, entram em processo de sensibilização interior, dependendo é claro do seu estado íntimo de ligação com o trabalho e sua fé no que testemunha, podendo assim, melhor usufruírem do auxílio prestado pelas cores, que pode então ser melhor administrado no orgânico e psíquico receptor.

Como quase tudo que vem de um plano mais esclarecido e elevado é menosprezado pelo homem na sua ótica limitada de ver as coisas, a compreensão desse e de outros trabalhos espirituais é de apenas superficial entendimento pelo público que comparece.

A educação e evangelização através das cores meus caros, é algo muito importante e já bastante utilizado em sociedades mais evoluídas que essa, onde a arte está inserida em quase tudo e é um fanal direto do poder cósmico criativo.

Dessa forma, devemos perceber nessas manifestações onde esses pintores trazem até vocês os quadros do ontem, retirando-os da própria memória para lhes presentear os sentidos, o trabalho elucidativo e caritativo de igual importância a outros tantos, devendo logo esses quadros que ficarem para a amostra na Casa, serem utilizados na Evangelização das "nossas" crianças e jovens, onde os monitores deverão fazer junto a eles um trabalho de interpretação e sensibilidade, motivando assim o senso estético artístico nos "nossos" evangelizados.

Que fique bem clara entre nós a importância da arte e da doação dessa Equipe espiritual, e, que, saiam todos daqui, renovados na fé e imbuídos de uma sensibilidade proveitosa, perpetrada para uma melhor educação artística, que nesse quadrante do Universo é algo necessário, visto que vemos ter sido a arte banalizada das mais diversas formas, escolhendo grande parte da sociedade grotescas expressões para chamar de arte. O que nós daqui dizemos: "Não, isso não é arte, mas desastre! Por falta de uma verdadeira sensibilidade e conteúdo educativo artístico".

 

Que todos nós, na qualidade de aprendizes, possamos nos deliciar com a construção cromática impressa nas telas e valorar mais as cores e o belo.

Boa noite!

Muitas cores e alegria!

           

Domiziano Pàolo*

Mensagem recebida no salão da Pintura Mediúnica em trabalho de apoio a médium Valdelice Salum, Fraternidade Espírita Irmã Scheilla em 17/09/2010

 

*Entidade se divulgou como um arquiteto italiano, que participa também dos trabalhos de "edificação" com as cores.

      








Nenhum comentário:

PARA PARTICIPAR DO GRUPO NO YAHOO GRUPOS:
Assinar irmaosdeluz

Desenvolvido por br.groups.yahoo.com